quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Israel – O crime compensa!



(Pintura do artista plástico polaco Zdzislaw Beksinski)

No rescaldo de uma inqualificável operação de agressão ao povo palestiniano, por parte do Governo israelita, sob o pretexto de uma hipotética caça a militantes do Hamas, operação a que todos assistimos recentemente, mais uma vez se prova que na vida real, muitas vezes, o crime compensa. Depois do assassinato mais de mil palestinianos, na esmagadora maioria, civis, e desses, uma grande parte, crianças, depois de milhares de feridos, muitos milhares de desalojados, de uma destruição generalizada e propositada de casas, escolas, hospitais e tudo o que possa ajudar aquele povo a ter uma vida quase normal, dada a situação de cerco permanente em que são obrigados a viver, os eleitores israelitas foram a votos e disseram de sua justiça.

Assim, a assassina profissional Tzipi Livni, que nos últimos tempos conseguiu provar por palavras e actos, ser tão agressiva e mortífera como os políticos da extrema direita, religiosos fanáticos que defendem o extermínio dos palestinianos e a “deslocação” até dos próprios árabes israelitas, foi premiada com uma grande votação.

Os partidos ainda mais à sua direita, incluindo os mais extremistas e assumidamente racistas, viram as suas votações substancialmente aumentadas.

Independentemente dos negócios, alianças e compromissos (e avales dos EUA) de que venha a resultar o próximo Governo de Israel, os eleitores israelitas, uns por cobardia, outros por omissão e muitos, infelizmente, por convicção, deixaram bem claro aquilo que pensam sobre a paz na região. Mostraram também que, com o maior à-vontade, conseguem votar em partidos tão ou mais radicais que o Hamas, o que, estranhamente, parece não ofender por aí além as “democracias” ocidentais.

Mostraram a sua verdadeira face... e não é bonita de se ver.

Adenda: Para poupar o incómodo a algum comentador que não me conheça de parte nenhuma e vá perder tempo a chamar-me anti-semita, na caixa de comentários, informo já que não sou, desde sempre, por convicção... e nem preciso de fazer piadas com o facto de me chamar Samuel.
Da mesma maneira, também não vale a pena acusar-me de terrorista. Aliás, se alguém encontrar alguma coisa escrita por aqui e por mim, apoiando o terrorismo, aprovando os lançamentos de rockets, de forma cega, sobre território de Israel e os métodos do Hamas e do Islão radical e fundamentalista... ganha um alguidar de plástico, "um calendário ilustrado e pilhas p'rá telefonia".
Se eu quisesse pertencer a uma religião frequentada por (infelizmente, muitos) fanáticos fundamentalistas, intolerantes e capazes de eliminar fisicamente os seus adversários por dá cá aquela palha, teria o catolicismo, aqui mesmo à mão de semear.

16 comentários:

Maria disse...

Mas esta Tzipi teve o reconhecimento do seu povo por tudo o que fez nos últimos tempos (bem recentes) e apetece dizer que o povo israelita tem o pm que merece. Os Palestinianos é que não têm culpa nenhuma...
É motivo de preocupação para nós, mais uma vez. Veremos como reagem os outros senhores da guerra...

Abreijos

Antuã disse...

Assim se vê como é o povo eleito de deus.

maria povo disse...

BOICOTE INTERNACIONAL A ISRAEL, JÁ!!!

Desporto, cultura, economia, apoios económicos e ajudas por parte da UE,BOICOTE EXIGE-SE!!!!

...e desculpem-me os democratas israelitas, nomeadamente agentes culturais e desportivos por este boicote!!! é para seu bem!!!

Basta de vermos a criação de um Estado-Fascista-Nazi-Sionista que será (é) uma ameaça para o Mundo, como o foram os ditos regimes que desencadearam guerras mundiais atrozes!!!

...antes que seja tarde!!!

adenda: faço minhas as palavras do Samuel...

amigona avó e a neta princesa disse...

Samuel (lindo nome!) deixa-me dar-te um abraço! Hoje é o que me apetece! Por seres como és e por escreveres assim...fico-me por aqui...

Justine disse...

às vezes chega-me um cansaço tão grande - porque tudo o que dizes é verdade, porque até alterarmos este mundo virado do avesso vai ser preciso tanto tempo e tanta luta, porque o tempo escasseia...

Lúcia disse...

Tudo isto é tão, mas tão triste...
Vai continuar a saga. Que tristeza!

Beijos

Caim disse...

