segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Crise... qual crise! Só se for falta de vergonha...



Este é um dos brilhantes “outdoors” que por estes dias polui uma das rotundas daqui do burgo. Eu admito que vender casas a dar com um pau seja muito importante para os donos e funcionários da Remax, mas... “crise... qual crise?!!!”

Mesmo dando o desconto das liberdades e exageros dos publicitários, é pena que de vez em quando os narizes ou os dentes de alguns deles não tenham “encontros imediatos” com um ou outro cidadão vítima da crise, que esteja assim, digamos, mais irritado, sei lá... por exemplo por ter acabado de perder a casa para um banco gerido por corruptos...

9 comentários:

Maria disse...

Por exemplo...
Os 'nossos' imóveis podem merecê-los, mas a Remax não nos merece, com certeza... :)

Abreijos

Caça dramaturgos disse...

Eu até acredito que vais morar nas grutas do Escoural enquanto houver um português no desemprego. Excepto se for desempregado da Remax...

samuel disse...

Maria:
Vá lá... foram só muito infelizes com o anúncio, coitados! ☺ ☺

Caça dramaturgos:
Ah, sim? E pensaste isso com a tua cabeça, ou leste nalguma T-Shirt?


Saludos!

Caça dramaturgos disse...

Tudo sozinho pá!Onde é que eu ia achar uma T-shirt com tanta conversa? Nem o PCP era capaz e sabemos bem do tamanho da adega onde guarda as palavras de ordem em T-shirts.

samuel disse...

Caça dramaturgos:
Pois.

isaflores disse...

Mas nessas camisolas, porque ainda sou portuguesa, não existem frases tão "inteligentes" e "inspiradas" como a do caça...qualquer coisa...

Antuã disse...

oO Caca Qualquer coisa se não houvesse teria que se inventar....

Miguel Botelho disse...

A Remax arrenda casas por 600, 800 euros por mês. Dizem os proprietários que estes são os novos valores de mercado para alugar casa. Ninguém pode regatear estes preços. Tudo já foi decidido e ai daquele que achar que é muito. "É porque não vive neste tempo", dizem os proprietários. Disse-me um vendedor de imobiliário: "Um andar por 6 mil contos? Há 30 anos, eu arranjava-lhe um palacete por esse preço!"

Neste meu lado, vou passeando o meu podengo de manhã, numa mata da cidade e contando os mendigos que dormem no meio do bosque. Refugiam-se no meio do arvoredo e procuram um lugar para passar a noite.
Sempre que o meu podengo pressente a presença de mais um vagabundo, penso na miséria dos proprietários que temos e nessa maldita Remax!

Fernando Samuel disse...

E olha que esse poderia ser um encontro muito esclarecedor...

Um abraço.