quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Japão e Coreia – Desculpas muito selectivas



Em 1910 o Japão invadiu e anexou a península da Coreia. Só o final da 2ª Guerra Mundial e a rendição do exército imperial japonês pôs fim à ocupação. Durante os 35 anos de colonização os militares nipónicos, como foi seu timbre noutras paragens, como a China, por exemplo, comportaram-se como verdadeiros selvagens, no sentido mais abjecto e violento do termo. Assassinavam por desporto, decapitavam prisioneiros por desfastio, raptavam milhares de jovens mulheres para servirem de “confort women” para os seus soldados, um miserável eufemismo que, na realidade, significava escravas sexuais diariamente violentadas até à morte. Algumas que sobreviveram, ainda hoje estão sob a protecção das Nações Unidas, pois, libertadas que foram dos seus carrascos japoneses, já não tiveram mais lugar, nem com quem viver no seu país. Entretanto, como se sabe, as voltas da vida levaram à divisão da Coreia entre Norte e Sul. É da História.

Mas vamos ao assunto. Seguindo um guião muito em moda nos últimos tempos, tal como o Papa, tal como Obama, etc., etc., também as autoridades governamentais do Japão decidiram pedir perdão publicamente pela actuação das tropas japonesas na Coreia. «Manifesto o meu profundo remorso e minhas sinceras desculpas pelos sofrimentos e danos imensos impostos pelo regime colonial japonês», disse o primeiro ministro Naoto Kan, que acrescentou ainda, «Como vimos com a resistência feroz dos movimentos de independência, o povo da Coreia foi privado da sua nação e cultura, e a sua dignidade, ao mesmo tempo que a sua etnia foi profundamente ferida».

Depois de expressar o seu «profundo remorso», o governante revelou ainda que o seu governo pretende, num futuro próximo, devolver à Coreia muitas das peças e documentos valiosos que roubou durante a ocupação. Fazem muito bem!

Curiosamente, e desculpem-me se estiver a ser picuinhas, o Governo Japonês ao declarar que «O povo da Coreia do Sul foi privado da sua nação e sua cultura, e seu orgulho étnico foi profundamente danificado por um mandato colonial que ia contra a sua vontade»… esqueceu-se, estranhamente, do povo da Coreia do Norte.

Como, evidentemente, não podem aqui estar em causa os tipos de regime político actualmente no poder na Coreia do Sul e na Coreia do Norte, dado que o pedido de desculpas é dirigido ao povo; dado que este mediático gesto nada deve ter que ver com o facto de o Japão ser por aquelas paragens o principal aliado dos EUA e a Coreia do Sul ser, nos dias que correm, uma espécie de grande base militar norte-americana na região… eu, como sou uma boa pessoa, cheio de fé e boa vontade, acredito que o Japão não pediu desculpas ao povo da Coreia do Norte, não por “esquecimento”, mas porque os seus militares, sempre que “passeavam” na zona norte da Península da Coreia, comportavam-se como verdadeiros cavalheiros... não havendo, portanto, qualquer razão para um pedido de desculpas.

Ou então... é uma coisa muito, muito estranha!

18 comentários:

GR disse...

Japão está a solidificar o apoio que pretende. Porém, não está posto de lado a guerra dos assassinos países capitalistas à Coreia do Norte. Espero que nunca o façam.
A Coreia do Norte continua preparada para eventuais interferências ou seja, quererá os EUA começar outra Guerra?, como sempre o tem feito?

Bjs,

GR

Antuã disse...

Tudo de acordo com o Prémio Ignóbel da Paz!

Maria disse...

Excelente post!

Abreijos.

do zambujal disse...

Denúncia muito oportuna e acutilante.
Faz pensar, à nossa escala (em latitude e longitude...) no povo português a norte de Rio Maior!

Um abraço

Suq disse...

Quem pede desculpas pela continuidade do regime da Coreia do Norte?


A China ou a Rússia?


Quem massacra contra ou a favor?

Digam lá Senhores!!!!

samuel disse...

Suq:

Já estou (mais ou menos) habituado a que os seus comentários sejam algo "hermético-misteriosos"... mas mesmo assim... o que é que este seu comentário tem que ver com aquilo que apontei no post? :-)))

Fernando Samuel disse...

É isso: os ocupantes trataram sempre com toda a simpatia os norte-coreanos, pelo que não há razão para qualquer pedido de desculpas...

Um abraço.

Suq disse...

Boa Samuel tanto pinga até que ... )))

Poirot explica:


Quando os regimes sejam eles quais forem têm um leve "rebate de consciência" e encenam um gesto a este nível - algo do passado tem ou deve ser "remodelado" e repensado.

Como ninguém vê iniciativas senão do mesmo bloco alinhado - Big Brother - não sei quem ficará a ganhar mas, os mesmos continuam a perder. Os que defenderam e ficaram reféns dos seus ditadores.
A ditadura agora é outra, todos sabemos disso. Haja alguma resta de dignidade de não pedir desculpas ao tal.
Humildemente peço desculpas a tão honorífico Cantor.

samuel disse...

Ó Suq:

Portanto, tanto quanto me é permitido entender nesta (e em todas) tentativa de linguagem sempre cifrada dos seus comentários, como agora a Coreia do Norte tem um regime político com o qual você não concorda, a consequência lógica é que os invasores japoneses não têm nada que pedir desculpas ao povo pelos crimes que ali praticaram.
É uma opinião! Muito estranha... mas uma opinião...

