quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Salazar teria batido a bota muitos anos mais cedo... se o ridículo matasse!





Por mim, não vale a pena discutirem muito. Basta-me saber (vi alguns pedaços...) que a dita série é muito fraquinha.

Sobre aspectos bem mais sérios, como a já recorrente lavagem histórica e, pela enésima vez, a patética tentativa de humanização do ditador e assassino, a minha “opinião” é que podem enfiar a série em vários sítios, sendo que nenhum deles é o horário nobre da televisão. Entre outras coisas, porque não estou nada, mas é que mesmo nada interessado em saber que António de Oliveira Salazar era um garanhão compulsivo que saltava para a cueca a tudo o que se mexesse e usasse saias... e isto não é, nem deixa de ser, uma insinuação sobre os seus colegas de seminário, ou o seu grande e querido amigo especial Manuel Gonçalves Cerejeira, que chegaria a Cardeal.

23 comentários:

salvoconduto disse...

Olha que eu não punha a mão por nenhum deles, seja lá o que for que eu quero dizer com esta frase...

Quem puser que se chegue à frente.

Abraço

Maria disse...

Eu, aqui recuada, digo que os momentos que vi da série não me entusiasmaram o suficiente para a rever. Nem cueca nem vestidos nem decotes. Se ele era um garanhão é porque as tipas tinham mau gosto. Caramba, com aquele nariz e aquela vos aflautada...
Mas gostei da última imagem de ontem: o par de botas na praia. Afinal o homem era mesmo "o botas"...

Abreijos
(sobre a imagem: tu descobres cada coisa...)

Maria disse...

vos aflautada?
VOZ, caraças...

Anónimo disse...

Ele saltou p'ra cueca de um povo inteiro (10 milhões)e bem nos fecundou!
Agora, quem publica um post destes tem direito, pelo menos, a cem dias de indulgência.
Eu acho! - e é bem merecido...
Valha-nos o sacrossanto bispo António...
Rui Silva

anamar disse...

Amen!!!!!

Antuã disse...

Afinal Salazar era um pecador.

anamarta disse...

Vi muito pouco desta série, do que vi, não gostei, e tal como a Maria digo, as fulaninhas tinham mesmo muito mau gosto! o Homem não interessava a ninguém!!!
Um abraço

do zambujal disse...

É pá! Nem sei que te diga que não pareça lisonja.
"bater a bota" - fabuloso
a "ilustração" - fabulosa
"Salazar em trajes menores" (cuecas daquelas de botões e até meio da perna, riscadinhas, e botas?) - só visto
a insinuação (que não o é...) sobre as suas relações com colegas de seminário que usavam saias - diabólica...

Bastarão 50 dias de indulgência?
(que indigência, que indecência!)

Um grande abraço

Ferroadas disse...

Que o gajo era ditador já o sabia, que era padreco também, que nos fez a vida negra idem, que nunca devia de ter nascido aspas, aspas, agora fazerem do tipo um engatatão e um fo......lhão, era coisa que desconhecia. Para compor o ramalhete, façam-lhe uma estátua na Praça do Comércio. Os Homens e Mulheres que ele mandou assassinar, prender, torturar e humilhar devem-se sentir envergonhados de passados trinta anos ainda lhe fazerem o culto da personalidade. Para os que tombaram às mãos do assassino a minha homenagem.

Abraço

Pata Negra disse...

Bem esgalhado Samuel. Quem diria que, tantos anos passados sobre o dia em que Isabel de Aragão lhe tirou a mão da cadeira, ainda seria necessário andar por aqui a lutar contra ele! O recorte de jornal é um documento valioso, vou guardá-lo!
Um abraço fora da Tv

Camolas disse...

A "caixinha negra" é utilizada como central de reciclagem para a falsidade e hipocrisia deste mundo.

Manuela disse...

Caro Samuel:

Penso que teria todo o interesse colocar um aviso de perigo no blog, sempre que publica fotos deste que publicou hoje (e que me recuso a escrever o nome), do Sócrates e de outra canalha do mesmo género!


No outro dia era uma fotografia do Sócrates e do irmão gémeo. Hoje foi isto!

É que uma pessoa assusta-se!

BlueVelvet disse...

