sábado, 3 de novembro de 2012

João Proença – Mais um contributo para o manual de hipocrisia...


Como tantos outros produtores independentes de “objectos culturais”, a minha relação com o princípio constitucional do direito à greve... é no mínimo sui generis. Na verdade, sendo o meu trabalho idealizado, criado e produzido em casa para aí em 90%, só restando uma pequena parte para distribuir pelos palcos e outros meios de divulgação, o facto de aderir, individualmente, a uma greve, não tem qualquer impacto na vida das pessoas. Resta-me o ínfimo “impacto” que pode ter o anúncio da minha adesão solidária para com as lutas dos trabalhadores, incluindo a greve. Mais... ainda que eu resolvesse trabalhar num dia de greve, participando, por exemplo, numa qualquer animação político/cultural promovida pelos organizadores da própria greve, dificilmente alguém (de boa fé) me chamaria “fura greves”.
Só que há greves individuais... e greves individuais!...
Estou num grande estado de ansiedade quanto ao próximo dia 14! Não apanharei um comboio, ou metro, ou barco, não comerei num restaurante, não terei onde beber a bica, comprar um jornal, não haverá televisão, rádio, nem bancos, nem seguros, nem onde cortar o cabelo ou enfiar um piercing no nariz... nada! Vai ser o vazio total. O caos! Tal é a onda de choque provocada pela desconcertante notícia!!!
Por uma questão de “caridade” vamos dar de barato que um dirigente sindical, enquanto tal, não faz greve. Um dia de greve, para um verdadeiro dirigente de um sindicato, ou Central Sindical em greve... é um dia de ininterrupto e extenuante trabalho. Vamos dar de barato que Proença, que há muitos anos não trabalha como funcionário público em parte alguma... não tem como, ou onde fazer greve. E solidário com a Greve Geral, convocada pela CGTP, sabe-se muito bem que não está!

9 comentários:

O Puma disse...

O homem está de saída

do juizo

Rogério Pereira disse...

Acho que o coiso já não diz coisa com coisa.... Os Sindicatos filiados devem ter ficado pasmados com este tiro no pé (ou lá o que é...)

São disse...

É o desatino total!


Tens uma prenda no "são": espero que te agrade e aceites.

Bons sonhos

trepadeira disse...

O "patrão" da ugt também fará greve ao charuto,ou sente o rabo a arder com os sindicatos,de que quer ser dono,a fugirem da sua patronice?

Um abraço,
mário

Provoca-me disse...

Oh camarada? Será que dá para fazer PORCO no Espeto? Há por aí um porco que precisa de ir para a matança!

Justine disse...

É tam a hipocrisia que até me sinto agoniada...

Luis Filipe Gomes disse...

...e vai dar ordem para que lhe descontem o dia.
Poderão pagar mais tarde o dia em forma de compensação com espórtula e juro, na altura em que o dito assinar alguma consertaçãozinha ou códigozinho a lixar quem tem menos e mais trabalha.

Anónimo disse...

Mais um que nem é sim! nem não! é uma coisa qualquer a querer ser o que é nada!
Vicky

oasis dossonhos disse...

Este é um dos culpados do estado de coisas. Ajudou a destruir o país por quem tanta gente lutou e morreu. Assinou tudo o que de mau está a suceder aos que trabalham ou são impedidos de trabalhar: salários de escravo, subsídios indignos para desempregados, perda de feriados, horas extraordinárias pagas a um preço insultuoso, etc. Gentalha desta devia ser chamada à responsabilidade, se isto fosse um lugar decente...