domingo, 14 de julho de 2013

Aposto que também era uma opinião “irrevogável”...


O Vítor Dias encontrou a coisa no “Câmara Corporativa”, eu encontrei-a no blog “O tempo das cerejas”, do Vítor Dias... encontrem-na agora vocês. É um belo “achado”!
“Há quem tenha a ilusão de que o Presidente da República pode impor aos partidos, contra a vontade destes, a sua participação em governos de coligação, por vezes apelidados de salvação nacional.”


(Cavaco SilvaRoteiros VI - 2011/2012, p. 21)

5 comentários:

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Quanto a mim o Presidente da República Portuguesa no actual regime semi-presidencial, deve tão somente impôr o respeito pela Constituição da República Portuguesa, e também "ouvir" o sentir do Povo Português.
Alguns Portugueses (a maior parte) estão a sobreviver há muito, e Cavaco Silva, continua a tentar inventar. Será mesmo que o Senhor que sustenta toda esta chachada ainda não percebeu como...resolver o problema? Tem o mesmo receio dos resultados de eleições antecipadas?.

José Rodrigues disse...

Ele,cavaco,está farto de perceber.Ele tem é muita ronha tipica dos trapaceiros.Trair o seu próprio povo para proveito da grande "bancaria"é o seu desígnio.Só a luta a dobrar,triplicar,mais e mais é que pode voltar aos valores de Abril consagrados na Constituição!

Abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Roteiros para o esquecimento! Roteiros para a terra do nunca. Melhor em economiquês fica "Roadmaps to Oblivion".

Antuã disse...


E o PS já deu pelo menos o flanco.

Provoca-me disse...

A primeira ligação dá erro.