quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Stuart Carvalhais – E viva a cultura!



Não, não vale a pena ir a correr fazer petições online nem abaixo-assinados. O mal está feito! O crime ocorreu há poucos dias na Alameda Conde de Almeida Araújo, em Queluz, concelho de Sintra. A casa de Stuart Carvalhais foi demolida. Li a estória num blogue e depois fui confirmar na comunicação social. Desgraçadamente, dos órgãos de comunicação social de dimensão nacional, apenas a TSF e o Correio da Manhã deram alguma atenção ao acontecimento. Honra lhes seja feita!

Stuart Carvalhais (1887-1961) foi um pintor, desenhador, ilustrador e pioneiro da banda desenhada em Portugal. Os seus excelentes trabalhos, muitas vezes habitados pelo humor, podem encontrar-se em inúmeras páginas de jornais da época, cartazes de teatro, cinema e publicidade, capas de livros, etc.

A população da zona, foi surpreendida pela demolição da casa. Um candidato da CDU à Junta de Freguesia, Manuel Guedelhas, que se juntou à indignação dos vizinhos, disse saber há muito tempo que o imóvel tinha sido vendido em hasta pública a um qualquer empreiteiro, sem que a Câmara de Sintra tivesse accionado o seu direito de preferência, mas pensava, mesmo assim, que a Câmara de Fernando Seara “tivesse feito alguma coisa”. Pelos vistos fez... ignorou!

Que diabo! Mesmo sabendo que a casa não tinha a importância de uma casa de Cristiano Ronaldo, ou de uma velha glória do Benfica (aí, Fernando Seara ter-se-ia mexido!), o que as pessoas mais dadas às coisas da cultura pretendiam não era assim tão extraordinário quanto isso... queriam simplesmente que a casa fosse recuperada e transformada num museu do artista, porra!

Mas pensando bem... porque haveria a casa de Stuart Carvalhais ser preservada, se há bem pouco tempo, nem a casa de Campo de Ourique, em Lisboa, onde viveu e morreu Almeida Garrett, grande figura em que os nossos chamados socialistas tanto gostam de se "pendurar", resistiu ao camartelo, para dar lugar a um muitíssimo mais culto condomínio de luxo, propriedade, imagine-se, do injustificável ex-ministro da economia do PS, Manuel Pinho?

Triste país, que todos os dias encontra uma nova maneira de faltar aos respeito aos seus cidadãos!

(Capa de Stuart Carvalhais para a primeira edição do romance, de 1928)

19 comentários:

Sal disse...

Tristes portugueses que VOTARAM em pessoas que deixam que isso aconteça.
Triste poder político que temos.

salvoconduto disse...

Não me admirava nada se o dito senhor dissesse que não conhecia Stuart Carvalhais, nem que sabia que clube ele representava...

Abraço.

Méon, disse...

Como desabafou um dia Alexandre Herculano:
"Isto dá vontade de morrer".

E foi para uma quintinha nos arredores de Santarém cultivar oliveiras!

País de cafres!

Daniel disse...

Ó Stuart Carvalhais,
Que já não vives nem sentes,
Neste país são iguais
Todos o simples mortais,
Porque simples os viventes.
Ou tolos. E nada mais.

Anónimo disse...

O então presidente da Câmara, Pedro Santana Lopes, mandou suspender em Junho do ano passado a autorização para demolir a casa onde viveu e morreu Almeida Garrett... mas graças aos comunas foi demolida que votaram todos no PS. Isto digo eu que até odeio o Garrett mais a porra das viagens dele. A ilustração presente tb acho uma bosta(parece as cenas salazarentas dos livros da primária) , mas a casa se era a da foto era bem gira. Crime a demolição. Se votasse em Lx tinha votado no PSL, agora pensem bem pq... antes de fazerem comentarios primarios. não, não sou psd, mas o que a cdu fez em lx foi vergonhoso.

Antuã disse...

É o que se chama cultura de "excelência".

César Marrafa disse...

Desde que o ano passado, umas bestas quadradas (desculpem mas não encontro outra designação), decidiram destruir, à martelada e a picareta, os azulejos que Maria Keill tinha doado á cidade, em várias estações do metro de Lisboa, já nada me admira. Só me admira quem ainda defenda estas bestas ao serviço da ingnorancia que, eu bem sei, tanta falta lhes faz.

Justine disse...

