quinta-feira, 16 de abril de 2009

Asco!



Afinal, sempre se encontraram os culpados no caso da tragédia da ponte de Entre-os-Rios. São as vítimas e as suas famílias, que agora estão a ser "convidadas" a pagar as custas do processo em que todos os "responsáveis" foram absolvidos. E para que todos fiquem cientes da sua culpa, as custas são bem pesadas. Meio milhão de Euros é o preço a pagar... mas até poderiam ser apenas cinquenta cêntimos. Continuaria a ser uma vergonha!

Que raio de Estado é que faz isto aos seus cidadãos?

19 comentários:

jrd disse...

Diz-se que é da Lei.
Daí a náusea por um Estado que é fora da lei.

aferreira disse...

-Isto é uma autentica Javardice.

-Já dizia o outro das barbas
" algumas vezes os tribunais burgueses dão razão ao Povo" mas, só algumas vezes!
- Tenham fé pois estamos em período eleitoral, há-de aparecer uma ou mais almas caridosas e cândidas - olhando os familiares, das suas vitimas e perdoando-lhes as tais custas e o atrevimento.

ZERO À ESQUERDA disse...

E não se pode exterminá-los?

Orlando Gonçalves disse...

Desculpa a expressão e me perdão pelo palavrão, mas só me ocorre dizer que este Estado é um Estado de merda.

Maria disse...

Não tenho palavras.
Aliás, tenho-as, mas não quero emporcalhar o teu blogue...
(e uma raiva a crescer-me por dentro...)

Abreijos e bom trabalho, logo.
:)

vermelho disse...

O mesmo Estado que teve dinheiro para construir estádios de futebol que hoje não geram receitas que garantam sequer a sua manutenção, mas que não teve dinheiro para efectuar obras mais do que necessárias, e para as quais já havia inúmeros alertas, numa ponte com mais de 100 anos!
O mesmo Estado que deixou que paulatinamente se procedesse à extracção de areias (nem vos passa pela cabeça como o negócio da areia sem sal é rentável!)imediatamente a jusante de uma ponte que já tinha problemas de fundações.
O mesmo Estado que acha normal que um ex-Ministro das Obras Públicas transite em bicos dos pés para uma das maiores empresas de obras públicas do país, encetando quase de imediato um negócio tão vergonhoso como é o do novo terminal de contentores de Alcântara. Neste momento já não existe neste país aquele Estado que é uma "pessoa" de bem acima de qualquer suspeita. Agora só temos P.S. e a sua longa vara de suínos chafurdantes.

Pata Negra disse...

Se bem me lembro, recordo que na altura alguém assumiu responsabilidades políticas e demitiu-se - talvez a Mota Engil dispense a verbazita de meio milhão!
Um abraço a ler o impossível

anamar disse...

Uma vergonha nacional!!!
Fiquei sem pinga de sangue... quando li a notícia!
Abracinho

Mariazinha disse...

O mesmo estado que premitiu a extração de areias durante anos e anos.
O mesmo estado que quis encontrar bodes expiatórios em todo o processo.
O mesmo estado que chamou os mergulhadores franceses a quando das buscas,porque se calhar os mergulhadores da marinha portuguesa
sabiam demais.
O mesmo estado que deu um bom tacho ao comandante que coordenou as buscas.
O mesmo estado que cobra agora de quem a perda maior sofreu.

ESCANDALOSO!!!

Um abraço

Cs disse...

Que raio de cidadãos que continuam a aguentar este Estado?

Antuã disse...

É preciso correr com esta gente a chuto e pontapé.

Fernando Samuel disse...

Talvez o Estado Novo...

Um abraço.

Ana Camarra disse...

Mas quem mandou aquela gente passar por ali aquela hora?!

De facto é um asco, relembrar que na altura da tragédio do Sr, Ministro, um tal Jorge Coelho, demitiu-se porque a "culpa não podia morrer solteira", pelos vistos a culpa morre orfã....

beijos

Anónimo disse...

Ainda alguém tem dúvidas de que já não chega avisar a malta e o que é preciso é atacar com a malta?

Provas mais para quê? Andar a boiar à deriva neste labirinto de gatunagem é deixar de pensar e viver. do Catraio!

Ferroadas disse...

É o "estado" a que isto chegou.

Abraço

Ludo Rex disse...

Vergonhoso e revoltante...
Abraço

Hilário disse...

É uma pouca vergonha!

O Tribunal que peça o dinheiro à Mota Engil do Jorge Coelho.

Um Abraço

Anónimo disse...

já só faltam 7 dias ,1 hora faça-se um novo 25 de Abril, mas,só que desta vez tem de ter mais efeito prático....
Helena

Anónimo disse...

Não ouvi o sempre mediático presidente da câmara do momento trágico.
Não ouvi o primeiro ministro sempre falante pronunciar-se.
Não ouvi nem quero ouvir
Revoltem-se porra!!