quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Haja resistência!


Paulo Portas é uma personalidade que não me interessa! Gosto de agricultura, não da “lavoura”. Gosto de bem estar e qualidade de vida, não de “segurança policial”. Gosto de justiça social, não de assistencialismo bolorento e “caridoso”. Resumindo, não gosto de Paulo Portas, nem de nada do que vende... mas este texto era suposto ser sobre o debate deste serão que passou.

Foi um empate. Sobretudo, de tempo. Assim, aquilo que me intriga nos restantes debates que aí vêm, com a participação de Sócrates, é saber qual o limite da nossa resistência para ouvir o chefe do governo enumerar as excelentes medidas que tomou, mas que nós não “entendemos”, ora por má vontade, ora por estupidez. Qual o limite da nossa resistência para assistir a este espectáculo esquizofrénico bipolar de um Primeiro Ministro que oscila constantemente entre o arrogante que conhecemos bem e o bonzinho que, se for de novo eleito, tudo fará para tratar dos problemas dos portugueses... “com mais delicadeza”, embora me pareça que se lembrou disso um "cadito" tarde, a ver pelas reacções de uns e de outros...

15 comentários:

Maria disse...

Eu juro que tentei ver, e ouvir. Até anotei o 'calendário' dos debates todos, para ver os que não queria mesmo perder.
Eu juro que tentei ver, e ouvir o primeiro. Não consegui. Afinal o campeonato de ténis é muito mais interessante...

:)))

Abreijos

Sal disse...

Mas já não há mesmo paciência.
É por isso que desta vez a CDU vai subir, e muito.
Há cada vez mais gente a VOTAR CDU!

beijo

Antuã disse...

Estão bem um para o outro.

salvoconduto disse...

Aquela tirada da guerra do Iraque na boca do engenheiro, até eu me ri, que ando com pouca vontade para isso.

anamar disse...

Virá o primeiro que vá ouvir...para dizer que n passei virgem por estes debates...
Mas "Senhor", eu não consigo ouvir Sócrates....
Problema meu????
Abreijo

Pintassilgo disse...

Ouvir Sócrates é o sacrifício supremo, mas temos que o ouvir para saber como actuar.

Anónimo disse...

Afinal não percebo nada...

Se Socrates só quisesse 3 debates, 2 com a Manuela, e um com todos os lideres partidários, era porque tinha medo de debater.

Agora que o homem se dispôs a fazer debates en pé de igualdade com todos, é uma seca...

Dedidam-se de uma vez, olhem o Cavaco enquanto primeiro ministro, sempre recusou debates, parece que já esqueceram....

O ideal eram dois debates a cinco e um debate a dois e pronto.

A não ser por algum precalço grave, o peso dos debates na decisão no voto, é muito pequeno.

Os indecisos, são normalmente aqueles que no fim não vão votar, ou aqueles que chegam lá e fazem uma cruz de olhos tapados.

A esmagadora maioria que vota, já tomou a sua decisão.

Quanto a prognósticos, só no dia 27 ás 19 horas, e se calhar haverá surpresas......

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Em dois dias seguidos, eu como vou (sempre que possa) vou fazendo algum exercício fisico e mental, impûs a mim próprio paciência, ontem, para ouvir e tentar perceber o 1º da série de debates televisivos antes das Eleições Legislativas; coube em sorte e por sorteio, que fossem ao canal 4 da televisão portuguesa, o Engº José Sócrates (P. S.) e o Dr. Paulo Portas (C. D. S./P. P.), moderados (!!!) pela Drª Constança Cunha e Sá. Não gostei do que vi e ... ouvi.
Não gostei porque não gosto dos líderes em questão, e de pessoas que sendo figuras públicas, por via disso, deveriam dar um outro exemplo de postura ... verbal e até na postura enquanto o outro falava, e também que declaradamente digam um ao outro "o sr. não está a ser verdadeiro", ou "o sr. está a mentir", se interrompam constantemente, baralhem as questões, não respondam objectivamente (o que era o que mais importava) e ponham até quase à nora, a apresentadora.
O debate foi o que foi quanto a mim em nada conclusivo. Contudo achei uma máxima das melhores máximas que ultimamente lhe ouvido, o Engº José Sócrates, ter dito "... temos de puxar pelas energias do País ..."; fantástico, porque é que nada fez nesse sentido desde Fevereiro/2005 a nível do Poder Central, ou através do Ministro da tutela respectiva, uma maior dinamização e descentralização de competências, para o Poder Local?. E depois ambos foram muito repetitivos em nomeadamente quando falaram do Desemprego, em sobreporem-se com números e fontes, e não falarem de verdadeiras propostas para inverterem, esta triste situação. O senhor dos submarinos, não lhe entendi uma intenção de política para Portugal; ou estaria o mesmo a pensar na próxima ... feira ou mercado, para beijinhos, abraços, e mostrar os seus dentes branqueados?. Eu dispenso política feita desta maneira, como vi ontem em dois candidatos a 1º M de Portugal.

anamarta disse...

A seguir ao jantar ouvir estes "cavalheiros"? Tinha uma congestão! e com os serviços de saúde que nós temos, não quis arriscar! por isso não vi nem ouvi!!!
Abraço

UdL disse...

O que é que se passou com a Constança Cunha e Sá? A mulher conduziu o debate de forma péssima e tremia por todos os lados...

Carlos Machado Acabado disse...

Mamã!
Eu bem te disse!
Na Inguchétia!!!
Na Inguchétia ou na Kabardino-Blakaria é que era!
Para lá dos Urais, Mamã!!
Ao menos, lá não havia Pinhos, Aníbais (nem Tonis Carreiras, já agora) o que francamente me parece já só por si um começo promissor...

Mas tu, mãezinha, tinhas de levar a tua avante!
Tinhas de me trazer para aqui para "Surrealândia" onde um 'Socas' qualquer é a coisa mais parecida com um político que eles foram capazes de escogitar e um tal Portas o mais próximo de vida humana inteligente que eles conseguiram chegar...

Mãezinha: ASSIM não dá!...
Não dá MESMO!

Carlos Machado Acabado disse...

Ooops! Enganei-me: a Kabardino é Balkária, não "Blakaria", como saíu...
[Agora, se fôssemos todos ingleses---lá chegaremos! Lá chegaremos...
Olhem, para espanhóis já só nos falta uma economia e, se calhar, uma democraciazita, não sei...; mas, dizia eu, se fôssemos ingleses é que podíamos chamar ao Portugal "sucático" para aí uma "Javardino-BLEAKaria", ou coisa parecida: "Bleakaria" de "bleak": "tenebroso", "sombrio, "sinistro", deprimente", etc. e "Javardino" de...
Ná! Não digo que ainda me prendem!...
Que eu sou sarcástico mas não sou parvo!... ]

Daniel disse...

Pelo pedaço que ouvi, pareceu-me que eles não conversaram. Monologaram. O resto será ssim, como é costume. Pois então que monologuem, que eu vou logo para outras coisas.

Fernando Samuel disse...

Eu não fui lá - já não tenho idade para essas coisas...

Um abraço.

samuel disse...

Per tutti:
E eu devia fazer como o Fernando Samuel... ☺ ☺ ☺


Abreijos!