domingo, 29 de março de 2009

Fernando Correia Martins



O meu colega Fernando Correia Martins, morreu ontem, com 72 anos, vítima da mistura explosiva de um acidente cardiovascular com a incompetência já recorrente de funcionários da assistência médica que, ou desligam os telefones na cara das pessoas em aflição que não forem capazes de ter a presença de espírito e frieza suficientes para descrever com rigor científico os sintomas do doente, de maneira que até eles os entendam, ou então, como parece ter sido o caso, respondem que não deve ser nada de grave. No caso do Correia Martins, quando outra (e demorada) ajuda chegou... era tarde!

O Correia Martins era um músico de mão cheia, um ser humano bom e um poço de energia. Trabalhei com ele pela primeira vez no Grupo de Teatro Ádoque, ainda em 1974, na Revista à Portuguesa “Pides na Grelha”. Depois as nossas vidas musicais foram por estradas diferentes, sem que alguma vez se tenha perdido a cordialidade e a cumplicidade ganha nesses meses de divertido e intenso companheirismo. Quase sempre que nos encontrávamos, ficávamos de vir a fazer "qualquer coisa juntos".
Fica para um dia destes, Fernando!

Para a família e o muito grande número de amigos, um grande abraço!

10 comentários:

BlueVelvet disse...

Pois e.
Mais uma vez fica um "what if" no ar.
Nunca saberemos o que teria acontecido se o Inem tivesse chegado em tempo considerado o normal numa emrgência.
Uma ceretza temos: uma hora e tal depois, é tarde seja qual for a emergência.
É o país que temos.
Lamentável.
Abreijinhos

Maria disse...

E eu deixo-te um abraço a ti...

salvoconduto disse...

Não conheci Fernando Correia Martins mas assisti à peça no Teatro Ádoque. Em 1974 residia em Lisboa e foi um prazer assistir a ela.

Obrigado aos dois.

Ana Camarra disse...

Fui tantas vezes ao Ádoque, pequenita ainda....

anamar disse...

Cada amigo que se perde ,é um rasgão na filigrana das amizades!
Também aqui pela Figueira, aonde estou de fim de semana, soube que ontem se homenageou o centenário de Agostinho Saboga... È passar pelo "OUTRA mARGEM"...
aBRACINHO

Swt disse...

Estou revoltada com o sucedido!
É o fim dos tempos! Andamos para trás! Há uns 4 anos atrás estas cenas não se passavam com o inem!!! Que raio mudou assim tanto?
Sempre ouvi falar muito bem desse maestro, primeiro, a propósito da esposa ter o mesmo nome que eu, e, também, por ser pessoa de nível e belíssimo músico. Sei isto tudo através do meu ex- que era do meio musical e operador de som da rtp e que se bem o conheço deve estar, a esta hora, muito incomodado com toda a situação, porque gostava muito do maestro.

pintassilgo disse...

Este governo e outros que o antecederam desvalorizaram o SNS de forma a que as pessoas morram cedo para que não lhes paguem as pensões. A camarada que morreu no último Congresso do Partido já em o de Junho foi parar às urgências com sintomas semelhantes aos do dia 30 de Novembro último. Como ela era diabética disseram que era uma hipoglicémia apesar dela ter lanchado antes e a análise do sangue estar dentro dos parâmetros. os criminosos um dia terão que ser julgados.

Pintassilgo disse...

No comentário anterior deve ler-se 9 de Junho

samuel disse...

Abraço a todos os que passaram por aqui.

Carlos disse...

É só para dizer que foi um grande Homem, Amigo e Companheiro. Estava sempre a trabalhar. Lembro-me da minha alegria quando o via a colar as partituras (iam da porta de casa até à cozinha) e depois lá ia de um lado para o outro ou de estúdio para estúdio, para os ensaios, gravações, actuações, enfim não parava e tinha tempo para os amigos e para a familia. Nunca será esquecido, estarás sempre no meu coração. Até breve com um beijo, Carlos J. Sena