Quanto às graçolas do tipo "tão honorífico Cantor", espero bem que não comece a ir por aí...

Suq disse...

A ira mata caro Samuel.


Eu não alinho como se depreenderá da minha prosa.

Como sabe aquela Coreia está tal como Irão detentora da Bomba Atómica.

Penso que se a vizinhança chinesa não contemporizasse e usasse o regime para "equilibrar" o xadrez político e militar as coisas mudariam de figura.

O pedido de desculpas ao povo norte-coreano , para mim não se estenderá ao seu ditador, que parece ser mais brutal do que os invasores japoneses. Pelo menos estes há muito que zarparam!

A manipulação de informação entre outras, na Coreia do Norte usaria a seu favor o tão merecido pedido de desculpas.

E, volto a dizer que o povo da Coreia do Norte merece sim o pedido de desculpas, ao contrário do ditador permanente.

O que não vai fica, e o que há à vista está.

Anónimo disse...

Estou de acordo caro Samuel, mas resgisto um certo desdem seu para com os pedidos de desculpa. Infelizmente não estão nada na moda e são sim raríssimos. Um pedido de desculpa revela a humildade de não se reconhecer perfeito, desde que seja sincero. Sobre a sinceridade das pessoas e grupos só sabem os próprios e Deus e por isso a única coisa que deve ficar é o seu registo. Pela minha parte não tenho nenhuma duvida da siceridade dos pedidos de desculpa que este e o anterior Papa efectuaram, iniciando um processo que devia ser muito mais vezes seguido do que na verdade é.

Quanto a este pedido de desculpas do Japão, falha em parte sim, porque deveria ter sido dirigido ao "Povo Coreano", sem distinção entre Norte e Sul, porque o ofendido foi fundamentalmente o Povo e não tanto os seus governantes, aliás tantas vezes "Não representantes" desse mesmo Povo.

Não considerando este Governo Totalitário da Coreia do Norte o legítimo representante do seu Povo . Aliás entendendo que sendo o Povo da Coreia do Norte duas vezes sofredor, primeiro com a referida ocupação Japonesa e agora tendo de suportar uma ditadura, então quando muito merecia ainda mais o pedido de desculpa.

Vejamos se um dia algum comunista, de alguma parte do mundo, pede sinceramente desculpa ao Povo Norte Coreano e todos os muitos Povos que sofreram com os seus ditadores

Pela minha parte registaria esse pedido de desculpa com alegria

Ass:
Pedro Caçorino Dias

Suq disse...

..........................

.............................

Signature
XYZ

Why? Because Samuel knows me

Membro do Povo disse...

Vejam isto:
http://www.youtube.com/watch?v=KOS0_WEuYUU&playnext=1&videos=JzyLmqhF0hI

e isto:
http://www.youtube.com/watch?v=6DQzokgGS7g&playnext=1&videos=sQqZ7ep-ukU

Quem é que se mete com estes gajos? e ainda por cima na terra deles!

Graciete Rietsch disse...

Não concordo com pedidos de desculpa porque nada resolvem e poderão até levar à absolvição de criminosos. E quem está muito preocupado com o povo norte coreano, pode lembrar-se também dos palestinianos, iraquianos, afegãos e tantos outros cujos governantes são apoiados pela "democracia"dos Estados Unidos
e ainda daqueles oue foram desapossados dos seus legítimos governos por golpes apoiados pelos mesmos democráticos Estados Unidos.
Um beijo.

Pedro disse...

Meus senhores indignados e altamente preocupados com a liberdade e democracia do povo norte coreano, deixemos-nos de coisas, estes pedidos de desculpa não surgem porque de repente os carniceiros sentiram um peso na consciência.

Curiosamente, surge até poucos dias depois de, nas homenagens às vítimas de um dos mais bárbaros crimes da história da humanidade que foram ´hiroshima e nagasaki, ter aparecido pela primeira vez um representante dos E.U.A. como forma de alertar para a "necessidade de acabar com o armamento nuclear". Pois é, passados estes anos todos, os representantes deste país até chegaram a conclusão que as armas nucleares, que eles usaram e possuem aos montes, até são capazes de ser perigosas.

Este comentário do Japão foi uma hipocrisia que se insere na sua aliança à Coreia do Sul e aos E.U.A. contra a Coreia do Norte, que poderá ser um bom ponto de partida para os E.U.A. (de súbito preocupadíssimos com o armamento nuclear) iniciarem o saque ao Irão.

Esta gente está-se nas tintas para a liberdade e direitos e humanos dos norte coreanos e iranianos. Estes países têm meios mais que suficientes para travar doenças curáveis e que mesmo assim matam aos milhões em África, porque é que não vão para aí defender os direitos humanos?

Marcus Adriano disse...

Não somente a coreia,como também a china sofreu opressão da parte destes malditos japonesês.Uma especee de raça que não poderiam ser chamados de seres-humanos.Quando vejo o que fizeram ao povo Chinês,eu sinto nojo destes tais japoneses.Tem ate fotos mostrando soudado japonês secepando cabeças de chineses civis mortos,entre outrtas atrocidades.

Anti-Comunista de Plantão disse...

Samuel e que tal se fosses apanhar no cu?

samuel disse...

anti-comunista de plantão...

Reconheço que é muito simpático e educado oferecer-se aquilo de que se gosta, como faz... mas não estou interessado.
Obrigado, de qualquer modo!