sábado, 20 de julho de 2013

Pôr as aspas nos “is?”


Vocês nem imaginam a despesa que eu tenho todos os meses em “aspas” que, como vêm, uso para tudo e mais alguma coisa... até para escrever a palavra aspas.
De quando em vez, não porque elas se me esgotem, sinto-me suficientemente aventuroso para tentar fazer passar uma ironia, uma farpa, uma simples piada, sem o recurso às famosas e sempre úteis e explicativas aspas.
Como se pode ver pelo resultado desta minha frase do post anterior, «Seguro subiu um ponto na minha consideração», em que por falta de aspas, digamos, na palavra “subiu”... lá ficaram alguns amigos e amigas a pensar que a triste figura que o homem fez em toda esta estória, alteraria de alguma maneira o que penso sobre ele. Na verdade, Seguro não subiu nem desceu! Seguro é o que é!
Já agora, antes que me esqueça... o que faz falta não são acordos de “salvação nacional” cozinhados à direita, na tentativa de salvar os seus negócios e interesses particulares vários, mas sim a dissolução imediata do Parlamento e a convocação de eleições antecipadas!
Já agora, antes que me esqueça... sim, seria importante que continuassem os contactos, compromissos e procura activa de convergência de objectivos entre o PCP, o BE, Os Verdes, independentes de esquerda, movimentos cívicos, etc., para que, depois de apurados os resultados eleitorais de cada um, se encontrasse uma plataforma de acção concertada que “despertasse” o PS (ou pelo menos uma boa parte dos seus militantes e simpatizantes) para o que faz falta: uma mudança efectiva de política. Feita para o povo e para os trabalhadores e não para a banca e os mercados.
Tudo isto, partindo do princípio pessimista (ou simplesmente realista, para outros) de que estes contactos e convergência não serão possíveis com o PS, antes das eleições.

Não é um mistério!

8 comentários:

Anónimo disse...

o pessoal (seja de que lado se encontre), anda todo muito nervoso e o sentido de humor... vai-se! :)))

vovómaria

Graciete Rietsch disse...

De acordo.
Os verdadeiros partidos de esquerda podem e devem agregar todas as pessoas que pretendam de facto uma política alternativa virada para o Povo.
Este PS tem provado que não entra nessa categoria.

Um beijo.

Maria disse...

Eu subscrevo. Só não sei se é pedir muito...

Abreijos

Provoca-me disse...

O MAS também está incluído nesse grupo de movimentos a contactar?

samuel disse...

Provoca-me:

Não faço ideia. Não estou encarregado dos contactos... :-) :-) :-)

Provoca-me disse...

Mas é um camarada, e na sua opinião era de contactar?

Uma pergunta que não tem a ver com o assunto, vão tocar à Festa com o grupo que tem tocado pelo centenáio do Álvaro Cunhal?

samuel disse...

Provoca-me:

Na minha opinião… sim.

Quanto à Festa, acho que as entidades promotoras do espectáculo andam a tratar disso… mas é uma tarefa que me ultrapassa. Se acontecer… é bom!

Provoca-me disse...

Obrigado. Um abraço.

Pedro Marques