quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Marcelo em pré-campanha


As cada vez mais frequentes e recorrentes caneladas e farpas que Marcelo Rebelo de Sousa endereça carinhosamente a Durão Barroso nas suas homilias televisivas... não deixam lugar a dúvidas. A (looooonga) pré-campanha eleitoral para as Presidenciais, está lançada. Vai dar-se início à época do “diplomático e fraterno bofetão nas trombas” entre os dois figurões do PSD.
As farpas “marcelistas” vão quase sempre no sentido de descredibilizar, ou mesmo ridicularizar posições tomadas por Barroso em relação à Europa e, sobretudo, a Portugal. Nada que ele não mereça inteiramente, diga-se!
Por outro lado, se pensarmos numa “Presidência à Marcelo”, somos tentados a achar que a coisa descerá ao nível da taróloga Maya... mas tanto Barroso como Marcelo estão cheios de sorte. A fasquia está muito baixa... diria mesmo que está rente ao solo!
Se virmos bem, a seguir a dois mandatos do cidadão Aníbal e da sua "cavacal" prestação enquanto Presidente da República, não há em todo o país quem não tenha condições de fazer melhor, muito melhor, no Palácio de Belém!
Claro que existem excepções. Todos sabemos que há cidadãos que estarão impedidos de concorrer... por estarem internados. Fechados (à cautela), uns em manicómios, outros em penitenciárias. E mesmo de entre esses, procurando bem... olha que não sei não!...

9 comentários:

Maria disse...

Tirei férias destes gajos todos.
Só volto ao serviço sexta feira ;)

Abreijos.

Provoca-me disse...

Olha o Marcelo Caetano.

Graciete Rietsch disse...

Abaixo destes acho que nem muitos das penitenciárias e hospitais psiquiátricos, os ultrapassam em sentido contrário.

Um beijo.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

E para "apresentar a obra", logo foi buscar duas pessoas que teriam se houvesse Justiça em Portugal muito para contar uma, e o outro até causa quando abre a boca na TV.
Não há pachorra para aturar gente deste tipo...

trepadeira disse...

Se bem calhar,esses tais fechados,fariam melhor e deixariam vagas para estes.

Um abraço,
mário

R. Vieira disse...

Como se já não bastassem as patéticas "conversas em família" do personagem, agora também em livro... Enfim, tanto papel e tinta mal gastos, ainda por cima com capa dura, "dustcover" e tudo!... A quantidade de lixo que se edita em Portugal nunca cessa de me espantar.

BRANCAMAR disse...

Acho que há no manicómio alguns com mais juízo que estes que nos governam.
Será que não é possível interná-los compulsivamente, antes que a população fique toda deprimida?

Aliás, deve ser o que eles pretendem. Só que depois não sei como vão ter receitas para os disparates que fazem.

Beijos

António disse...

Convém esclarecer que o Pai deste Marcelo foi comissário da Mocidade Portuguesa (Baltasar Rebelo de Sousa, que ocupou interinamente o cargo, desde 1956, enquanto subsecretário de Estado da Educação Nacional. Neste período Rebelo de Sousa procurou reanimar a organização e implantá-la nos territórios africanos.
E Governador-Geral da ex-colónia de Moçambique (1968-1970)Quem sai aos seus... está tudo dito!

António disse...

Convém esclarecer que o pai deste Marcelo serviu o regime fascista de Salazar e Caetano (este foi padrinho de casamento de seu pai - Baltazar Rebelo de Sousa que por sua vez foi Comissário da Mocidade Portuguesa entre 1956-1960 enquanto subsecretário de Estado da Educação Nacional. Neste período Rebelo de Sousa procurou reanimar a organização e implantá-la nos territórios africanos. Foi também Governador-geral de Moçambique (1968-1970. Este é curriculum do descente de Marcelo, que todas as semanas tem lugar cativo na TVI para as suas "conversas em família" com a sua "cara-metade", Judite de Sousa!