segunda-feira, 8 de julho de 2013

Sob que regime vivemos?


Sob que regime vivemos, quando o traste que faz de Presidente da República faz tudo o que o seu poder permite para evitar eleições, apenas por saber que o seu partido sairia humilhado do acto eleitoral?
Sob que regime vivemos, quando o mono que faz de Presidente da República protege o bando de criminosos garotos do seu partido, mesmo quando estes (e os seus aliados) já deram provas da mais vergonhosa falta de sentido de estado, de sentido patriótico, de competência... e até de honestidade?
Sob que regime vivemos, quando numa altura em que o conjunto de partidos que suportam o governo reunem pouco mais de 30 por cento nas intenções de voto, o líder do partido da direita mais reaccionária, dentro da coligação, neste momento com uns meros cerca de 8 por cento nas sondagens, provocou um golpe de estado, conseguindo que o seu líder, Paulo Portas, acabe detendo praticamente todo o poder dentro do executivo?
Sob que regime vivemos, quando o “novo” primeiro ministro de facto - mas não eleito - dá todos os dias provas da mais rasteira e “irrevogável” falta de palavra, de honestidade, de vergonha na cara?
Sob que regime vivemos, quando a burguesia de direita, que inventou uma espécie de democracia que serve exclusivamente os seus fartos interesses... já nem as regras dessa “democracia” manhosa respeita?

16 comentários:

Jaime disse...


Samuel, desculpe nas nós não elegemos 1º. Ministro. Elegemos deputados que podem fazer maioria para formar governo com ou sem o partido mais votado.

Antuã disse...

Vivemos sob o sistema da bandalheira pré-nazi.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Isto chegou a um ponto que não dá para entender nem para comentar.

Os homens que deviam dar exemplos de honradez e de palavra estão-se nas tintas e preferem os seus cargos que lhe permitem muitas outras patifarias...

samuel disse...

Jaime:

Pois...
Quem lesse, sem atenção... até pensaria que eu disse que o Portas é mesmo primeiro ministro, ou que você não entendeu o que eu quis dizer com o "não eleito"...

filipe disse...

Exactamente, Samuel. Hoje, esta é a pergunta/questão que todos os democratas e patriotas devem colocar. A solução, para a desgraçada situação que vivemos, depende da resposta que lhe dermos. Por mim, este regime corrupto e esgotado, com a sua troika colaboracionista, bloqueou soluções institucionais. Só um levantamento nacional e patriótico nos livrará desta escumalha de mafiosos e traidores. Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Tudo o que estamos a viver não passa de manobras criminosas do estrebuchar do capitalismo que, infelizmente, ainda pode durar muito tempo.
Por isso se impõe uma luta cada vez mais forte e organizada.

Um beijo.

julia disse...

Abraço Samuel estás sempre em cima dos acontecimentos

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Vivemos num regime democrático, mas em que uma boa meia dúzia de garotos/as "susentados/as" na sua irresponsabilidade pelo actual e ainda Presidente da República, vão desvirtuando o regime e pondo a ferro e fogo o quotidiano de quase todos nós. Sinceramente, sinto uma enorme repulsa por gentinha como esta.

trepadeira disse...

Vivemos num regime que é preciso derrotar rapidamente e enviar para a cadeia estes ladrões sem escrúpulos.

Abraço,

mário

Nuno disse...

O Estrafogueiro num governo "Fascista" nem para levantar o correio servia.

Para esta democracia maçónica serve qualquer bandalho.Até gajos que compram cursos em universidades dos maçons.

E o "estrafogueiro" é dos maiores bandalhos da politica de terra queimada da bandalheira abrilista.

samuel disse...

Nuno:

Claro, Nuno!

Claro que os ministros e outros grandes figurões do seu querido regime fascista/salazarista, que chafurdavam no escândalo dos "Ballets Rose", entre outros primores… eram muito melhores!

Claro que a culpa de tudo o que vivemos é do 25 de Abril, ou "bandalheira abrilista", como lhe chama, e não dos seus amigos que o foram atacando e traindo ao longo dos últimos anos!

Claro, Nuno!

Maria João Brito de Sousa disse...

Num regime que nos acossa e coloca entre a espada e a parede. Lutamos ou morremos. Mesmo.

Nuno disse...

Doutor Samuel,

Foi o Botas que trouxe cá o FMI por 3 vezes? Não! Não foi o Botas!!

Foram os BORRA-BOTAS!!!!!!

Sabe o que significa aquela coisa chamada "Divida pública"?
Sabe?

É o povinho trabalhar e suar para pagar impostos pornográficos para pagar á escumalha da banca mundial.

Meus amigos, os cabacos, e coelhotes, e socratinos?

Bahhh, tenha juizinho!!!

samuel disse...

Nuno:

Sim... e você, tenha vergonha na cara!

Você tem noção do asco que provoca esse seu amor a salazar e ao fascismo, entre as pessoas que, normalmente, frequentam este blogue?

Deve ter. Não passa de um pobre provocador que retira da pobre provocação a possível excitação para a sua pobre vida. :-) :-) :-)

Olinda disse...

Hâ nesta bandalheira ,muita similitude com a ascencao de hitler ao poder Alemao.
Pior que as atitudes deste bando de malfeitores,ê a forma como ê tratada a falta de democracia,pela comunicacao social.

Um abraco



Anónimo disse...

Os passos sorrateiros de um capitalismo voraz é o que representam estes tartufos!
Organizados temos que impôr uma luta forte!
Vicky