segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Ahmadinejad - Mais um hipócrita



Sempre que este fascista, de seu nome Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irão, pretende chamar as atenções para si, em vésperas de alguma negociação ou simples conversação internacional em que vá estar envolvido, “endurece” o seu discurso sobre o Estado de Israel, governado e controlado por outros fascista de igual ou ainda maior calibre, já temperados em muitos anos de crimes de guerra.

Como, pelos vistos, as simples críticas a Israel já pouco mobilizam a comunidade internacional, talvez por quase toda essa comunidade concordar com muitas delas, o fascista Mahmoud Ahmadinejad teve que encontrar uma fórmula que enojasse suficientemente qualquer pessoa de bem, fosse em que país fosse, para colocar quase toda a “sociedade das nações” contra si e assim alimentar, junto dos milhões de fanáticos que o apoiam, a chama de ódio mascarado de religião, que os alimenta.

Encontrou a fórmula ideal. Nestas alturas, num discurso qualquer, nega o Holocausto, afirmando que não passa de um mito e de uma estória inverosímil. Mais uma vez, repetiu a habilidade.

Não tenho muito a comentar, quanto mais não seja, porque tudo o que eu consiga dizer poderá não ser suficientemente contundente e apenas por isso, não fazer justiça ao sofrimento e sacrifício de milhões de judeus (e comunistas, gente da Resistência, milhões de soldados de vários países, maioritariamente do Exército Vermelho... e deficientes, ciganos, homossexuais...) às mãos da demência assassina do Nazi-Fascismo.

Tenho, no entanto, uma fantasia. Ver um dia entrar numa sala onde este escroque esteja a discursar, no passo lento e digno dos velhos de 90 anos, um sobrevivente do Gueto de Varsóvia, de Auschwitz, Buchenwald, ou qualquer outro campo da morte, dirigir-se até à tribuna de Ahmadinejad e, muito calmamente, desfazer-lhe o focinho com um taco de beisebol.

Para terminar, apenas partilharia a minha opinião sobre a credibilidade destes dirigentes terroristas fanáticos. São uma fraude! Como é que sei? Pela idade. Qualquer militante ou dirigente que passa os dias a gritar “guerra santa!” e chega a velho... é um hipócrita e um aldrabão. Os “puros de coração” e sinceros, desgraçadamente para si e sobretudo para as vítimas dos seus atentados suicidas, normalmente morrem antes (ou muito pouco depois) dos vinte anos de idade.

11 comentários:

O Pinoka disse...

Samuel,
algo que me impressiona (ou talvez não), é o facto de Hugo Chavez simpatizar tanto com este canalha. Serão os Estados Unidos motivo suficiente? Ou a massa de que são feitos será a mesma?

Maria disse...

Não sei se alguma vez verei o focinho deste tipo desfeito. Mas gostava de ver. Deste e doutros...

Abreijos

Daniel disse...

Isso também é coisa em que penso cm frequência. Os bárbaros que convencem à guerra santa, ou à santidade da guerra, poupam-se muito bem. Os maiores criminosos são normalmente cobardes. Hitler era, Estaline também, Saddam Hussein foi o que se viu...

J.S. Teixeira disse...

"e, muito calmamente, desfazer-lhe o focinho com um taco de beisebol."

Inglourious Basterds?

Zé Canhão disse...

Porque é que os EUA o detestam tanto?

Pedro Namora disse...

Ao Zé Canhão: deve ser por terem acolhido, depois de Maio de 1945, tantos responsáveis pelo holocausto, na dita terra da liberdade.
Ou então por prosseguirem hoje uma política tão assassina quanto a de hitler.
Obrigado, Samuel, por este post que gostaria de ter escrito. Um grande abraço.

duarte disse...

não apoio extremismo, nem estremistas.
conheci gente que sobreviveu aos campos, e que se calhar já se foram... que nunca conseguiram contar o passado sem chorar. E isso , meus amigos, doi ...muito mesmo.
Que porra de tendencia temos nós em esquecer o passado!!!
abraço do vale

samuel disse...

O Pinoka:
Não, amigo! A massa de que são feitos não é a mesma...
Chavez, embora sofra de algumas contradições, como essa, é uma realidade completamente diferente. Penso eu...

Maria:
Era bom, não era? ☺

Daniel:
Para morrer estão lá os “escudos humanos” que os protejem...
O teu elenco de figuras históricas, seria “negociável”... mas nunca assim, numa caixa de comentários.

J.S. Teixeira:
Ainda não vi... mas espero ver. ☺

Zé Canhão:
Complicado... prefiro responder com um novo post.

Pedro Namora:
Nunca entendi como é que a relação dos EUA com Israel, convive com a objectiva protecção que os primeiros deram a alguns notórios nazis, de que até se serviram largamente, como se sabe. Se calhar, porque a alguns dos históricos dirigentes sionistas, também não repugnou a colaboração estratégica com o regime nazi...

Duarte:
Não se pode, nem deve, esquecer!


Saludos gerais!

Luis Nogueira disse...

Porque é que os EUA o detestam tanto? É pergunta que se faça? Filhos, no Irão há muito petróleo, para não falar da posição-chave de país em relação ao Médio e ao Extremo-Oriente.
Perguntar sobre o Chavez e a "amizade" dele ao Ahmadinedjad, é uma ingenuidade, parece-me. Chavez tem a obrigaçãode defender o seu país e não de entregá-lo amarrado de pés e mãos ao mais amavioso dos países, os EUA. É que Chavez, segundo a definição do State Department, é um louco, um comunista, um subversivo, um populista, um terrorista, um narco-traficante... ou não governe ele o país com as maiores reservas energéticas do mundo.
Não gosto do homem do Irão e sei muito bem o que ele e a outra cambada (sobretudo a outra cambada) fizeram aos comunistas. Da tradução, não posso dizer nada, não sei parshi. Mas que é demais gramar os assassinios em massa e toda a barbárie dos sionistas desde 1948 (e antes!) não é fácil. Sempre são 61 anos de barbárie, há que dar um certo desconto ao persa, não o tomar a sério. A verdade é que se ele se encolhesse, os fascistas-sionistas (não se esqueçam que os sionistas colaboraram com o Hitler, querem documentos? querem bibliografia? - Vejam, por exemplo Lenni Brenner, "51 Documents"... mas há muito mais).

Assim, peço apenas esta coisa simples: quando se falar de qualquer governante sionista se anteponha sempre a palafra fascista e que, na maioria dos casos (Golda Meir, Ben Gurion, Moshe Dayan, etc... se acrescente "e corrupto").

Uma nótula: chamar "Cobarde" ao Stalin, dá vontade de rir. Só por recomendação do parlapatão do Kruschev ou lembrete da imprensa ocidental, esse modelo de verdade e isenção. Convém que a gente se documente sempre antes de mandar uma bocaça... para não fazer figuras tristes como o persa amigo (que, sim!, ganhou as eleições, o f. da p.)

Luis Nogueira

Fernando Samuel disse...

Excelente post - e excelente conclusão sobre as «fraudes»...
(excelente, também, teu comentário sobre «o elenco de figuras históricas»...

Um abraço.

samuel disse...

Luis Nogueira:
Bem comentado!

Fernando Samuel:
Foram, sobretudo, sinceros...


Abraços!