quarta-feira, 11 de março de 2009

Um voto ao futuro





O respeito e admiração profunda por todos os que lutaram por uma Angola independente e livre, pensando exclusivamente no bem do povo angolano e esquecendo o conteúdo dos seus bolsos, com sacrifício, por vezes, da própria vida, gente que eu gosto de ver representada na querida figura de Agostinho Neto e tantos outros que o acompanharam ou antecederam... até chegar à mítica Nzinga Mbandi Ngola, mais conhecida por Rainha Ginga, é o tipo de respeito que me mantém “obrigado” a algumas coisas, mas que me impede outras.

Obriga, por exemplo, a que fique feliz por cada avanço de um país que se viu impedido de ter uma vida normal, durante anos e anos de uma guerra particularmente violenta, guerra com muitos culpados, mas infelizmente, infinitamente mais vítimas.

Impede, por exemplo, que eu tente compreender a fabulosa fortuna e vida faustosa de José Eduardo dos Santos (e família), a quem não se conhece outro “emprego” que o de Presidente da República, ou o verdadeiramente feérico talento empreendedor da sua filha Isabel, por cujas mãos parecem ter que passar todos os negócios que são feitos com Angola, sejam eles públicos ou privados, projectos industriais, agrícolas, bancos, etc, e que estão a transformá-la em dona de metade do seu país (mais uma já interessante fatia do nosso).

Sobre democracia, eleições e assuntos afins, embora tenha, obviamente, opiniões, não ando por aí (nem por aqui) a espalhá-las, já que o meu conhecimento da realidade política angolana concreta não é suficiente para tal atrevimento... e sobre problemas tão sérios, sempre detestei “conversas de café”.

Tanto tempo perdido! Grande país que Angola poderia ter sido... e seguramente será! Assim o povo angolano acerte o seu passo com o futuro e com as estradas que levam para lá.

13 comentários:

salvoconduto disse...

Angola será certamente um grande país, por muito que os saudosistas do colonialismo o não desejem.

Só precisará de combater a corrupção seja ela presidencial ou outra.

Maria disse...

Um grande aplauso para este teu post.

E abreijos!

anamar disse...

Que mais posso dizer?
Que te li atentamente e com a mesma sentida mágoa!
Abracinho

BlueVelvet disse...

Oportuno e verdadeiro este post.
Quantas gerações terão que esperar os angolanos para viverem em paz, democracia e igualdade?
Abreijinhos

kinaxixi disse...

Assino por baixo.
um abraço

alex campos

Pintassilgo disse...

Lutemos para que a corrupção se afaste de Angola. Não é por acaso que os corruptos de cá agora são muito amiguinhos dos de lá. É necessário que o MPLA o volte a ser.

Fernando Samuel disse...

Nada como ter em conta o passado para poder acertar o passo com o futuro...

Um abraço.

Orlando Gonçalves disse...

Assino tudo o que disseste. O povo terá de ewscolher o seu caminho. Mas partilho da tua opinião, como pode ter uma vida tão faustosa o presidente e sua familia, quando o povo está na situação em que está ??

do zambujal disse...

Há que ter em conta o essencial e não sobrevalorizar o que já seria motivo de preocupação sem a amplitude que a "informação" lhe dá.
Porquê associar, quase automaticamente, África e países que foram colónias a corrupção? Porque a há... por lá! Certo. Mas quem veícula essa "informação" e a torna um facto feito ("fato feito"...) não serão os corruptores?, não serão os que vivem no magma da corrupção que alimentam e de que se alimentam?
Só um pormenor. De grande importância (para mim!): através de uma votação numa espécie de democracia como se fosse a única e outras formas não houvesse, avalizada pelos garantes dessa "democracia", o povo angolano disse lembrar-se de e querer o Movimento Popular de Libertação de Angola como seu partido dirigente!
E Angola será, como tu dizes, um grande país!
Um abraço

duarte disse...

eu já vejo cumprimentos e visitas de estado a mais...
E sim é de estranhar(no mínimo) a crescente riqueza dessa familia.
Quanto a investimentos em Angola, disse-me um senhor(que até já foi gerente de um balcão de um Banco Português), que só são possíveis depois de ter "conhecimentos" e claro depois de haver"reconhecimento$ vários" a entidades oficiais...
e assim vai Angola.
abraço do vale

XICA disse...

Faço minhas as palavras da Maria, belissimo post.
Muitos mimos

samuel disse...

A legitimidade do MPLA, que o povo angolano escolhe como o seu partido principal, não está em causa... mas a falta de decoro de alguns, é insuportável.
Isto não quer dizer que eu me sinta, nem por sombras, um cidadão do primeiro mundo, de um país menos corrupto do que aquele. Isso, para além de ser mentira, teria soado a paternalismo neo-colonialista e isso sim, seria indesculpável. Ainda bem que ninguém o entendeu dessa forma!
Viva a luta do povo de Angola!

Abreijos!

Prec disse...

"angola expulsará fantoches e traidores com MPLA, com o MPLA... a vanguarda do povo, do povo angolano, é o MPLA ..."
Houve aqui alguém que se enganou