domingo, 1 de fevereiro de 2009

Com amores assim...




Revelando um apurado sentido para o que são hoje as prioridades do mundo e do país, umas tantas pessoas, juntaram-se na Ilha Terceira, num evento a que chamaram “Fórum Mundial da Cultura Taurina”.

Depois de mais uma vez proclamarem o seu grande amor aos animais, mostraram-se prontos a enfrentar os soezes ataques de todos aqueles que, por qualquer razão misteriosa, não são apreciadores da “festa brava”.

Consta que eram especialistas vindos de onze países. Aproveitaram ainda para fazer uma reflexão sobre a Literatura, a Ecologia, a Política, a Filosofia, a Estética, a Ética e o Direito no mundo taurino.

É bom saber que se a Literatura, a Ecologia, a Política, a Filosofia, a Estética, a Ética e o Direito, tiverem alguma dificuldade em avançar, a coisa poderá sempre ir lá à marrada.

8 comentários:

Swt disse...

hummm...I see
e não se pode exterminá-los?

Maria disse...

Por acaso eu preferia que se reunissem para discutir como resolver a fome no Mundo... e os maus tratos às crianças, mas isso sou eu que tenho cá uma mania...

Abreijos

Caim disse...

Discordo plenamente da Maria. Os animais merecem tanta consideração e tantos debates quanto as crianças que sofrem maus tratos e as pessoas que passam fome. Considero a touradas, as farras dos bois (Brasil) e tantas outras atividades criminosas, acobertadas como tradições (culturas), verdadeiras aberrações. Se são atividades culturais, por que não colocam no lugar do touro, o homem? É um despropósito que "festas" desse tipo ainda existam. E como tudo na história, algumas "tradições" devem ser quebradas para que outras, mais inteligentes e menos animalescas, possam surgir.

Fernando Samuel disse...

E se eles fossem marrar para outro lado?...


Um abraço.

Ana Camarra disse...

Samuel

Tipo:
Amarte-ei até te matar?!

Beijos

samuel disse...

Swt:
E acabar assim com uma cultura tão... tão... sei lá?

Maria:
Maria, Maria!... Os senhores gostam de touradas... que é que queres?

Caim:
Difícil... quando se trata de pessoas. Aqui, em vez de nos livrarmos destas “festas bravas”, ainda importamos outras, como por exemplo as criminosas e sangrentas lutas de cães.

Fernando Samuel:
Essa seria uma enorme ideia! ☺

Ana Camarra:
Mais ou menos... mas com muito sangue pelo meio e montes de pessoas a assistir e aplaudir.


Abreijos “por demais”.

Pintassilgo disse...

Não falta para aí quem marre no vermelho!...

Dulcineia disse...

pois, http://www.youtube.com/watch?v=uSoGcEJv01U
há muitas...