quinta-feira, 5 de março de 2009

A nódoa





Todos estamos lembrados do tempo em que, assim do nada, caíram sobre várias pessoas mais ou menos famosas, acusações e suspeitas de práticas sexuais envolvendo crianças e jovens, então à guarda (incompetente e irresponsável) da Casa Pia.

Num rocambolesco processo em que as vítimas têm estado sempre a um passo de se transformarem em acusados, continua a apenas se vislumbrar um culpado e uma data de pessoas “de consciência tranquila”, como estão quase sempre todos os acusados de seja o que for neste país. Nesta altura do julgamento já todos percebemos que o único culpado é aquela patética personagem conhecida por “Bibi”, que obviamente, saia da Casa Pia com uma carrinha cheia de miúdos, repetidamente, ao longo de meses e meses e mais meses, para os entregar... a ninguém!

O pior de tudo foi que no calor do entusiasmo das primeiras acusações feitas pelas vítimas, acabaram envolvidas algumas figuras gradas do PS, tendo o caso mergulhado imediatamente na obscuridade de uma negra “cabala”, que passou a servir para explicar tudo e nada.

Entretanto, paralelamente, ia ganhando volume o caudal de acontecimentos que acabariam numa verdadeira enxurrada de lama, constituída por um curso alegadamente mal tirado, casas alegadamente horrorosas com projectos alegadamente meio martelados, licenciamentos de “fripór” alegadamente mal concedidos, seguidos de compras de andares alegadamente bem comprados demais... tudo acompanhado de “tios, primos, mães e restante família, feliz Natal, adeus até ao meu regresso”, como se fosse um “aerograma” vindo duma zona de guerra... e tendo como destinatário José Sócrates.

Mais escuridão! Desta vez trata-se de uma “campanha negra”.

Tudo isto vai sendo acompanhado por lixo, muito e fétido lixo, que sai dos gabinetes de grandes empresas e bancos, um constante fumo de corrupção que paira no ar e que, pelos menos aparentemente, o poder já nem faz de conta que quer combater.

E assim está a nossa situação. O cruzamento de uma negra “cabala” e de uma “campanha negra”, com tanto esterco e fumo, tinha que dar nisto: uma tremenda nódoa! Que a bem ou a mal há-de sair!

Adenda: Não fiquem em cuidado por mim! Estou apenas num dia em que, ao contrário do poeta, me achei menos pachorrento.

18 comentários:

Joao Carlos disse...

por mim até estás a ser bem simpático.
Vou acrescentar algumas nódoas: o encerramento das Maternidades, a transformacao dos SAP em ambulancias tao caras como ineficientes, o diploma do curso no Domingo, as negociatas do magalhaes, a cambalhota do aeroporto, os favorecimentos aos Bancos e a nojenta Lei do Patrao.

E ainda votam nele?

Maria disse...

E a lista podia continuar, Samuel.
Porque as manobras, essas vão continuar, e em relação aos miúdos já só peço que não fiquem eles presos...
A ausência de vergonha é total e eles cheiram mesmo muito mal. Todos.
Também não estou pachorrenta, hoje, pronto! Mas um dia destes a gente vinga-se... :)))

Abreijos

fj disse...

dizes bem: uma tremenda nódoa.

abraço!

ps: Pelo andar da carruagem qq dia não há detergente disponivel no mercado

salvoconduto disse...

Com o detergente certo a nódoa há-de de desaparecer.

anamar disse...

Que para ti, Samuel, o dia de amanha seja mais "solarengo"...para poders postar algo mais maciozinho...
está mesmo tudo tão preto!!!!
abracinho

Anónimo disse...

Pois... o bibi levava os miúdos para os entregar a ninguém e agora o charles pagou chorudas luvas a ...ninguém...

Antuã disse...

E quando é que haverá justiça neste país?!...

Orlando Gonçalves disse...

Muito mais haveria que dizer, são ilegalidades atrás de ilegalidades, e se notares bem a justiça está quese sempre por de trás, tentando com o correr dos anos esbater a gravidade de certos processos e inocentando aqueles senhores mais mediaticos, membros das corjas que todos nós conhecemos e que nos tem governado. Tenho pena que para o povo a que todos nós pertencemos estas coisas não lhes façam moça e não saibam responder à altura, correndo de vez com este esterco da nossa sociedade.
Um abraço Samuel, todos temos por vezes dias Não.

do Zambujal disse...

Pois é... foi assim que os EUA perderam a guerra no Vietname: não viam o inimigo em lado nenhum e ele estava em todo o lado, e também - nalguns casos sobretudo -dentro deles.
Lá temos de ir arranjando a tal da pachorra. Para a luta não esmorecer!

Alvarez disse...

Caro Cantigueiro,

Que a "voz não lhe doa nunca..."!... Porque de "Vitais Moreiras" estamos nós fartos...

Um abraço,

Alvarez

Ana Camarra disse...

Para além disso tudo, do Bibi os levar a lugar nenhum decididamente os miudos são culpados, só podem!

beijos

Hilário disse...

Samuel,
O detergente bom para limpar estas grandes nódoas está perto.

A primeira limpeza será em Junho.

A segunda será provavelmente em Outubro.

A terceira será em Novembro ou Dezembro.

Vamos a eles!

Um Abraço

Camolas disse...

"E ninguém parte os cornos a estes cabrões?"
(J. Vilhena)

Fernando Samuel disse...

Depois da «cabala» a «campanha negra» - que mais irá acontecer-nos?...


Um abraço.

Lúcia disse...

Se ao menos um dia se viesse a saber a verdade... em nome das vítimas. Merecem! Mas...

Beijos

vermelho disse...

Há-de sair mas é com benzina!
Abraço.

samuel disse...

João Carlos:
E podíamos continuar por aí fora... infelizmente!

Maria:
Isso é mais do que certo!

FJ:
Vai à moda antiga. Sabão e pancada nas pedras do rio...

Salvoconduto:
E na dose adequada.

Anamar:
O sol há-de clarear!

Anónimo:
E todos sabemos como é difícil condenar “ninguém”.

Antuã:
Logo mais... logo mais!

Orlando Gonçalves:
É preciso começar exactamente pela consciência de quem vota naqueles que vão sendo os legisladores... há décadas.


Abraços colectivos!

samuel disse...

Do Zambujal:
Só que por vezes, já custa...

Alvarez:
Doer, por vezes até dói... mas não falta.

Ana Camarra:
Então não se vê logo? Com aquelas origens...

Hilário:
Seria tão bom se a cada limpeza que se consegue, mesmo que pequena, nã se deixasse sujar tudo outra vez!

Camolas:
Essa é uma excelente pergunta!

Fernando Samuel:
Não sei. Mas vindo dali, parece sempre um filme de “suspense” de classe B.

Lúcia:
Nos raros casos em que é mesmo preciso condenar alguém, arranja-se sempre um ou outro desgraçado...

Vermelho:
E assim se traz a literatura para o debate... ☺ ☺


Abreijos!