segunda-feira, 22 de julho de 2013

Cavaco no seu normal...



Com a falta de vergonha no focinho que os caracteriza, os partidos onde pontificam – para usar o termo tão caro ao mundo futebolístico – os bandidos e lacaios apostados em continuar a esmifrar milhões aos portugueses, a destruir a economia, em vender o país ao desbarato, passam agora, de forma tão automática quanto fraudulenta, ao discurso do crescimento, do reforço da economia, da criação de emprego. Isto, tendo a evidente intenção de continuar a política de recessão, capitulação e desastre que praticaram até aqui.
Com a falta de vergonha no focinho que os caracteriza, tanto PSD como CDS (como a cavacal figura), fazem de conta que não colocaram o país na situação miserável em que está e que basta o, digamos assim... “presidente”, decidir que tudo está normal e em “plenitude de funções”, para podermos recomeçar do zero, como se o país e os portugueses fossem uma qualquer espécie de maquineta electrónica digital, a que se pode fazer “reset”.
Depois de passar a maior parte do tempo, em que tartamudeou banalidades, a fazer desfilar uma enjoativa procissão de “ses” e “eu é que tenho razão”,Cavaco decidiu que os partidos que agora não se entenderam... vão ter que se entender no futuro.
Portanto... se ele é que tem razão, se nada do que aconteceu ou acontecerá pode mudar a política que Cavaco acha ser a que os mercados querem... e se os partidos que agora ele quis “coligar”, embora não o tendo feito agora, acabarão por fazê-lo... por que diacho haveria o povo - que não entra nestas equações cavacais ou dos mercados – de ser chamado a eleições antecipadas?
Serviu mais esta enjoativa palestra de Cavaco, pelo menos para uma coisa verdadeiramente “excitante,  que foi ver nascer em directo na televisão a frase mais estúpida de toda esta crise política. Depois de ordenar a CDS, PSD e PS, que reunissem, se entendessem e assinassem um compromisso... Cavaco declarou hoje, com o ar solene que aquela sua cara “inteligente” permite:
«Desde a primeira hora, dei o meu apoio inequívoco à realização desse Compromisso»
Quer isto dizer que, se este “inequívoco apoio” a uma coisa que ele próprio determinou mereceu tal destaque, é porque Cavaco Silva terá, noutras ocasiões, aconselhado e ordenado coisas que não apoiava inequivocamente.
E pronto. Nada acaba aqui. Sei que a luta continua… e deve continuar em termos claros e recorrendo a argumentos e métodos escorreitos e legítimos… mas hoje estou farto!
Hoje, tudo o que me apetece dizer – e até fazer – é tão contraproducente e, há que confessá-lo, tão ostensivamente ilegal… que o melhor é que (por agora) fique “no tinteiro”.

21 comentários:

O Puma disse...


Um anormal consentido
repetente na sacristia

Rogério Pereira disse...

Cavaco, no seu (a)normal

Anónimo disse...

Estou farta! Estou fartíssima e chega deste povo tão pachorrento! E de um cavaco cada vez mais....... Chega amigo e camarada que só me apetece fazer o que não consigo fazer a um frango!!!....
Sei que a luta contínua!
Vicky

menvp disse...

-> Não é difícil de perceber qual é o objectivo da conversa dos PALADINOS ANTI-AUSTERIDADE (marionetas ao serviço da superclasse – capital global): o endividamento em cima de endividamento... até que pode provocar um crescimento... só que… um crescimento não sustentável (crescimento eng.-socratiano) aproxima-nos da bancarrota (nota: AS BANCARROTAS EXISTEM! um ex: Detroit)… e… um país encostado à parede vende bens estratégicos à soberania: energia, água, etc (há já até quem fale na privatização do oceano português).
.
Nota:
-> Um país - tal como uma família, ou uma pessoal individual – está sujeito a atravessar períodos de crescimento e períodos de recessão (enriquecimento ou empobrecimento).
-> Um tal como uma família, ou uma pessoa individual, um país deve estar precavido para enfrentar períodos de recessão (empobrecimento)… assim sendo, um país deve tomar precauções para não cair numa situação de 'espiral': fazer empréstimos para pagar empréstimos…
.
.
.
Anexo:
O PS (e não só) quer implementar a ‘Detroitização’ do país:
- Sindicatos saquearam as empresas, nomeadamente a indústria automóvel, com salários muito acima da média das suas congéneres arrastando as empresas para a crise profunda e a falência;
- O emprego perdeu-se, as oportunidades foram-se e os mais decididos e capazes partiram para outras paragens agravando a crise;
- O flagelo da droga instalou-se e corrompeu o tecido social que mais agravou a fuga das pessoas à insegurança e criminalidade ;
- A cidade desde os anos 60 nunca mais elegeu um mayor republicano (é mais de 1/2 século de uma quase "ditadura" comparável à Andaluzia): foi um domínio absoluto dos "democratas";
- O discurso dos Mayores, quase todos corruptos e alguns ainda prestaram contas à Justiça, devem ter sucessivamente convencido os que ficaram com discursos de solidariedade social, ajudas, tolerância com a droga, tolerância com traficantes, desculpabilização dos consumidores e o habitual palavreado que já conhecemos;
- Os impostos foram sucessivamente aumentados para salvar as políticas dos Mayores o que ainda mais afastou o investimento.
Resultado final: bancarrota…
.
.
.
P.S.
Um caos organizado por alguns - a superclasse (alta finança - capital global) pretende 'cozinhar' as condições que são do seu interesse:
- privatização de bens estratégicos: energia... água...
- caos financeiro...
- implosão de identidades autóctones...
- forças militares e militarizadas mercenárias...
resumindo: estão a ser criadas as condições para uma Nova Ordem a seguir ao caos - uma Ordem Mercenária: um Neofeudalismo.
{uma nota: anda por aí muito político/(marioneta) cujo trabalhinho é 'cozinhar' as condições que são do interesse da superclasse}

Graciete Rietsch disse...

