quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Mário Soares... e Obamócrates




Por conta de um tremendo mau feitio, ou dito de uma forma mais popular, “derivado aos nervos”, não existe lampejo de memória mais alegre, luta comum, discurso interessante ou momento de humor, que consiga fazer romper alguma luz através do cúmulo de nuvens negras que há muitos anos se abateu sobre este homem. Falo de Mário Soares. A crónica extensa das suas traições, mentiras, “engavetamentos” de socialismo, colaboração com a CIA do seu amigo pessoal (até hoje) Frank Carlucci, a sistemática obra de destruição de conquistas fundamentais do 25 de Abril, de que a Reforma Agrária é o exemplo mais cruel e criminoso, mesmo não pertencendo eu ao número de pessoas que pela sua posição e responsabilidades políticas ao longo dos anos, a foram seguindo mais de perto, não deixa de provocar em mim um asco que não tem feito outra coisa senão aumentar.

Como se sabe, Mário Soares tem à sua disposição recursos importantíssimos, ora na forma de fundos extremamente generosos para a sua Fundação, ora em tempo de antena em televisão, ora em páginas de revistas e jornais. Usa-os normalmente para defender os seus próprios interesses e os do PS, que como se tem visto, confundem-se com os do capitalismo. Sempre que se chega a mais uma contenda eleitoral, Soares manda às malvas tudo o que disse e escreveu (ainda que mentindo) sobre princípios e o primado das ideias sobre os interesses, para nos vender essa teoria repelente de que os votos dos militantes e simpatizantes dos partidos mais pequenos não interessam para nada, não têm como influenciar as políticas do governo que sai das eleições e que, portanto, esses militantes e simpatizantes, melhor fariam em “vender” os seus votos aos interesses instalados nos partidos do centrão. Seria apenas patético, como argumento, não fosse o facto de ser escrito de má fé.

Em mais uma dos seus artigos, desta vez no DN, Soares, na ânsia de fazer campanha pelo PS de Sócrates, e talvez esperando que ninguém se lembre do que ainda há bem pouco tempo dizia dele, escangalha-se em vénias ao Primeiro Ministro. Que é inteligente, que aprende com facilidade, que está muito interessado em ouvir os outros, que é tolerante (!!!)... acabando a compará-lo a Barack Obama.

Para um comentário sério ao artigo, farão o favor de ler este post de Fernando Samuel, que (como dá para ver) o conhece bem melhor do que eu. Pelo meu lado, fico-me por um último comentário:

Esta comparação entre Sócrates e Obama apenas mostra que a vista de Mário Soares já não é o que era. Obama tem aquela cor (que lhe fica bem), de forma natural e desde que nasceu. Sócrates está da mesma cor (que lhe fica mal), de tão chamuscado, esturricado, queimado... pelo que tem feito!

15 comentários:

Carlos Machado Acabado disse...

Deixa-me subitamente "lavado por dentro" este 'post' do "Cantigueiro"!
Durante meses a fio, lutei eu próprio, com efeito, pela possibilidade de transmitir pontos de vista em tudo comuns com este, sem o conseguir fora do âmbito do meu próprio blogue.
Incompatibilizei-me, por exemplo, com o "Público online" que me censurou um comentário onde dizia exactamente isto, por outras palavras.
E, no entanto, é urgente--e essencial!---desmistificar este falsíssimo "símbolo" de um 25 de Abril para bloquear o qual este mesmíssimo personagem "marchou" e/ou mandou "marchar" em tempos sobre Lisboa quando achou que o fecundo 'laboratório social e político' da Revolução estava a ir "longe demais" numa direcção e num sentido que escapava, por completo, aos interesses geoeconómicos, geofinanceiros e geopolíticos, instrumentalmente "democráticos" e interesseiramente 'liberais', por cuja delegação ele agia, como sempre, entre nós.
Foi assim desde os tempos da CEUD.
E nunca deixou de ser.
Escandaliza-me (repugna-me!) a "papalização" política (a beatificação!) deste "Amigo" não só dos Carluccis mas, de igual modo, dos Mitterrands, dos Craxis, das Fundações Flick e por aí adiante.
É altura de dizer frontalmente que é algo de verdadeiramente indecoroso e impúdico tentar sobrepor esta personagem de... "Bernstein com-batatas-e-grelos" a algo que ele ajudou poderosamente a assassinar e a enterrar e que foi, desde logo, um certo generoso, fecunda e originalmente revolucionário, espírito de Abril que, com este "broker" ou "almocreve político" do grande capital internacional (felizmente!) nada tem em comum!

Maria disse...

E disseste tudo! Excelente post.

Abreijos

Anónimo disse...

Mas o PCP já o apoiou , engoliu um sapo vivo, mas já o apoiou....

samuel disse...

Carlos Machado Acabado:
E muita coisa há-de ainda ser contada... não por mim, claro, mas por quem sabe. E como sabe!!!

Maria:
Foi mais um desabafo...

Anónimo:
Ó anónimo!
Que descoberta do cacete! Você "deve de ser" historiador... para saber um segredo desses... :-)))


Saludos gerais!

Anónimo disse...

Carissimo,

Veja-se do que não é capaz o PCP para salvar o essencial! E para o fazer de forma democrática, até convocou um congresso! Quem é que tem tais práticas democráticas? ...

Um abraço

Nuno

ZERO À ESQUERDA disse...

Pensava que o Marocas já tinha batido as botas. Mas não. Pelos visto, não.

Anónimo disse...