Nem me dei ao trabalho de ver.
Não perco tempo com tamanhas baboseiras.
Abreijinhos

Ana Camarra disse...

Samuel

Não vi, recusei-me, todas estas tentivas de branqueamento são nojentas.
Só estou à espera que mostrem Tarrafal como uma estância de veraneio para meninos birrentos...

beijos

Alvarez disse...

Caro Samuel,

Eu também vi algumas cenas...
É verdade que ele terá tido alguns "laivos" de um ser humano... mas será que todos já se esqueceram duma "PIDE", duma "CENSURA"?
Mas o que é que se passa com este povo?

Um abraço,

Alvarez

Fernando Samuel disse...

Sabes que mais?: eu vou recitar devotamente as preces para ganhar umas indulgênciazitas que bem precisado ando delas...


Um abraço.

Justine disse...

Ui que cheiro a bafio aí vai nas fotos acima...vou já abrir a janela (e desligar a tv)

Joao Carlos disse...

felizmente por aqui não há sic.
Só não percebo esta fixação no Salazar quando temos oitocentos anos de História. Será maldição ou perseguição?
Ou será que nos querem enganar? Nem acredito que isso tenha audiência que chegue para combater a crise capitalista. Um dia destes o pinóquio ainda arranja um subsidio por bons serviços prestados á Nacao...

Pedro Penilo disse...

Bem se pode ver na foto uma série de preservativos alinhados no capote, o que mostra que Salazar rapava tudo, mas era pelo "sexo seguro".

Viriato disse...

Olha, pronto, agora só nos faltava descobrir que o Salazar era aquilo que em português corrente se designa como «um putanheiro»! Diria mesmo «um putanheiro assaz», parafraseando-te do post que está ali em cima (é nisto que dá ver os blogs dos amigos com atraso...)

Depois disto, olha, fico por tudo: já não me espanta se vierem dizer-me que Dom Afonso Henriques arrastava a quilha pela areia quente, o Bispo de Braga fazia uns biscates na pele do violador de Mem Martins ou Sá Carneiro era, afinal, uma drag-queen no Finalmente! Ora porra...

À parte este sentimento de nem-sei-que-te-diga, confesso que a coisa deu-me pró riso. Se aquilo era o Salazar eu sou a Madame Butterfly. É que a gente lembra-se do avô cavernoso, gaita! Ainda guardo, ainda guardamos na memória o perfil e, sobretudo, a voz, aquela vozinha velhaca e indecifrável! Voz que, de resto, o jovem Diogo Morgado nem sequer tentou aparentar...

[Abrir parêntesis, a propósito: E então não é que o Fernando Rosas não veio dizer que o Salazar da série parecia «um Marlon Branco de Santa Comba»? Ó Rosas, mas que mal te fez o Marlon Branco? Pois se o que o Brando tinha de mais admirável era mesmo essa capacidade de modelar a própria voz (capacidade que falta ao Diogo Morgado, lamentavelmente, mas que, por exemplo, o Nuno Lopes tem de sobra...) Fechar parêntesis.]

Bom, bardamerda o Salazar, que o desabafo vai longo, mas não resisto a citar (ultimamente dá-me práqui) o sms que recebi, na noite-do-dito-cujo, do meu amigo Xavier: «Tal como o Elvis, afinal o Salazar não só está vivo como reencarnou no Capitão Roby»...

E pronto! Isto hoje ficou mais pró vernáculo, mas com este tema não estavas à espera de poesia parnasiana, pois não?

Abreijos, sempre!

Prec disse...

Eu não vi a série, porque nela não vi qualquer interesse. Mas li de relance uma entrevista do actor que o interpreta e fiquei enojada.
Branquear o que se passou antes da revolução? Só mesmo num pais "pequenino" como o nosso em que até o ditador se ajustava.

curioso disse...

-Eu cá tou a espera do episódio onde o outro vê o manhoso de ceroulas.
-Naquele tempo era obra. Teria o manhoso aprontado alguma para dormir com o Henrique.
-Tou em pulgas para assistir a cena.
Será que vai passar no exame prévio?

samuel disse...

Hoje não posso responder individualmente...
Obrigado e abreijos colectivos!