domingo, 7 de março de 2010

E para quando o extermínio puro e simples?



Salvo em casos extremos, não considero que com o mal dos outros se “ganhe” seja o que for. De qualquer modo, as desgraças alheias podem sempre servir para colocarmos na devida perspectiva as nossas próprias “desgraças nacionais”. Vem isto a propósito de uma estória infecta, vinda dos EUA.

Andre Bauer, um dos muitos fascistas disfarçados de Republicanos, mas com a particularidade de ser Vice-Governador do Estado da Carolina do Sul e estar mesmo a preparar-se para concorrer para Governador, veio há dias, provocando um merecido escândalo, mostrar-se digno de ser um dos dirigentes dos muitos milhões de estadunidenses que recusam a ideia de participar com um dólar que seja dos seus impostos, para apoiar um sistema público de saúde, pensado para os vários milhões de cidadãos que não têm dinheiro para pagar seguros de saúde privados e muito menos os tratamentos de que necessitam. Para captar a atenção destes americanos, educados e formatados para o egoísmo, individualismo e insensibilidade social mais ferozes, decidiu ser ainda mais “ousado”.

Para criticar as célebres “dependências do estado”, verdadeiros cavalos de batalha destes neoliberais-fascistas, no caso, várias políticas das escolas públicas, em que se inclui o fornecimento de refeições gratuitas a crianças necessitadas, oriundas dos sectores da sociedade mais injustiçados (não gosto do termo “desfavorecidos”), o brilhante Andre Bauer comparou essas refeições gratuitas a “alimentar animais vadios”.

Como deve ter achado que a simples comparação não era ainda suficientemente pornográfica, não hesitou em explicar porque é que alimentar aqueles miúdos era mau, recorrendo para isso a um antigo “ensinamento” da sua avó: «Se alimentarmos os animais vadios, eles não só nunca mais nos largam a porta... como se reproduzem!»

Portanto, como vemos já a acontecer em tantos lugares do mundo, uma maneira eficaz de acabar com a pobreza e, principalmente, com os pobres, é matá-los à fome. Só nunca tinha visto o conceito defendido publicamente por um Vice quase Governador dos Estados Unidos da América, essa grande e admirada pátria disto e daquilo...

Abjecto!

17 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Inacreditável!!!!!!!
Revoltante a atitude desse quase governador norte americano,claro.
Beijos

Miguel Jeri disse...

E como se não bastasse na foto ainda me faz lembrar o Passos Coelho... Se bem que esse ainda está na fase de privatizar o país de ponta a ponta e não na de comparações idiotas.

Abr

Miguel Jeri disse...

Perdão, confundi o Passos Coelho com um outro dirigente do PSD da minha terra :) Esse sim é parecido com o da foto. Além de serem todos parecidos no paleio também o são na fisionomia. Livra!

anamar disse...

Nem consigo comentar...

Só te quero deixar um sorriso para te dizer que passei por aqui...
:))

Maria disse...

Sem comentário!

Abreijos.

salvoconduto disse...

Vadio não será mas é de certeza um animal de quatro patas.

Anónimo disse...

Esse rapaz "simpático" defende a eutanásia, sem tirar nem pôr.
O que me espanta (não sei bem porquê) é o despudor, o àvontade com que esta reles criatura defende e lança aos quatro ventos os seus pontos de vista. É preocupante. Deve ser a versão moderna do "sonho americano".

Campaniça

smvasconcelos disse...

Escandaloso, mesmo!!
Mas não há ninguém que o demita?!
beijos,

Catsone disse...

Nauseabunda, asquerosa, nojenta... todos os sinónimos são poucos para caracterizar este tipo de atitude típica de uma pequena (penso eu, quero acreditar) parte da sociedade americana.
Talvez, se devesse era matar este tipo de gente, afogando-as na própria soberba.

Antuã disse...

Não é um ser humano nem há nada que possa classificá-lo.

José Rodrigues disse...

O tal de Bauer ainda dá ares do nosso "trucidador" secretário de Estado Gonçalo Castilho...só que este é "socialista"nacional...

Abraço

Anónimo disse...

vamos lá a não ofender os animais de quatro patas que são concerteza muito mais sensiveis do que esta criatura.
Um abraço.

.

UdL disse...

Discordo do extermínio, não implacria grande sofrimento. Não haverá forma de lhe arrancar os dentes um a um e amputar-lhe os membros do corpo a sangue frio, fazendo-o viver assim para o resto dos seus miseráveis dias? É que esse pedaço de merda bem o merecia...

Fernando Samuel disse...

Abjecto é pouco...

Um abraço.

Daniel disse...

(Fernando) Samuel
Talvez a dejecto?

MA disse...

É por causa de "gente" como esta que às vezes me apetece ter um balde de merda à mão para mandar à cara de alguém.

Ainda tenho esperanças de quem um dia o mundo irá vencer essa escumalha "republicana".

samuel disse...

Per tutti:
Entendo a irritação e asco que uma figura destas provoca... também os temos por cá, só que ainda não são capazes de dizer estas coisas assim às claras.


Abraço geral.