quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Liberdade de Imprensa


(Ardina e vendedor de capilé - Praça do Comércio, 1908 - Fotografia de Joshua Benoliel)

Numa nocturna andança de automóvel, ontem à noite, acabei por apanhar três dos serviços de notícias de hora a hora da Antena 1. Fotocópias uns dos outros, lidos por “locutores/jornalistas” que numa rádio de qualquer país normal seriam imediatamente tirados “do ar”, tal a profusão de “aaammmms” e “huuuummms”, que tornam as leituras absolutamente insuportáveis.

Mesmo assim consegui entender que Cavaco Silva declinou educadamente o convite para ir ao “Gato fedorento”, que a PJ prendeu uns cidadãos de países de leste armados e violentos, que na Academia Militar não sei bem o quê, já que uma parte da explicação foi dada pelo Sr. Procurador Geral da República e aí é que não se entende mesmo uma palavra que seja... e finalmente o prato forte:

Segundo os Repórteres sem Fronteiras, Portugal, que no ano passado estava classificado em 16º lugar num ranking de 175 países, no que toca à liberdade de imprensa, caiu este ano para 30ª posição. “Agora vão elaborar a coisa um bocadinho”, pensei eu... mas não. Passa para o desporto... temperaturas do ar no Porto, Lisboa, Faro e Amesterdão... adeus!

Chegado a casa, ala para a net, que aí esclarece-se o assunto. Depois de várias tentativas, como se pode ver aqui, aqui, aqui, ou ainda aqui, o máximo que consegui foi uma ténue explicação para a subida no ranking de um ou dois países. Sobre o trambolhão de Portugal, sobre as causas, alguma razão ou razões que o tenham provocado, nada, nem uma palavra!

E pronto. Sobre as subidas e descidas da liberdade do nosso jornalismo fiquei “esclarecidíssimo”. Agora sobre a qualidade do dito jornalismo é que eu gostaria de ver uma tabela, um ranking, qualquer coisa, sei lá...

9 comentários:

Maria disse...

Já tínhamos percebido, até porque as campanhas deram disso conta.
Não deixa de ser preocupante...

Abreijos

alex campos disse...

Não deve haver necessidade de ranking porque os nossos órgãos de comunicação são todos muito bons, portanto devem estar ex-aequo em primeiro lugar. Pudera, também estão todos em "boas mãos".

um abraço

Antuã disse...

Qualidade, o que é isso?!... Aqui só há excelência de ignorância.

do zambujal disse...

É só descer.
Quando não em absoluto, isto é, em queda... livre, relativamente aos que sobem mais do que nós.
E "eles" todos contentinhos, como dizia o O´Neil, com a alegria contentinha.

Um abraço

Fernando Samuel disse...

Se calhar não foi Portugal que desceu mas a liberdade de imprensa que subiu...

Um abraço.

atento disse...

(Salvaguardando a sua condução)
Para conduzir as ovelhas basta um pastor e um cão.

Retalhista disse...

Pois... se calhar o facto de não encontrar a(s) explicação(ões) é por si só revelador! Quem sabe se a imprensa não foi impedida, por entidades "superiores" de as revelar...

Anónimo disse...

O rei vai nu...
De tanto apoiarem governo e patronato nas críticas aos trabalhadores de outros sectores, virou-se o feitiço contra o feiticeiro, e alguém os põe no devido lugar.
Mas lá que há bons Jornalistas,lá isso há, o problema é que esses não se vergam ao poder,seja lá ele qual fôr, e por isso continuam na prateleira.

samuel disse...

Per tutti:
Acredito que melhores dias virão!


Abreijos colectivos!