quinta-feira, 2 de julho de 2009

Falai no Mao aparelhai o pau! *



Se percorrermos com a vista os partidos de “alterne” da nossa cena política, PS e PPD-PSD (aqui e ali com uma participaçãozeca do CDS), vemos que a sua alternância e de um modo geral toda a sua vida, é marcada pelo facto de estarem verdadeiramente minados por pessoas vindas dos mais diversos grupos maoistas, desde o famoso MRPP, até àqueles que nunca passaram do vão de escada.

Quase todos se deram muito bem na vida. Ocupam toda a sorte de posições de relevo. Na maior parte dos casos, as fortunas dos papás ajudaram bastante a sua subida “a pulso”. Há de tudo, desde Procuradoras do Ministério Público a Deputados da República, de Ministros a Secretários de Estado, de fazedores de opinião a directores de jornais ditos “de referência”, do insigne viajante Durão Barroso, ao insigne ficante Pacheco Pereira.

De qualquer maneira, isto já todos sabíamos. A minha reflexão de hoje é antes sobre as leituras dessa gente. É que desde o princípio desta minha pesquisa histórica (e científica, evidentemente!), cada vez estou mais convencido de que por muito que tenham lido o “Livro Vermelho” do grande timoneiro Mao Tse Tung, o que aprenderam a fundo e decoraram foi o “Livro da Ensinança de Bem Cavalgar Toda Sella”, escrito pelo nosso mui nobre e “leal conselheiro”, Dom Duarte, Rei de Portugal e do Algarve e Senhor de Ceuta, nos idos de mil quatrocentos e tal.

* Isto não fui eu que inventei... é mesmo um ditado popular. Só não sei se estará correctamente ortografado.

12 comentários:

Maria disse...

Não conhecia este ditado...
Mas dos outros conheço. Tem sido um fartar vilanagem, eles a cavalgarem tudo e mais alguma cois e nós a vê-los passar...

Abreijos

Kaotica disse...

Para quando uma unidade dos partidos da esquerda para derrotar essa alternância e o consequente triunfo do capitalismo apodrecido? Quando é que as bases vão impelir os dirigentes políticos dos partidos de esquerda que estão aptos a fazer essa unidade (PCP e Bloco de Esquerda) a dar um passo nessa direcção. Será que vamos ter que esperar mais quatro anos de destruição capitalista em nome dessa teima, desse enorme orgulho que impede a esquerda de se unir? Ou estamos dispostos a continuar na guerrilha da simples contagem de deputados - mais um para mim, menos um para ti - como feijões? Quanto vale para os partidos de esquerda a falta de perspectivas de poder dos eleitores de esquerda? As bases têm que empurrar as direcções dos seus partidos a dar um passo que seja no sentido da unidade de esquerda: o povo não pode ficar sem uma resposta neste sentido. Ou então não terão qualquer legitimidade em vir depois queixar-se das medidas de um Sócrates ou de uma Ferreira Leite!

Bem hajas!

vermelho disse...

Isso apena prova a sua absoluta falta de coerência e de convicções. Quem nada defende aceita tudo. Na altura era moda ser de esquerda, se calhar porque estavam convencidos que seria ela a tomar o poder. São os elementos plasticina, ou melhor, os elementos gel, que tem menos densidade...
Abraço.

Rosa dos Ventos disse...

Mesmo sem grande vontade, acabei por me rir!
Mas que a tal arte dá muito jeito, dá..., sobretudo a quem nasceu com cavalo! :-)

Abraço

Fernando Samuel disse...

A confirmar que o esquerdismo é um meio eficaz de «subir na vida»...

Um abraço.

J.S. Teixeira disse...

Os trabalhadores da Autoeuropa não vergam perante nada. Vejam o artigo no blogue O Flamingo.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Em qualquer lado onde existiu um "revolucionário"(??) que apelidava os membros da verdadeira esquerda retratada no P. C. P., de "social fascistas", hoje ou estão muito bem instalados na sua vida quotidiana, não querendo até ouvir sequer falar em igualdade social, ou então "passaram-se" para partidos de centro direita, de cujo exemplo se pode dar o de J.M.Durão Barroso, o tal que sendo 1º M de Portugal, fugiu para Bruxelas. Mas se estivermos atentos ao "ghistorial" de alguns até actuais Deputados e até Ministros, também se descobrirão muitas transferências ideológicas, para Partidos que só de os ver lá até dá vontade de lhes chamar MENTIROSOS.
Também temos a "casta" de políticos que tendo só líder e sub-líder(caso do B. E.- F. Louçã e vá lá M. Portas) propagandeiam-se como sendo uns paladinos de verdades indesmentíveis e de acerto na actuação. aqui também, o tempo também é o melhor conselheiro, e assim veremos o posicionamento dos meninos e das meninas, pós-Legislativas, e até em acordos pr
em acordos pré-Eleitorais nas Autárquicas/2009.

Anónimo disse...

De acordos o PCP não pode atirar pedras porque tem telhados de vidro.

Rui Rio Porto primeiro mandato, uma aliança PSD-CDS com o apoio o PCP e Rui Sá com pelouros como premio.

Sintra Fernando Seara coligação PSD-CDS com o apoio do PCP, premio lugares de topo em empresas municipais para quadros do PCP.

E de muitos outros exemplos poderiamos falar....

Mas o mais estranho é as boas relações HOJE entre o PCP e o PCC quem os viu e quem os vê !!!!!

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Amigo "Anónimo", mas quem que falou em atirar pedras?. O P. C. P. e os seus Militantes nas horas boas e nas menos boas falam entre si no local próprio, e são livres de dizerem o que quiserem, nunca senti constrangimentos alguns.
Essas coisas de coligações a que alude no caso especifico do Porto (Cidade, claro)não foi assim como está sómente a insinuar (e só assim posso intrepretar assim a sua prosa). Cabe-lhe a si dizer de sua justiça com factos, memorandos de acordos, exemplos de posturas na Assembleia Municipal, no Executivo de Câmara, posições políticas sobre questões fundamentais para a Cidade, e etc., já que insinua, dizer de sua justiça; fica o repto.
No respeitante a Sintra, lanço-lhe igual repto; factos, Amigo, pois quem não deve não teme.
Se você sabe tanto porque não ajuda Portugal e os Portugueses, a serem esclarecidos com verdade? Porque se escuda, na brevidade de comentários, e no anonimato?.
Boas relações (não gosta?) sempre o Glorioso Partido Comunista Português as teve com todos os apaniguados e restantes Democratas.
BOA TARDE.

duarte disse...

se cavalgassem um cavalo de pau, ou se...enfim!
olha que o meu homónimo, até deve ter escrito isso com a melhor das intenções.quanto à esquerda, só o tempo nos dirá o que podemos esperar de um partido onde se encontram pessoas com quem simpatizo.
abraço do vale (sem cavalo nem sela)

Daniel disse...

Se essa gente tivesse lido a "Arte de bem cavalgar toda a sela" seria culta. E olha que não se nota nada, Samuel.

samuel disse...

Com as minhas desculpas aos herdeiros de D. Duarte, que escreveu um belo livro, o qual só por distracção se pode dizer que trata exclusivamente de ensinar a andar a cavalo...

Abreijos colectivos!