segunda-feira, 29 de março de 2010

Jerónimo e Cavaco – Malha em cheio no fito



Os posicionamentos individuais perante a vida e os acontecimentos que a compõem, se não definem sempre a origem e consciência de classe dos indivíduos, pelo menos esclarecem-nos sobre os seus alinhamentos, simpatias e pensamento. É assim com quase todos os factos da nossa vida social e política... é assim com o PEC.

Este Programa de alegada Estabilidade e reiteradamente prometido Crescimento é um conjunto de medidas de tal maneira definidor de uma política, que quase todas os ataques, defesas, ou simples opiniões sobre ele, dizem-nos claramente ao que vem quem se pronuncia.

Assim chegamos a Jerónimo de Sousa, um político e um ser humano de quem gosto alguns dias ainda mais do que nos restantes. Perante a fúria privatizadora deste PEC, em que o governo PS tenta disfarçar a entrega de mão beijada aos privados de tudo o que dá lucro no sector público, de solução não só inevitável, como também um bom negócio para o Estado, Cavaco Silva rapou dos seus méritos contabilísticos e descobriu que isso (a juntar às restantes malfeitorias de que o PEC está cheio) é uma coisa muito boa para Portugal.

Ao lembrar que a nossa Constituição preconiza a existência de um forte Sector Empresarial do Estado, Jerónimo de Sousa afirma que esta posição de Cavaco é um mau trabalho. Mau trabalho como economista, mau trabalho como cidadão, péssimo trabalho como Presidente, que tem como obrigação maior defender a Constituição.

É uma afirmação contundente, esta de Jerónimo de Sousa. Bate aos pontos o meu já habitual “pano encharcado”...

10 comentários:

São disse...

Também apaudi de pé a intervenção de Jerónimo de Sousa.

Uma SEmana Santa de serenidade e com muitas amêndoas para vós.

Fernando Samuel disse...

«Juro cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa», disse o PR no acto de tomada de posse...

Um abraço.

Diogo disse...

O PEC é um roubo imenso feito ao país pelos grandes interesses privados. Sócrates, Teixeira dos Santos e Cavaco, a soldo daqueles, deviam ser presos. Infelizmente, uma boa parte dos portugueses é ingénua ou ignorante.

Anónimo disse...

Já que estamos na "Semana Santa" é bom lembrar a esses senhores que Trabalhar não é PECado.

Maria disse...

Apesar de ser sobre o PEC, este teu post é delicioso... e ternurento...
(depois digo porquê)

:))

Abreijo

Graciete Rietsch disse...

Grande Jerónimo. Na hora certa a frase certa.

Um beijo.

Leitão disse...

Pano encharcado em cheio na dita...
Grande chapelada!
A.L.

manuelmgaio disse...

O compromisso de honra, como lhe chamam, de cumprir com lealdade os deveres confiados, obrigaria a cumprir os programas apresentados como proposta eleitoral e, principalmente, sempre, a Constituição da República.
Na minha opinião, esta falta de cumprimento do compromisso, muitas vezes com dolo, deveria acarretar responsabilidades previstas na lei, mas parece que há demasiada benevolência, quase cumplicidade.
E o crime vai compensando.

Antuã disse...

O Cavaco é um aborto da brava natureza.

samuel disse...

Per tutti:
Felizmente, de Jerónimo de Sousa e dos que com ele fazem o caminho, é isto que podemos esperar ouvir, sempre, sem zig-zagues, coerentemente...


Abraço geral.