O exemplo vem de cima: realmente o crime compensa!

Swt disse...

Meu caro amigozzz. O que escreveu parece-me tudo lindamente. Como adequadas e notáveis são as suas escolhas das imagens.
Lamentavelmente nunca percebi muito bem, neste particular, quem são os bons e quem são os maus.

Anónimo disse...

Às vezes também me sinto cansada e triste mas, se eu me sinto assim, como se sentirão os palestinianos?
Eles não desistem porque não podem desistir, e nós também não.

Campaniça

Adriana disse...

Calma tudo um dia se resolverá...crimes e paz,um dia só haverá paz

Miguel Jeri disse...

Ó se compensa. Senão vejamos, pouco mais de 30 anos de termos acabado de vez com este tipo de práticas, somos confrontados com:

"ULTIMA HORA:
Dirigentes regionais do PCP agredidos por responsáveis da empresa Santa Marta - Indústria de Vestuário, Lda. em Penafiel


Na sequência da entrega de um comunicado do PCP aos trabalhadores da empresa Santa Marta - Indústria de Vestuário, Lda., em Penafiel, em que se denunciavam ilegalidades e atitudes intimidatórias por parte desta empresa, três indivíduos ligados à Santa Marta invadiram a sede do PCP em Penafiel e agrediram dois dirigentes comunistas.

Estes actos bárbaros só comprovam a veracidade da denúncia do PCP e merecem o repúdio de todos aqueles que prezam os valores democráticos de Abril.

Em defesa da liberdade e da democracia, dos direitos dos trabalhadores e das populações a uma vida digna e a um trabalho com direitos, o PCP vai realizar uma nova distribuição à porta da Empresa Santa Marta, em Penafiel, amanhã, sexta-feira, pelas 13 horas, em que participará Honório Novo, deputado do PCP na Assembleia da República."


Para que saibam, um abraço

delta disse...

Boa noite :)
Antes de mais quero agradecer a visita à página do Zeca.

Já emendei... penso que retirei o que lá coloquei de uma suposta capa do disco... mas como são tantas páginas...não garanto que o erro não fosse meu... mas "o seu a seu dono" e agora já fiz referência ao António Aleixo.

E como se costuma dizer que "o Natal é quando um homem quiser"... deixo aqui um miminho :)

http://operariosdonatal.com.sapo.pt/menu.html

Como esquecer algo que passou a ser uma das muitas referências que ainda hoje fazem parte da minha vida e que fiz questão de passar às minhas filhas e netos??? :)

Tudo de bom

Camolas disse...

A violência não compensa, faremos as contas no final do "campeonato".

Fernando Samuel disse...

Não estás a ver a essência da questão: uma coisa é o fundamentalismo anti-democrático do Hamas; outra coisa é o fundamentalismo democrático...


Um abraço.

julio filipe disse...

Estes resultados eleitorais em Israel,tal como tantos outros por esse mundo, tal como os nossos próprios em Portugal, devem levar-nos a questionar qual a real democraticidade destas consultas, realizadas no âmbito do sistema da democracia burguesa. Isto é, orientar mais o foco para as causas e relevar as "culpas" dos eleitorados, afinal também eles vítimas, nas suas esmagadoras maiorias. Então, sabendo nós que esta "democracia" é falsa e não nos serve, lutarmos cada vez mais pela ruptura do próprio sistema...
Saudações fraternas.

samuel disse...

Maria:
Se for negócio... pelo menos os do costume, reagirão bem.

Antuã:
Uma chatice para quem acredita nessa treta...

Maria Povo:
O que hei-de boicotar? Os grandes artistas judeus de quem gosto, nem vivem lá...

Amigona:
Pronto... ☺

Justine:
Comentário em cheio!

Lúcia:
Parece não ter fim.

Caim:
Vezes demais!

Swt:
Não há bons e maus... há agressores e vítimas, exploradores e explorados. Em toda a parte! Por vezes... mudam de lado...

Adriana:
Mas tarda tanto!

Miguel Jeri:
Essa foi uma notícia extraordinária, que também li. Estaremos a voltar a 75?

Delta:
Mais uma vez... é uma bela ideia!
Acho muita piada aos Operários do Natal. São da minha “criação”... ☺

Camolas:
E espero que muito bem feitas, desta vez!

Fernando Samuel:
Pois... faz toda a diferença!

Júlio Filipe:
Claro que o eleitorado (pelo menos todo) não tem culpa...
A luta de que falas é imprescindível!


Abreijos colectivos!