quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Criar dificuldades... para poder vender facilidades



Ouvir os exercícios de verdadeira ficção científica que são as sessões de anúncios e promessas do Governo já teve melhores dias enquanto passatempo. Aquilo que começou como uma grande irritação, passou mais tarde a ridículo... e agora é mais ou menos indiferente, digam os ministros ou o próprio Sócrates o que disserem.


Aqui entrou em cena o meu mau feitio: “Então, numa altura em que se fartam de falar da inflação zero, aumentaram a electricidade em quase 3% e agora é que vão procurar umas tantas pessoas que reúnam as dezenas de critérios para terem direito à redução. Aposto que a EDP vai encontrar para aí uma quinze famílias...”

Os meus resmungos teriam continuado por aí fora, não fosse ter ouvido o “timing” com que a medida vai ser tomada. "Será uma medida para ser estudada ao longo de toda a legislatura!"

Nem tive tempo para acabar o meu sarcástico “Ah, bom! Se é para estudar ao longo de toda a legislatura...”, pois a Vovó, com o seu ar falsamente desconectado, perguntou: “Quando é que são as próximas eleições?”

Reconheço que andamos algo amargos e muito desconfiados. Melhores dias virão!

7 comentários:

Rui da Bica disse...

"Parangonas" já por conta da campanha eleitoral em curso. É fácil "vender" a tempo indeterminado, aquilo que não se tenciona "vender".
Nesta situação é favorável propagandear as "coisas boas" e nem sequer falar naquilo que não convém.
... e se chegar uma próxima legislatura, então é que tudo isso será esquecido num ápice.
.

salvoconduto disse...

A Vovó conhece-os à légua...

Abraço.

Ana Martins disse...

"Que atrás dos tempos vêm tempos e outros tempos hão-de vir"

Eu acho que sim, mas também acho que estes vão ficar ainda mais negros antes de virem os outros...

Maria disse...

Pantominices e pantomineiros, diria a minha avó. A minha linguagem é outra, mas prefiro não a pôr aqui...

Abreijos aos dois

Fernando Samuel disse...

Amargos, desconfiados... e cheios de razão para tal - como pertinentemente observa a vovó...

Um abraço e um beijo.

Almeida disse...

Não aparece aqui,um reaccionário? Eu que gosto tanto de anedotas! Reaccionários digam da vossa justiça que eu gosto de me rir às gargalhadas.

samuel disse...

Per tutti:
Como já disse no texto, melhores dias virão!


Saludos!