Um Congresso em que de antemão se sabia o resultado.

Ou alguem punha em dúvida, que a decisão tomada por Alvaro Cunhal, ia ser derrotada.

Realmente....

Olhem se querem ter um assunto para discurir, pensem porque Jeronimo de Sousa NUNCA denuncia o polvo da Madeira.

No debate de hoje com Ferreira Leite, aquela parte final foi miseravel, existe sinais de autoritarismo do Socrates sem dúvida, mas ignorar , ou passar uma esponja sobre o que se passa na Madeira, não dignifica nada Jeronimo de Sousa.

samuel disse...

Nuno:
Tens razão... de qualquer maneira, não gosto da imagem do “sapo”. Prefiro a imagem de ter ido votar tapando o nariz...

Zero à esquerda:
Felizmente, para a família e amigos chegados... não.

Anónimo:
Se Álvaro Cunhal tivesse ganho mais meses de vida por cada vez que não fez valer a sua opinião ou vontade, não só não teria partido, como ainda iria estar por aí connosco mais uns anos.
Sobre o aparente acordo secreto que Jerónimo de Sousa terá com o destrambelhado Jardim... não sei. Diga-nos o amigo...



Saludos gerais!

Carlos Machado Acabado disse...

Há uma coisa que decididamente "engasga" (e aruina, por completo as "digestões políticas"!) à Direita, em Portugal!
A facção neo-liberal (farisaicamente) "piedosa" e... "pós-social" da direita (vulgo "pê-ésse") como a direita "hard core" ("pê-pê-dês", "cê-dê-ésses" e por aí fora): o facto de o Partido Comunista resistir a (eu diria: literalmente) a TUDO.
O facto de não se ter pura e simplesmente (como em Espanha, em França ou em Itália) diluído nesse (pseudo) "socialismo" aguado e chilro onde se banham (voluptuosamente, aliás!) os que já perceberam que a hipocrisia social e política é um excelente negócio e que o farisaísmo ideológico representa, por sua vez, uma indústria de promissor futuro!
O Partido apoiou tacticamente forças relativamente às quais (muito lucidamente, de resto!) nunca alimentou quaisquer ilusões?
Claro que o fez!
São as chamadas... "questões de táctica", não é?...
Mas não foi táctica (foi, pelo contrário, estratégia---e bem eloquente, por sinal) o chamado Bloco Central para já não falar num aberrante e dificilmente perdoável, mesmo após estes anos todos, governo "pê-ésse/cê-dê-ésse"...

Samuel: o Rui Mateus já contou algumas delas...
Ninguém conhece melhor a vida do "convento" do que os próprios frades que lá vivem---ou viveram.
Um abraço.

joaquim d'Odemira disse...

Relativamente à Madeira e ao que aqui se escreveu "aconselho" a ver o vídeo da CDU Madeira em http://www.cdumadeira.org/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1

e a ouvir aí as palavras do seu mandatário na Madeira da CDU, o escritor Viale Moutinho.A CDU está lá no dia a dia e na 1ª fila da luta.Pela primeira vez a CDU concorre a todos os concelhos e a todas as juntas de freguesia (54) da Madeira.O PCP está em crescimento na Madeira e vai ser uma boa surpresa a votação nas autárquicas.

Anónimo disse...

Viu o debate de ontem Jeronimo-Ferreira Leite?
Está de acordo, com a forma como o lider do seu partido falou da Madeira?

Não acha que perante os factos que se conhecem , nenhum homem ou mulher de esquerda, pode deixar dúvidas sobre quem é o Jardim , e a dificuldade de exercerem livremente os direitos democraticos e de oposição na Madeira?

Acha que as palavras de Jeronimo, não podem sugerir um branquemento do regime de João Jardim?

È isto que eu pretendi dizer, não falei em pactos secretos, falei em COERÊNCIA DE ESQUERDA.

joaquim d'Odemira disse...

Faço minhas as palavras do Viale Moutinho no vídeo em, http://www.cdumadeira.org/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1

Anónimo disse...

Até aqui parece que os «cegos» aparecem. Não nos podemos esquecer que o filho do «homem» ia morrendo em Angola a apoiar a UNITA. Mas nem pelo filho o «homem» mudou. Por isto se pode ver quem é o «homem» que gosta mais de poder do que do próprio filho.

Luis Nogueira disse...

Ó pé, ó anónimo:

Vê lá se te explicas, 'nónimo. Ké isso do filho do homem. Qual ómãi: o Nosso ómãi em Habana? O ómãi kera sexta-feira?
Komo dizem ká nos meus sítios: fala claro e mija à parede, pá.
E vê se arranjas um nome, se dás a cara... ou melhor, a Bochecha ou o Bochechas.


Luis Nogueira

samuel disse...

Carlos Machado Acabado:
O Rui Mateus contou... e muitos mais hão-de contar... para acabar com a porcaria do mito do pai da democracia.

Joaquim d’Odemira:
Obrigado pela a chega e pela oportunidade de rever o Viale Moutinho.
Realmente está lá tudo!

Anónimo:
Sim!
Sim!
Acho!
Não!
Ah... sim?

Anónimo:
Acredito que o acidente do filho tenha sido um sobressalto e uma grande aflição para Soares. Nunca pretendi que para além de um escroque político, ele também fosse mão pai, mau marido, mau avô... e mesmo que o soubesse não o diria aqui!

Luís Nogueira:
Isso, de uma maneira geral, é pedir demasiado aos anónimos... ☺


Saludos gerais!