quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Papa Ratzinger Bento Dezasseis




Uma prolongada e sobretudo, exagerada exposição à religião, durante toda a infância e parte da juventude, resultou no facto de eu ser ateu. Mesmo que não tivesse sofrido a tal exposição, lógica, tratando-se do filho de um "pastor" protestante, ou que esta não tivesse provocado este resultado, nem mesmo assim seria católico, já que o lógico seria ter seguido o caminho que me estava “destinado” dentro da Igreja, nesse tempo uma congregação muito “à séria”.
Como se isso não bastasse, demasiada talha dourada agonia-me um bocado e o fausto e exibicionismo da Igreja Católica, talvez ainda por influência da educação protestante, enerva-me assaz.

Quando finalmente até tinha encontrado um objecto “papal” de que gosto bastante, na forma desta lindíssima caixa para biscoitos que aqui podem ver, vai o senhor Ratzinger e faz mais uma das suas. Eu sei... reconheço que não vou com a cara do homem, mas há que admitir que ele não ajuda muito.

A estória já tem dias, mas as justificadas ondas de choque continuam a fazer o seu caminho. Talvez, quem sabe, para agradar e piscar o olho à facção ultra reaccionária, fascistóide mesmo, dos admiradores e seguidores do arcebispo francês Marcel Lefebvre (já falecido) e outras que tais, numa triste tentativa de pacificação interna, o papa Ratzinger resolveu reabilitar o bispo britânico Richard Williamson, que numa entrevista tinha afirmado não acreditar na existência das câmaras de gás nazis e que apenas cerca de 300.000 judeus terão perdido a vida nos campos de concentração e nunca os milhões de que falam os relatos e documentos sobre o Holocausto.

Pode imaginar-se o asco que uma decisão destas (vinda de um papa alemão) deve provocar aos sobreviventes do Holocausto que ainda estão vivos, aos seus familiares e aos descendentes das vítimas, assim como à comunidade judaica residente na Alemanha.

Pode imaginar-se o embaraço, vergonha mesmo, dos católicos alemães (num país em que o negacionismo ainda é crime), como aliás, de milhões de outros católicos, protestantes, fieis de qualquer outra religião... ou sem nenhuma.

Confrontado com algumas das proezas deste papa, por vezes dou por mim a pensar que o cérebro “brilhante e excepcionalmente culto” deste senhor Ratzinger é um produto muitíssimo sobreavaliado. Ele será mesmo tão inteligente, como dizem, ou estúpido como uma porta, como parece? Ou então, é o quê?

20 comentários:

salvoconduto disse...

Adivinha aonde se refugiou o desgraçago do Bispo? Se seguires o rasto de proeminentes nazis vais encontrá-lo rapidamente, na mérica Latina, mais concretamente na Argentina.

Abraço

Maria disse...

É, seguramente, filho da mãe dele. A que nunca devia ter nascido.
O R. Williams estará confortavelmente a passar férias algures por aí, onde o recebam com honras merecidas...

Gosto da caixa. Tens prá troca?
:)

Abreijos

José Espremido Até Ao Tutano disse...

Não lhe bastava criar “leis” do silêncio para proteger os padres pedófilos, agora também começou a deixar cair a máscara e a mostrar o que realmente é, um NAZI!!!

Medronheiro disse...

Não insultem os nazis comparando-os com Bento XVI.

Lídia Craveiro disse...

O nome lembra-me "ratos", não sei se percebem? Nunca gostei da figura, funciono muito por aquilo que me fazem sentir e este " senhor" nunca me inspirou senão arrepios. Confirmou-se. Gosto muito da caixa.

Abraço

Lidia

Camolas disse...

Continuamos a esquecer, a não lembrar, os milhares de "Ciganos" que também morreram no holocausto. Porque é que ninguém fala neles???

Alvarez disse...

Mas o que é que haviamos de esperar de um papa alemão?
Como "soi" dizer-se:
Presunção e água benta cada qual toma a que quer...

Abraço,

Alvarez

Joao Carlos disse...

