quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Barack Obama - Ainda o Nobel... mas apenas porque o senhor Thorbjoern Jagland perguntou



Para dizer a verdade, não é só por o senhor Thorbjoer ter perguntado, que volto ao Nobel de Obama, mas também pelo ridículo artigo de Mário Soares, no DN (de que tomei conhecimento num excelente texto do "Cravo de Abril"), em que a notícia sobre o prémio é classificada como "um raio de luz que subitamente caiu e iluminou o mundo inteiro"... ou algo assim igualmente ridículo de tão baboso.

Habituados (mal!) a que as suas escolhas (mais amuo menos amuo) sejam acolhidas em clima de festa, os elementos do Comité Nobel estão algo incomodados com a natural estranheza que o Nobel da Paz atribuído a Obama causou no mundo inteiro. Mesmo admitindo a boa intenção de Barack Obama em relação a alguns dos imensos problemas que herdou, a crua verdade é que até agora pouco fez a não ser falar sobre eles. Falar muito bem, admitamos... mas apenas falar.

Em particular um dos elementos, o senhor Thorbjoern Jagland, antigo Primeiro Ministro da Noruega e recentemente eleito secretário-geral do Conselho da Europa, reagiu mal à contestação e num tom algo provocatório, pergunta se “alguém, no ano que passou, fez mais pela paz do que Barack Obama”. A resposta, infelizmente, é fácil:

Sim! As vítimas das bombas de Obama, no Iraque ou no Afeganistão. As vítimas das bombas, das balas e da repressão dos aliados e protegidos de Obama, na Faixa de Gaza, na Colômbia, nas Honduras... ou onde quer que seja, num rasto de morte que varre o globo, passando por todos os lugares que já disse, mais os que não disse, até chegar ao Chile, Vietname, Coreia, Nagazaki e Hiroshima… até aos escravos negros e ao extermínio dos índios americanos, no limite.

Sim! Os prisioneiros de Guantanamo, Abu Grahib e de outras prisões secretas, em vários países, alguns europeus, encarcerados há anos, sem acusação formal e indiscriminadamente sujeitos a tortura.

Sim! As gerações de crianças cubanas condenadas pelo bloqueio dos EUA a uma vida de dificuldades desnecessárias e injustificadas, pelas várias Administrações da Casa Branca, desde há mais de quarenta anos... incluindo a Administração Obama.

Sim! Os milhões de vítimas, deslocados e refugiados, crianças, mulheres e homens que é preciso abater ano após ano, como animais, ou simplesmente afastar do caminho, para que o caudaloso rio de dinheiro gerado pela indústria de armamento americana continue a fluir livremente. Para que os diamantes brilhem. Para que o petróleo jorre.

O seu testemunho trágico e a denúncia mundial do seu sacrifício constitui o melhor alerta para despertar consciências, para que se lute efectivamente pela Paz.

Muita gente deposita esperança, em alguns casos algo desmesurada, nas intenções de mudança apregoadas por Obama em vários e belos discursos. Também eu, no fundo, gostaria de estar enganado na minha desconfiança e ver toda essa esperança colectiva largamente recompensada. Infelizmente, apropriando-me de uma ideia do poeta José Gomes Ferreira (se não estou em erro), o homem está, por enquanto, apenas a tentar convencer-nos de que vai conseguir fazer um edifício novo, revolvendo e virando do avesso os tijolos já podres do edifício velho.

10 comentários:

Maria disse...

Excelente post!
Já não tenho paciência para meras 'intenções'... quero trabalho feito!

Abreijos

Antuã disse...

Soares é tão execrável como o prémio.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Uma vergonha internacional, que ofende milhões de pessoas.
Que fez já este "recém eleito" Presidente Americano em prol da Paz no Mundo, para merecer tão distinto galardão?.
Uma pura conveniência de imagem dada ao presidente citado, por alguém que deveria ter mais rigor na atribuição do mesmo.

Hilário disse...

O imperialismo a tentar esconder a sua verdadeira face.

É uma vergonha!

Um abraço

Luis Nogueira disse...

Quanto ao Soares, haja piedade, irmãos. O homem abeira-se do cretinismo... desde que nasceu, não há nada a fazer.
Quanto ao Nobel para o fala-barato do Obama. Filhos, é o mesmo que dar o Nobel da Literatura ao Lobo Antunes com a poromessa de que ele venha a escrever um livro de jeito.

Quisses

Luis Nogueira

Catsone disse...

Muitos parabéns pelo texto. Eu até gostaria de publicar algo sobre o nobel de Obama, mas ficaria aquém desta tua visão.
Nem valia a pena acrescentares o facto de que pondera (se é que já não está confirmado) o envio de mais 40.000 soldados para o Afeganistão.
Concordo em parte com a frase do Sr.Thorbjoern Jagland, muito pouca gente tem feito algo pela paz no mundo... ou talvez esteja muito pouco publicitado ;)

Quanto à Cuba e o bloqueio, tens que fazer um "refresh" pois os EUA "permitirão" a chegada da fibra óptima à maléfica ilha... iupi!

Fernando Samuel disse...

Das intenções de mudança à mudança de facto, vai... um Nobel da Paz...

Um abraço.

MA disse...

Excelente post!

Miguel Botelho disse...

Obama é o representante do poder industrial militar dos Estados Unidos da América, o maior perigo para a paz mundial.

Nem todos comentaram a última notícia da NASA (representante do Pentágono) de fazer explodir uma arma na Lua, para comprovar a existência de água naquele satélite.

Bastou à NASA dizer que o tinha feito e a comunicação social apresentou este facto como verdadeiro, sem motivo para investigação ou até mesmo debate.

O mesmo se passa com as comemorações dos 40 anos da chegada do primeiro homem à Lua. Os investigadores, como Gerhard Wisnewski, no seu excelente livro "One Small Step?" comprovam as falsidades fotográficas deste facto.

Na própria conferência de imprensa dada por Neil Armstrong, é patente o nervosismo do astronauta quando confrontado pela pergunta de um jornalista, se alguma vez tinha visto estrelas da Lua. Na conferência, Armstrong, pressionado pelo seu superior não admitiu ter visto estrelas. Mais tarde, no seu livro, admitiu o contrário.

A "dita" conquista lunar foi mais um passo na tentativa de conquista planetária.

samuel disse...

Per tutti:
Entretanto já passaram uns dias... e o "incentivo" ainda não produziu grandes efeitos... :-)))


Abreijos gerais!