sábado, 9 de janeiro de 2010

E que vivam os noivos e as noivas!



Finalmente foi aprovado, como devia, o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Num processo que ainda fará correr rios de tinta, pudemos apreciar de tudo, desde posições claras e serenas, com esta, passando pela demência do nosso amigo Carlos Peixoto, até à pura idiotia de Pacheco Pereira, já no reino do delírio.

Que não haja ilusões! O que se aprovou na Assembleia, no sentido de permitir acabar com uma discriminação negativa de alguns cidadãos perante a lei, é apenas isso: o fim de uma forma “legal” de discriminação (embora talvez se tenha criado outra, mas enfim...). A discriminação mais funda e real continuará, já que ainda está para nascer a lei que seja capaz de mudar uma mentalidade.

Os homossexuais, tanto homens como mulheres, continuarão a ser desprezados e enxovalhados por outros homens e mulheres que, vítimas de defeito de formação, numa grande parte das vezes irremediável, continuarão a achar-se “superiores” a eles e elas, por muito que demonstrem, em tantas atitudes e momentos da vida, serem mais homens, mais mulheres e, igualmente tantas vezes, mais fieis aos seus parceiros e parceiras sexuais.

Os jovens e adultos gays e lésbicas, continuarão a ser apontados a dedo de forma insultuosa e a serem, infelizmente muitas vezes, fisicamente agredidos por “camaradas” de trabalho ou colegas de escola, que embora parecendo à vista desarmada adolescentes, jovens, mulheres e homens normais, quando confrontados com a diferença, sobretudo nos comportamentos e opções sexuais, não poucas vezes revelam que foram, afinal, educados com a “sensibilidade” e a “delicadeza” de vacas e touros de cobrição. Basta estar num café minimamente recheado da clientela típica, sempre que a televisão aborda estes assuntos, para poder apreciar a revoada da mais abjecta ordinarice que invade a sala e o lamaçal que habita a cabeça de tantos cidadãos e cidadãs.

Não vale a pena inchar o peito, achando que se lhes “concedeu” o direito a amarem-se. Isso já eles e elas fazem há séculos e séculos e, como já disse, quantas vezes com mais dignidade do que aqueles que constantemente lhes apontam o caminho para o inferno. As mentalidades e a cultura, essas mudarão, sem dúvida, mas num futuro ainda longínquo, num caminho que terá que ser feito de pequenos passos e atitudes firmes contra todos os preconceitos, injustiças e moralidade hipócrita.

Saudemos pois o arco íris que se mostrou, mesmo sabendo que o bom tempo, com céu limpo e sol para todos (mais a paz, o emprego, a saude, a justiça, a cultura, etc., etc., etc.) ainda demorará bastante a chegar... mas chegará!

Citando um grande Homem, que se chamou José Carlos Ary dos Santos, "O passado é já bastante, vamos passar ao futuro!"

Tenham um bom Sábado!

11 comentários:

anamar disse...

Belo,

E... fotografia de sonho.

Abreijo e bom fim de semana para

ti também.
:))

isabel disse...

bela foto, bom texto e bom sábado para ti também

Maria disse...

Disseste tudo, colocando até o dedito na ferida...
Um dia passamos MESMO ao Futuro!

Abreijos
bom fim-de-semana

Justine disse...

A pouco e pouco havemos de acabar com a intolerância, e dar lugar à diferença. Mas tanto caminho para andar, ainda...
Bom fim de semana, cheio de sol:))

amigona avó e a neta princesa disse...

A fotografia é belíssima e o texto diz tudo! Obrigada Samuel! É um previlégio ler-te!
Bom sábado para ti também. Cuidado com o frio.
Abreijos

Fernando Samuel disse...

Bom sábado também para ti (vocês).

Um abraço.

Carlos Machado Acabado disse...

Eu diria mesmo que, para futuro, já basta o passado que até aqui tivemos...
Livra!...
Tudo isto é, em última instância, a prova que faltava de até de um "pê-ésse" [ou de uma série deles] pode, afinal, sair uma coisa respeitável e digna que tem, no mínimo, o mérito de reconhecer que o Tempo e a História não estão imóveis: antes se deslocam---eu diria que de forma contínua e se não a outra coisa, em direcção no mínimo a si próprios...
E reconhecer isto já é alguma coisa...
E, agora, talvez pudéssemos finalmente passar "ao resto da História"---ao desemprego, aos baixos salários, às pensões de reforma vergonhosamente desumanas, a tudo quanto, com um barulho danado, se tentou até aqui ocultar...

Bom sábado a todos!

Camolas disse...

" ...à la gente no gusta qué otro tenga su própia fé..."
(de uma cantiga de Paco Ibanés)

Ou seguimos a carneirada ou estamos feitos.
Tudo, menos ter um caminho pessoal.

Abreijos para todas as côres do teu Arco-Íris

UdL disse...

Mas será que não há ninguém que sede o desequilibrado do Pacheco Pereira?

Maria Lúcia disse...

Disse tudo no seu texto. Acreditemos que dias melhores virão e que o preconceito e a discriminação, um dia, hão-de acabar.
A foto é líndíssima.
Abs.

samuel disse...

Per tutti:
Já não será para os olhos de alguns de nós... mas uma sociedade mais justa e solidária chegará...
Passo a passo.


Abreijos gerais!