Não podemos desanimar. Precisamos de toda a coragem para destronar estes malfeitores.

Um beijo.

samuel disse...

menvp:

Exorto-a a que não repita esta manobra!

Os "comentários" off-topic têm o condão de me irritar.

Se ainda por cima, para além de nada (ou quase) nada terem que ver com o post que deveriam comentar, são exclusivamente propaganda mal escondida aos blogs do "comentador… pior.

Quando são estes "testamentos" intermináveis em que, aparentemente, o "comentador" quer vender programas políticos (por vezes algo patuscos, digamos)… a minha tentação é deixá-los para trás.

Desta vez passa… mas não repita o truque. É um truque à "chico-esperto"… e bastante "infantil", para usar a sua designação. :-) :-)

Cumprimentos.

João Frias disse...

Resumo politico-fecal das ultimas semanas:

O ministro das finanças demitiu-se e assumiu o cócó das medidas implementadas.
Paulo Portas quis demitir-se por haver demasiado cócó na coligação.
O Presidente apelou á salvação nacional, pensando que pudesse haver prisão de ventre.
Não havendo salvação nacional, continuando a abundancia crescente de cóco, o Presidente é o único que insiste em pôr fraldas ao governo.
Espero que tenha encomendado um camião delas, pois se comprou só uma, rebentar-lhe-á na tromba!!!

do Zambujal disse...

Dada a agitação da vida pessoal (cada um tem a sua...), que tem implicado um grande esforço para não perder o essencial da confusão instalada na governação. venho agradecer ao Cantigueiro a ajuda que me tem dado ... e o que me tem feito rir e sorrir apesar do que é tão desgraçadamente triste.

A luta só pode continuar! E reforçar-se... e uma gargalhada de vez em quando, ajuda.

Abraços
Abraços

Antuã disse...


Porque é que o Cavaco não ficou para sempre nas selvagens?

Maria disse...

Devo ter adormecido quando o homem falou ontem. Pelo menos em parte. Nem me lembro do que disse, a não ser que estava então tudo bem e o governo continuava...
Pareceu-me....

:)

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Cavaco Silva deu mais um horrível exemplo de despudor em relação ao Povo Português tomando a decisão que tomou. Não é que se esperasse do inquilino de Belém outra decisão mais drástica e reveladora de assim estar atento ao sofrimento da maior parte dos Portugueses, mas esta decisão de legitimar um Governo que antes ele próprio não deu o seu aval, é para constar no anedotário nacional.
Que os Portugueses continuem atentos e activos porque este Governo, não pode chegar ao fim da Legislatura. Porquê é impopular, e está perfeitamente descrebilizado, face ao que tudo tem acontecido.

trepadeira disse...

Pois,como seria se não tivesse tomado os medicamentos.

Abraço,

mário

Anónimo disse...

presidente de iniciativa governamental...

José Rodrigues disse...

Ao Povo querem que renuncie aos direitos constitucionais.Este papa bolos é que devia renunciar ao cargo, por traição agravada ao juramento que fez...o grande palerma!

Abraço

Anónimo disse...

Temos que levar com esta gente, e aguentar com ela até não podermos mais, porque, infelizmente, a nossa esquerda, que não se consegue entender, para pouco ou nada serve. Houvesse um entendimento entre PC, PS e Bloco e talvez este governo já não existisse. Ao invés, de cada vez que ouvimos o Jerónimo de Sousa só escutamos farpas atrás de farpas ao PS, como se o PS fosse o grande adversário do PC. Tinha acabado o António José Seguro de dizer não ao acordo sugerido pelo Cavaco e já estava o Jerónimo, quase em simultaneo, a criticar o PS. O que diria o mesmo Jerónimo se o PS assinasse o acordo? Sinceramente, é por estas e por outras que as pessoas se vão afastando cada vez mais dos partidos. Porque, todos eles, sejam da esquerda ou da direita, colocam à frente os interesses dos seus próprios partidos em vez de defenderem os interesses do próprio país.
Longe vai o tempo em que o Álvaro Cunhal, esse sim um verdadeiro patriota, colocu os interesses do país à frente dos do seu próprio partido quando, em meados do anos 80, convocou um congresso extraordinário para aconselhar os militantes do PC a votarem no Mário Soares. Como eram diferentes esses tempos e esses homens.
A solução para tudo isto? Lamentavelmente ninguém sabe onde ela está!

Saudações

António Ramos

Medronheiro disse...


António Ramos você hoje está muito cunhalista. Que traição pretende cometer?

Pintassilgo disse...


O Cavaco ficava tão bem na Madeira ao lado do Jardim. Enquanto um comia bolo-rei o outro bebia uns copos.

Anónimo disse...

Medronheiro,

Desculpe mas nao troco opinioes com quem passa o tempo a insultar tudo e todos. Acontece que voce nao fica por isso - faz pior - e vai ainda mais longe - escreve sem fazer a minima ideia do que esta a querer dizer.

Passar bem

Antonio Ramos

Medronheiro disse...


António Ramos como pode alguém passar bem consigo?!... Eu não insulto, limito-me a constatar que v. Exª. não consegue fazer outra coisa que não seja marrar no vermelho.

Anónimo disse...

ó anónimo medronheiro, eu não tenho procuração do Ramos mas concordo com ele: você não faz outra coisa que não insultos.Quer um exemplo? " você n faz outra coisa que nao seja marrar no vermelho".

Pela boca morre o medronheiro, sabia?

Zequinha disse...


Há quem se deixe embriagar com medronheiro.