Porra mesmo, amigo! Que gente ignorante,pacóvia, interesseira, vendida, que vai destruindo e destruindo-nos. Porra mesmo!

Luis Nogueira disse...

Pelo que acima se lê, pode ser-se anónimo e cretino ao mesmo tempo. É o caso: cretino, burro, ignorante e fascistóide.
E cobarde, claro.


Luis Nogueira

Carlos Machado Acabado disse...

Também li!
Até faz doer a alma!
Até a "coisinha" da mãe de muitos, se fosse de tijolo... já tinha vindo abaixo e hoje havia um centro comercial no lugar dela!...
Livra!
Não escapa nada!...

CS disse...

A demolição das referências culturais tem também a sua "face oculta"!

Orlando Gonçalves disse...

Moro em Queluz na mesma rua onde ficava esta casa, a minha indignação foi tanto maior quando li que o actual e reeleito presidente da junta de freguesia quando foi confrontado com a situação pelos jornalistas da Lusa, nada disse dizendo que nada tinha a dizer. Indignado enviei nesse mesmo dia um mail para o referido presidente cuja resposta veio com duas linhas, dizendo que esse problema era da competencia da C.M.Sintra. Não respondeu às minhas perguntas, porque nada fez a J.F. para tentar manter a casa na posse da autarquia. E assim se vai delapidando aos poucos o património cultural deste país. Eleições passadas recandidaturas ganhas e volta-se ao mesmo, nada se faz. Que porra de autarcas que mer... de país este. Indigna-me estar a ser governado por tantos trafulhas. ( O mais grave é que ele, presidente da junta, não pode dizer que desconhcia a situação, visto o referido prédio se encontrar a poucos metros do edificio da junta de freguesia).

Miguel Botelho disse...

Triste país o nosso que troca a cultura por condomínios privados.

Assim que apanhar o Sr. Fernando Seara a jeito, hei-de perguntar: "Porque deixou destruir a casa de Stuart Carvalhais?"

gabriela disse...

Triste e miserável povo, de cima a baixo, que não valoriza o que poderia fazer este país emergir do anonimato.

pintassilgo disse...

O presidente da Câmara pensa com os pés.

Fernando Samuel disse...

É a coltura, estúpidos!...

Um abraço.

Maria disse...

Um povo culto é muito perigoso...

Abreijos daqui

samuel disse...

Sal:
Grande trabalheira pela frente... para salvar o que restar.

Salvoconduto:
Depois, por aí nas festas e vernissages, de smoking e copo na pata, são todos cultíssimos!

Méon:
E desabafou muito bem! Mas que pode fazer um tipo que não tem nenhuma quintinha, nem ideia de como se trata das oliveiras?

Daniel:
Pelo menos é o que parece...

Anónimo:
Quem levantou a suspensão foi Carmona Rodrigues, se não me engano. Quanto aos comunas todos a votar no PS, já vi “narsas” menos delirantes.
Mas também... quem acha que a ilustração do Stuart para a capa do livro “Os emigrantes” é parecida com os desenhos delicodoçes ou fascistóides dos livros da antiga primária... pode achar depois tudo o que quiser, que já tanto faz!

Antuã:
É... é como os conteúdos da sic... ☺ ☺

César Marrafa:
Pelo menos desta vez não vão poder aparecer aqui uns palermas a dizer que não foi bem assim... e que tudo foi acertado com o artista, como me aconteceu com o post sobre a Maria Keil.

Justine:
Porra, então!

Luís Nogueira:
Caro Luís, anonimamente pode ser-se praticamente tudo... ☺ ☺ ☺

Carlos Machado Acabado:
Não lhes dês ideias...

CS:
Mas depois quem tem que suportar a face visível somo nós.

Orlando Gonçalves:
As coisas que essa gente consegue ignorar... não têm limites.

Miguel Botelho:
Podendo ser, é de não deixar fugir a ocasião.

Gabriela:
Estamos sempre a sair do anonimato! Nunca ouviste falar? Ronaldo, Figo...

Pintassilgo:
Deve ser por isso que só pensa em futebol...

Fernando Samuel:
Por vezes esquecemos... mas vem logo alguém pôr-nos na ordem.

Maria:
E eles sabem disso.


Abraços, e viva a arte!

Nuno Góis disse...

E eu que tantas vezes tenho que passar em frente à antiga casa de Garrett hoje do Pinho...

Cambada...