sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Portas e Seguro – Um filme de classe B


Vem cá... eu só quero conversar! – disse a raposa à galinha.
Foi verdadeiramente hilariante a parte do discurso de Paulo Portas dedicada, com verdadeiros extremos de candura, a António José Seguro. Uma espécie de versão “trash” da célebre frase «Tudo isto te darei... se me adorares!», protagonizada pelo demo e o seu eterno arqui-inimigo... uma citação perfeitamente deslocada, já que nem Portas tem envergadura para ser o diabo, nem Seguro está sequer perto de ser santo.
Venha falar connosco! – disse Portas. Vai ser muito bom para todos, sobretudo para si e para a imagem que «Os portugueses olhariam e guardaria enquanto candidato a primeiro-ministro se contribuísse com uma marca para o acordo» - continuou Portas, quase garantindo a Seguro o futuro lugar de primeiro-ministro (esta é de antologia!)...
Só faltou dizer-lhe onde, a que horas, e qual a roupa interior, camisa, fato, gravata e sapatos, devia levar para a reunião.
António José Seguro, provavelmente, merece ser tratado assim... pois põe-se a jeito!
A sua “abstenção violenta”, já um clássico do léxico político, somada aos seus breves, mas muitos intensos momento de indignação contra o Governo ou a Troika, acabam sempre por me lembrar uma velha anedota dos tempos da escola secundária... que era mais pateta que brejeira.
No balneário de um clube qualquer, dois (ou duas) atletas ficaram para o fim na hora do duche. Quando um deles (ou uma delas) sentiu um encosto bastante suspeito por trás... disse com grande indignação:
- Se não tiras isso daí... parto-te os dentes!!! Só conto até... cem!!!
1... 2... 3... ... 4... ... ... 5... ... ... ... ... 6... ... ... ... ... ... ... 7... ... ... ... ... ... ... ...


6 comentários:

Olinda disse...

Ê um arrastar de asa,para "un mênage ä trois".

Provoca-me disse...

Podia simplesmente ter deixado cair o sabonete e dizer - oh que chatice, foi sem querer, deixa-me apanhar. Ah, mas dói-me as costas agora.

Anónimo disse...

Mas que romance tão brejeiro!!!...
CDS nem vê-lo, nem ouvi-lo e, quanto a Seguro mostrou o que nunca enganou!
De seguro tem pouco mas de trampolineiro tem muito.
Saudações
Vicky

trepadeira disse...

E devagar.

Um abraço,
mário

Graciete Rietsch disse...

Bem adequada esta anedota!!!!
Que amizade tão mal encoberta!!!!!

Um beijo.

São disse...

Quando é que António José Seguro aprende?? Suspeito que nunca!

Mas´quem não se respeita, não é respeitado...

Esta de os funcionários da trika , já estarem a recortar o Estado português e ser um comnebtador televisivo a dar a notícia....não cabe na cabeça de ninguém!

Mas, dizes bem, Seguro põe-se a jeito: é o resultado da abstenção violenta, de não se juntar às moções de censura apresentadas pelo PCP e Bçoco de Esquerda , da UGT ter assinado aquela coisa vergonhosa que assinou e de não aderir à greve da CGTP

Bom final de semana para ti e vovó Maria.