terça-feira, 21 de julho de 2009

É a azeitona, estúpido!



"A situação já está preta
A situação já está preta
Já se pode armar aos tordos
Já se pode armar aos tordos
É mentira, é mentira, é mentira sim senhor..."
(Arlindo de Carvalho. Mais ou menos...)

E vai mais um! Desta vez é o ex-ministro de Cavaco, Arlindo de Carvalho, a ser constituído arguido no imbróglio do BPN. Nada que espante, pois já todos estamos psicologicamente preparados para ver, um dia destes, todas os elementos das equipas ministeriais do Primeiro Ministro Cavaco Silva, acusados de qualquer trafulhice, ou mesmo engavetados. Exceptuando, obviamente, os muito espertos e os honestos (que também deve ter havido). Já nada espanta!

O que é lamentável nesta notícia é que o outro Arlindo de Carvalho, o homem da Soalheira, interessantíssimo autor e compositor de músicas de raiz popular, como o “Chapéu preto” (que aqui assassinei um bocadinho), a tão bonita “Hortelã Mourisca”, “Fadinho Serrano”, “Castelo Branco” e tantas, tantas outras, veja assim o seu nome misturado com esta gentalha, apenas pelo azar manifesto da coincidência de nomes.


13 comentários:

Maria disse...

A coincidência de nomes é uma chatice.
Já uma vez me perturbei aqui com isso...
:)))
(é também da ignorância, pois nem sabia o nome do autor dessas cantigas tão nossas).

Abreijos

Antuã disse...

o PS e o PSD andam num campeonato para ver quem tem mais vigaristas.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Penso que: o caso Casa Pia, o caso B. P. N., o caso B. P. P., o caso FreePort, e mais certamente outros "acontecimentezitos", apesar da especificidade de cada um, deveriam tão breve quanto possível, até para descanso e moralização da vida pública portuguesa, uma solução exemplar que não acentuasse sobretudo a ideia espalhada de que os ricos e poderosos se safam sempre. Se tiverem que não serem penalizados que haja transparência e confiança sobretudo na Justiça (apesar do Código de Processo Penal, que temos) e que fique a ideia que que a decisão foi acertada. Se tiverem que ser penalizados, não se esteja com muittas "truques" processiais, de molde a preolongar o andamento dos respectivos Processos.
Não me espanta, mais este nome de monta a ser chamado a depôr num caso ... económico, pois não acredito pura e simplesmente que o dinheiro que entrou cá neste País a rodos e que ainda continua aentrar, agora talvez menos, tenha sido e só mal aplicado, ou que as obras públicas tenham tido "derrapagens", ou que houve más interpretações contabilísticas, etc., etc.; garanto que não estou a fazer juízos de valor sobre ninguém, agora como cidadão, só peço que os demais sejam tratados como o cidadão médio, e o cidadão das camadas desfavorecidissimas. Em suma, que não hajam na resolução destes casos, dois pesos e duas medidas, conforme o nome dos intervenientes, e as suas ligações anteriores e actuais.

Fernando Samuel disse...

Aqui vai, então, o meu abraço para o nosso Arlindo...

Um abraço.

CS disse...

E prontos... Prendiam-se todos os ex-primeiros ministros e ex-secretários e ex-sub-secretários e soltavam-se só os que conseguissem justificar as fortunas que acumularam. Prontos!

ARISTIDES DUARTE disse...

Há "Arlindo de Carvalho" e "Arlindo de Carvalho", há fartar vilanagem e quem fez coisas boas pela música popular portuguesa. Viva este último , abaixo o outro!

Anónimo disse...

E prontos!...
Oh, C S
“Nem tanto ou mar nem tanto à terra”, mas… “quem cabritos vende e cabras não tem, com certeza f… alguém”, isso todos sabemos, todavia, não seria necessário prender ninguém à priori; apenas fazer cumprir o que está estabelecido sobre o dever de transparência dos cidadãos, de todos os cidadãos.
Se todos os “ex” que C S refere eram todos, ou quase todos, ou só alguns, pequenos “aldeões”, que iam descalços para a escola, que brincavam de sacristães pelas “sacristias”, que fizeram o 5º ano à noite, enfim, tudo malta que para venda só teria pulgas, e que hoje apresentam sinais exteriores de uma riqueza conquistada a “pulso”, como eles dizem, só têm que provar, mostrando o “pulso”, o que até nem se pode considerar uma parte pudenda do corpo.
A choça poderia ser só depois, nos casos em que o “pulso” estivesse sujo…
Má nada!

(mas que bem que eles terão aprendido, todos os “ex” de Cavaco, ministros eles terão sido da sua própria gula; chegaremos algum dia a saber, de fonte segura, qual o professor que tão bem os ensinou?)

Anónimo disse...

dei com isto num sítio que frequento http://civilizacaodoespectaculo.blogspot.com/2009/07/o-conselheiro-bento.html

vem na mesma senda dos amigos cavaquistas

Nocturna disse...

O Professor, nem teve tempo de dizer que tinha toda a confiança no seu ex-ministro !!
Por este andar,o melhor é ter comunicados sempre prontos a sair, antes que a PJ apanhe todos os amigos muito "sérios" e "honestos" que vão sendo descobertos.

oasis dossonhos disse...

Os Cavacos a escavacarem-se (ou a escaqueirarem-se?) ou a descavacarem-se? (Ou será que estão mas é encavados?)
Que bela imagem fica para a História destes saudáveis amigos! Ditos Impolutos!
Abraço
Luís

O Puma disse...

Cada tiro

cada melro

samuel disse...

Ainda bem que alguns de nós ainda se lembram do Arlindo que presta...

Abreijos colectivos!

Swt disse...

Ai! Isto está a tornar-se complicado!
Ao fim de uma série de posts talvez lhe possa perguntar Samuel: Tem estado muito calor no Alentejo este Verão?
eheheheheheh