sábado, 10 de janeiro de 2009

Cristiano Ronaldo - Mais um título




Não. Desta vez trata-se apenas de um “título” do tablóide inglês “The Sun”, mas está muito bem “caçado”.

Quanto à notícia em si, nada de mais vulgar e desinteressante. Cristiano Ronaldo, que felizmente saiu ileso, espatifou um Ferrari a estrear, no valor de mais de 300.000 Euros. Como esse valor equivale a pouco mais de uma semana de ordenado do famoso atleta, isso quer dizer que, para um português normal, por exemplo, um trabalhador da Função Pública que tenha o ordenado médio dos funcionários públicos, o grande acidente se limitaria a ter deixado cair e escavacado um telemóvel “bonzinho”, valendo para aí... 260€. Mesmo assim, sendo um acidente corriqueiro, o prejuízo real é maior para o “nosso” funcionário público.

Devo dizer, claro, que a culpa desta realidade estrambólica, não é de todo do jovem Cristiano, que apenas faz (muito) bem aquilo que lhe é pedido, jogar futebol. A culpa é do estado absolutamente demencial a que chegou o futebol internacional e nacional, onde colectividades com História deram lugar a empresas duvidosas, onde amantes do desporto deram lugar a accionistas, onde a paixão deu lugar ao calculismo e ao dinheiro, onde o desporto e o espírito desportivo se ausentaram para parte incerta.

Algum desse “espírito” vai aparecendo aqui e ali, noutras modalidades desportivas amadoras. Ainda bem!

11 comentários:

Pisca disse...

Caro Samuel
Vai tudo cair-me em cima, mas o facto é que ninguém pagaria do rapazinho o que pagam se não tivessem lucro e substancial, pelas habilidades que o tornam num caso raro.
Ele é livre de o gastar como quiser.
Há muito tempo que não discuto o que os outros ganham, tirando é claro os casos em que que "gestores" metem as empresas na falência e ainda ganham prémios e de que maneira.
Sobre o o futebol, é uma industria, logo que se pague aos artistas, já bastam os pançudos que vivem de tudo o resto

Justine disse...

Não podias ser mais pertinente nem mais certeiro nas observações que fazes sobre o estado a que chegou este mundo demente, no desporto e em quase tudo...

samuel disse...

Caro Pisca

O que os outros ganham também, por norma, me deixa indiferente... mas nem por isso deixo de ter olhos para olhar e, com sorte, ver.
Quero que os futebolistas façam realmente o que quiserem do seu dinheiro e até acho uma bênção que, na sua maioria, tenham a consciência e as preocupações sociais profundas que se lhes conhecem, pois assim dormem como santos, sem pensarem de onde raio vem todo aquele dinheiro, que nenhuma bilheteira de estádio consegue dar e que tantas vezes tem um cheirinho tão fresco... a lavado.
Mas pronto... estou a falar de uma coisa que nem sequer "consumo".

Abreço

Jorge disse...

Estorinha:
A AIG financia o Manchester.
A AIG estava para ir à falência.
O governo dos EUA meteu dinheiro na AIG.
A AIG mete dinheiro no Manchester.
O Manchester dá o dinheiro ao Cristiano Ronaldo.
Com esse dinheiro o Cristiano Ronaldo compra um Ferrari e espatifa-o.
Moral da estória: qual será?

http://en.wikipedia.org/wiki/American_International_Group
AIG – Principal Sponsor: http://en.wikipedia.org/wiki/Manchester_united

Joao Carlos disse...

ainda nao percebi muito bem se esta publicidade toda tem a ver com o jogador ou com a marca do carro.
O jogador quer ser o melhor do mundo, como se isso alguma vez fosse possível mas enfim, e a marca quer sem dúvida não ser afogada, como outros, no desperdício de bens e recursos que é a producao de um carro pelo preço que esse custa e o Grupo Fiat esteve em dificuldades em 2007.
A única novidade é a actuação da Policia de Manchester ao querer investigar o acidente em pormenor.
E eu que pensava que quem tem de resolver o problema é a companhia de seguros. Ele "só" bateu no muro.
Estranho, né?

Zorze disse...

Cristiano é de facto um fenómeno de marketing, além de jogador de futebol.

Publicidade global para o Grupo Fiat e daí para a Ferrari. A juntar a companhia de seguros que se prontificou imediatamente em substituir o carrinho por um igualzinho.

O título do tablóide The Sun - Crashtiano. Brilhante!

Sempre se disse que as oportunidades são para se aproveitarem. E houve quem rapidamente se aproveitou.

Abraço,
Zorze

duarte disse...

samuel
já não vejo futebois, porque irrita-me cada vez mais , saber o que todos desconfiam...
Quanto ao cristiano teve sorte...foi só chapa, e sim é um atleta exepcional...
Quanto ao ferrari , nunca hei-de querer um(nem que o possa comprar).
um carro é um carro,desde que esteja de boa saude mecánica.
abraço do vale

BlueVelvet disse...

Iac, iac, iac
Ele pode gastar o dinheiro como quiser, mas podia gastar melhor.
Enfim, gostos.
Abreijinhos

Pata Negra disse...

Teria muita gozo em lhe emprestar o mee Uno para desenrascar mas provavelmente algum dos seus amigos já tomou o meu lugar!
Um abraço sem notícias do meu país

Prec disse...

Sou de uma rara familia em que ninguém gosta de futebol e sim, somos todos portugueses e desportistas.
Excelente post, mas deixa-me acrescentar que o rapaz (como muitos outros) poderia ter consciencia social e gastar muito melhor a fortuna que aufere. Ou já se esqueceu de onde veio?

Fernando Samuel disse...

E mesmo essas «modalidades desportivas amadoras» têm cada vez menos o tal «espírito».
Agora que anda por aí muito, muito dinheiro lavado, lavadinho, lavadíssimo, branqueadinho... lá isso anda...


Um abraço.