quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Governo Passos/Portas – Hienas...



Para este governo de hienas, o pagamento de um vencimento mensal não é a devida retribuição do trabalho, mas sim uma despesa. Uma prestação social, como um subsídio de desemprego, apoio na doença, na educação, não é a devida retribuição pelos impostos, contribuições e taxas que copiosa e pesadamente pagamos... mas sim uma despesa.
A cabeça dos canalhas e ultraliberais em geral, funciona assim!
Daí que seja natural ver atirar o barro à parede com “propostas” de redução drástica do subsídio de desemprego, capazes de fazer corar e gaguejar até alguns apoiantes do governo. Logo seguidas da recorrente farsa do "recuo", farsa ainda mais rasca, quando é anunciado, no mesmo momento, um corte equivalente, sem que se diga onde.
Manda a demagogia balofa e populista (mas nem por isso menos criminosa!) deste governo que, para tentar fazer os portugueses engolir este “xarope” nojento, se tente fazer crer que a esmagadora maioria da “despesa” pública é destinada aos vencimentos da “função pública” e “apoios sociais”.
Assim amalgamada a informação, os cidadãos não repararão que aquilo que eles declaram despesa com a “função pública” é toda a “despesa” com os vencimentos dos funcionários, sim... mas que aqui estão incluídos os trabalhadores que estamos habituados a identificar como Funcionários Públicos, mais os professores do ensino público, os médicos dos SNS, os polícias, os militares, juízes, funcionários judiciais, deputados, etc., etc., etc., a que se junta toda a “despesa” para fazer funcionar esses sectores, desde a pequena escola básica ou do centro de saúde mais remoto, ao moderno "campus" da Justiça no Parque das Nações.
Assim amalgamada a informação, os cidadãos não repararão que aquilo que eles declaram despesa com os “apoios sociais”, não são esmolas do Estado, mas sim o pagamento devido aos reformados e pensionistas que trabalharam e pagaram impostos toda uma vida e àqueles que, fruto das miseráveis políticas destes governos, ou da má gestão do patronato parasita, caem no flagelo do desemprego, tendo direito a um subsídio de desemprego digno.
Claro que há dificuldades! Todas as contas e previsões do executivo estão erradas! A austeridade cega deste governo, com o brutal corte de poder de compra provocado pelas desumanas subidas nos impostos, a contracção do consumo, as falências de milhares de pequenas empresas e mais, cada vez mais desemprego, reduzem drasticamente as receitas que o Governo “esperava” ver entrar nos cofres das Finanças.
Claro que, para este governo, a culpa da redução na receita fiscal esperada não é das falências, nem do desemprego crescente, nem do empobrecimento. A culpa é dos portugueses, que “não estão dispostos” a pagar impostos... a fazer fá nesta frase lapidar (pena que não seja!) do ministro das Finanças, Vítor Gaspar:
De facto, Portugal está confrontado com sérias dificuldades. Estou convencido de que uma das maiores... é ter como ministro das Finanças um fanático sem um pingo de vergonha na cara!

8 comentários:

Provoca-me disse...

E como é que ainda gente que diga que vivemos em Democracia?! E sou eu que digo disparates, ou que sou doido, mas na minha modesta opinião vivemos numa ditadura, e se não sou eu que estou doido, quer dizer que anda muita gente mal informada, ou a ver mal a situação do país.

Maria disse...

Despudorados. Todos eles. E nós sem paciência para os aturar...

Abreijos.

São disse...

Só há um adjectivo para esta quadrilha de canalhas sem ética nem vergonha nem , sequer, competência: psicopatas!!

Tudo de bom.

Antuã disse...

O pedro da Mota aprendeu com o Paulo das Feiras. Pede 10 para vender por 5. Como diz o Octávio Teixeira na Antena-1 este Orçamento foicriado para criar o caos e no próximo ano acabar com tudo o que cheire a saúde, educação ou segurança social públicas. O governo com este orçamento pretende a catástrofe para acabar com a dignidade dos portugueses. É crime premeditado.

trepadeira disse...

A maior dificuldade advém de o povo ainda não ter corrido com a cambada.
Um bando de criminosos sem escrúpulos.
Um abraço,
mário

Bolota disse...

Samuel,


Hienas??? Hoje fui á farmacia e o medicamento de que necessitava estava ESGOTADO.

Abraços

Olinda disse...

Hâ dêcadas que andamos a ser desGovernados por ministros sem vergonha e apâtridas.

Anónimo disse...

Hienas?????? Como adjectivar este bando de hipócritas, estes répteis? Que querem extreminar o povo português porque é para isso que eles são pagos pelos répteis estrangeiros.
As maiores saudações e com muita força para lutar apesar de tudo.
Vicky