sábado, 21 de março de 2009

Mudam-se os tempos, mudam-se os Franciscanos!
















Eu sei... eu sei que ninguém perguntou e que a "notícia" já tem para aí três dias... mas a dar-se o caso de alguém estar minimamente interessado em saber o que quer exactamente dizer a frase feita “pobreza franciscana”, é, mais coisa, menos coisa... ISTO!

E esta?


Adenda: Diz-me o leitor e comentador Miguel Marujo, que o padre Melícias, noutro qualquer jornal ou ao vivo, terá dito que entrega toda aquela pipa de massa a obras de caridade, o que a ser verdade, merece três comentários:
1. O Correio da Manhã, se sabia, fez mal em não dizer.
2. Acho que ele faz muito bem em entregar tudo, já que tanto ele como os seus pares, têm quem os sustente durante toda a vida e da última vez que olhei, os franciscanos faziam voto de pobreza.
3. A ser verdade, ainda bem para os beneficiários dessas organizações de caridade, mas mesmo assim, o caso não deixa de me irritar solenemente, pois lembra-me uma tirada bastante infeliz de uma figura grada da Igreja Católica, cujo nome não retive, que afirmou algo como: "É bom que os ricos sejam cada vez mais ricos, pois assim poderão dar melhores esmolas."

14 comentários:

duarte disse...

ó diabo! tanto dinheirinho...será que o vai dar para obra social?
abraço do vale(desconfiado)

anamar disse...

Eu, professora "jubilada", me confesso... quase envergonhada!!!!
E mais não digo, por recato....

Miguel Marujo disse...

a notícia tem umas três semanas, foi dada pelo 24horas... e o pe. Melícias diz entregar tudo para beneficência e caridade... coisa que o Correio da Manhã não se interessou muito em perguntar

Maria disse...

É só uma "pensão aceitável", diz ele.
Como posso classificar a minha?

Só me apetece fugir...

Abreijos

Justine disse...

'Tadinho! Como vai ele sobreviver assim?? Da caridadezinha??
Raiosparta, que não há um que se salve...

Daniel disse...

Por acaso sou amigo do Padre Vítor Melícias. Tenho até um livrito, em que falo de coisas como a falta de fundamento para as imposições da moral oficial da Igreja a respeito da vida dos católicos casados, que tem na contracapa umas frases dele a concordar com o texto.
Pelo que dele conheço, acredito que de facto dê tudo para obras de caridade. E reconheço que tem sido uma figura importante da vida social portuguesa.

Joao Carlos disse...

Será que a religião merece assim tanta atenção?
Todos os dias assistimos a este espectáculo!
Pedófilos, absurdos excomungados, bandidos santificados, o preservativo eleito como mal de todos os males da humanidade e por aí fora....

Alguém já pensou que essa coisa do deus não existe e que estes malandros andam há dois mil anos a gozar com todos nós????

DEUS NÃO EXISTE!

E NÃO É PRECISO UM DEUS PARA EXPLICAR O MUNDO!

samuel disse...

Duarte:
Ao que parece, é o que ele diz fazer...

Anamar:
São outras carreiras...

Miguel Marujo:
Grande dilema! Se não diz nada, passa por ganhar uma anafada pensão. Se diz que a dá aos pobres, ofende gravemente um dos deveres da caridade cristã: “Não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita!” ☺ ☺

Maria:
“Aceitável” é um bom adjectivo!

Justine:
Pronto... ele dá tudo... o que irrita é chegar a arrebanhar uma “pensãozinha” daquela envergadura, dê-a ou não.

Daniel:
Não o conheço pessoalmente. Claro que dá para perceber que não tem a mesma “craveira de grunhice” que outros, bem acima dele na hierarquia, não me provoca as crises alérgicas de um Vaz Pinto, mas mesmo assim, vejo-o sempre ligado aos poderosos e muito próximo (talvez demais) do poder e isso deixa-me de pé atrás. Quanto ao post, é apenas uma farpa...

João Carlos:
Se fosse assim tão simples...


Abreijos colectivos!

Anónimo disse...

Parecem brincar com o "zé" do vencimento mínimo produzindo para ele e para mais 5. Convém aqui dizer que a "produção" deste senhor é uma "não produção".

Parece que o mundo virou, todo ele uma bondade, só por que o sr. Milicias "agarra no que não é dele" e o transfere Cáritativamente e Misericordicamente para outros que nada fazem, como "ele".

Este senhor faz lembrar um outro que depois de matar e mandar matar tanta gente da moirama e nuestros hermanos virou santo.

Este último matava mesmo com espada ou punhal e o sr. Milícias mata por ingestão. O Catraio

Antuã disse...

O Milícias canta bem mas não vai à minha Missa Nova.

Fernando Samuel disse...

O que mais admiro neste Melícias (e no seu franciscano voto de pobreza) é a criatividade: repara como ele substituíu os franciscanos farrapos por um hábito que até parece concebido pelo mais famoso costureiro...

Um abraço.

samuel disse...

O Catraio:
O Condestável (antepassado do azeite?) é bem pior...

Antuã:
Missa Nova? Com este Papa? :-)))

Fernando Samuel:
Na mesma lojinha onde Ratzinger compra os sapatinhos vermelhos, talvez...

Ana Camarra disse...

Tive o desprazer de o conhecer pessoalmente a comer que nem uma besta e a galar os traseiros das raparigas que o serviam á mesa...

beijos

samuel disse...

Ana Camarra:
"Galar os traseiros" contará para os pecados por pensamento? :-)))


Abreijo!