Nem de propósito, tenho comigo três familiares de visita e levei-os hoje mesmo ao Campo de Concentração de Dachau.
Recomendo-a a todos os que possam sequer duvidar quanto mais negar as atrocidades contra a Humanidade cometidas pelos alemaes.
Sim. Pelos alemães. Porque entendo eu que ser nazi, socialista ou democrata não pode servir de capa para tanta maldade.
E os números pouco me importam quando se trata da vida humana.
Agora o que me choca é que um povo que sofreu tudo aquilo seja o mesmo, ou quase, que mata palestinianos com a mesma frieza e maldade num território que supostamente lhe foi dado como recompensa.
E também concordo que se os judeus podem ter sido a maioria não é menos verdade que estão esquecidos dos média todas as outras nacionalidades, credos, etnias e escolhas sexuais que sofreram os mesmos horrores.
Em Dachau, ao menos isso, a memória de todos eles permanece bem viva.
É uma viagem no tempo que se faz silenciosa, arrepiante e triste a cada passo.
O sofrimento dos que estavam presos contrasta com a altivez e arrogância dos alemaes espelhada em cada retrato, em cada foto, em cada documento.
E a frase da entrada diz tudo: Arbeit macht Frei. (O Trabalho liberta)
Como foi possível? Como ainda é possível negar?
Quanto ao RATOzinger nem comento.

Caim disse...

Para refrescar a memória (I): antes de entrar para o clero, Bento XVI pertencia a Juventude Hitlerista.

Para refrescar a memória (II): boa parte da Igreja Católica apoiou o nazismo na Alemanha.

Para refrescar a memória (III): na Idade Média a Igreja Católica fora responsável pela disseminação do anti-semitismo.

Tá bom ou quer mais?

Aristides disse...

Ratzinger nem nos deixa respirar: agora veio defender as virtudes do jejum. Para milhões que remédio senão jejuar.
Abraço

Pata Negra disse...

Este papa é um Bendaval que se assolou sobre a Igreja, boa com os santos todos!
Um abraço de passarinho que aboa sobre as igrejas

virita disse...

É o representante de adeus na terra...Quando é que desapareces?

Swt disse...

Esta caixa-baú é o máximo!...tirando lá a imagem do padre, que também não praticamos.

O Puma disse...

É apenas mais um

Papa

linhadovouga disse...

Como diz uma menina que anda cá por casa: "O homi é maaauuu".

Anónimo disse...

Não sei alemão, alguém me diz se Ratzinguer, quer dizer ratazana?
Um abraço
Lagartinha de Alhos Vedros

Justine disse...

Esse é mais um dos que me fazem brotoeja!
Mas a caixa é preciosa...

samuel disse...

Salvoconduto:
É um velho hábito...

Maria:
Isso, certamente!
A caixa, bem que a queria...

José Espremido Até Ao Tutano:
Como se sabe, por vezes, andou tudo ligado...

Medronheiro:
Acho que os primeiros levam vantagem.

Lídia Craveiro:
É... salva-se a caixa...

Camolas:
Não é o meu caso... mas já escrevi, entretanto, sobre isso.


Obrigado pela pachorra.

samuel disse...

Alvarez:
Sei lá... esperar que fosse um alemão como as outras pessoas “normais”, como milhões de alemães.

João Carlos:
Belo comentário, que já ajudou a originar um novo post...

Caim:
Mais um comentário que teve consequências... ☺

Aristides:
Mais um... ☺ ☺ ☺

Pata Negra:
É mesmo um (fura)cão raivoso...

Virita:
Temo que ainda leve muito tempo.


Mi casa es su casa!

samuel disse...

Swt:
Só havia com padre... o que é uma lástima, realmente.

O Puma:
É... só que esta droga já dura há séculos!

Linhadovouga:
Ela é que sabe!... ☺

Lagartinha de Alhos Vedros:
Também não sei... mas deve ser isso.

Justine:
É natural!
Realmente, a caixa não tem culpa.


Abreijos colectivos.