terça-feira, 27 de outubro de 2009

José Rodrigues dos Santos - Fífia "divina"




Alguns dos nossos amigos, mais a Norte, na sua imensa colecção de frases magníficas (logo a começar pelo som com que as dizem), pontuadas pelas famosíssimas “vírgulas” que lhes dão um sabor especial... mas que não são para todos os ouvidos, têm uma de que gosto muito: “Aquilo bende-se como esterco!”

Assenta como uma luva nesta notícia que nos dá conta do lançamento do mais recente livro de José Rodrigues dos Santos, “Fúria divina”, que a crer no marketing da coisa, trata da possibilidade da Al Qaeda conseguir construir uma bomba nuclear. Ao que parece, em quarenta e oito horas esgotou a primeira edição, num total de 50.000 exemplares.

Tanto se me dá! Por mim até pode vender mais que o Harry Potter. O que me chamou a atenção foi uma das declarações do autor, não sei se durante o lançamento da obra, se directamente ao CM: “A haver um atentado não vai ser aqui. Portanto, os portugueses podem ficar tranquilos.”

Mesmo sabendo da inclinação de muitos portugueses para esse grande princípio internacionalista e solidário “Com o mal dos outros posso eu bem!”, quem raio é que no seu perfeito estado de lucidez diz uma barbaridade destas a propósito de um hipotético atentado envolvendo uma bomba atómica? A partir de quantos milhares de vítimas, mesmo de outro país, é que os portugueses devem começar a ficar menos "tranquilos", vá lá... incomodados, ou no limite, impressionados?

Organizemo-nos! Dado que a bomba para além de “aqui”, também não poderá cair em New York, New Bedford, Toronto, Montreal, Caracas, Hamburgo, Genève, Bruxelas, Paris, etc, etc, etc, etc... tudo locais onde vivem mais portugueses do que em muitas das vilas e até cidades de Portugal... rais’parta se os operativos da Al Qaeda não vão acabar por ter que atentar contra os seus próprios países, ou então... África.

Mas mesmo assim... ele há portugueses por todo o lado. Não há é pachorra!

12 comentários:

Anónimo disse...

Talvez algum fundamentalista pegue no José Rodrigues dos Santos e lhe enfie uma bomba atómica num sítio que eu cá sei...

Luis Nogueira disse...

...Mas com vaselina, p.f. O rapaz é tonto, mas não é mau. Até há quem o leia! (são os gajos que não leem a Bíblia, ah! ah! ah!)

Luis Nogueira

Miguel Botelho disse...

Samuel,

Gostei muito da sua peça, mas creio que estamos a escapar ao problema fundamental deste tema. Onde estão as armas nucleares mais perigosas e mais perto de Portugal, capazes de provocar uma explosão mil vezes maior do que aquela que vimos acontecer em Hiroshima?

Depois, onde vai este "possível" escritor arranjar tempo para escrever obras de êxito nacional, quando sabemos que passa a maior parte do seu tempo a compor peças jornalisticas medíocres, como por exemplo esta que eu ouvi: "Afinal, existe uma cura para a SIDA. Chama-se azeite!"

A literatura é uma arte e tanto tem de original, como de fraude.

Um abraço

Maria disse...

Finalmente mais uma razão mais que válida para eu não ler o CM.
Não há pachorra, mesmo...
(será que o JRS tem contactos com a al-qaeda para saber quando e onde lançarão a dita bomba?)
Que cena...

Abreijos

Fernando Samuel disse...

Este rapaz vai longe - dir-se-ia que está fadado para isso...

Um abraço.

UdL disse...

Lol fantástico. Sempre oportuno e pertinente nas críticas!

Cumprimentos de um leitor assíduo

Miguel Jeri disse...

Pegando em mais um dito popular, "pimenta no cu dos outros para mim é refresco". Não sei se é do Norte, se do Sul, mas cheira-me que foi inventado por um tataravô do nosso amigo :)

Aristides disse...

Não li e não gostei.
Abraço

samuel disse...

Per tutti:
Pronto... já vi que escolhi um autor que não é do agrado geral... peço desculpa! ☺ ☺


Saludos variados!

Antuã disse...

Só lerei José Rodrigues dos Santos quando este souber português.

Luis Nogueira disse...

A mim já me deram o livro, mas eu prometo: nem leio nem empresto.
Acho que o Botelho pôs o dedo na ferida. Não é o Zézé Santos que escreve os livros. Deve ter um "negro" qualquer a trabalhar para ele, quase que apostava. O tipo dá o tema e o "negro" escreve. Ou será que aquilo é tão mau que nenhum "negro" era capaz, mesmo esforçando-se, de o escrever? A mim o que me disseram - infelizes que foram capazes de tomar o xarope - foi que o Zézé é completamente obcecado por mamas. Mamas grandes. Até há lá na RTP quem lhe chame o Zé Mamas. Enfim, marfim...

Luis Nogueira

samuel disse...

Antuã:
Estás então disposto a esperar um bom pedaço...

Luís Nogueira:
Grande sorte... da Jane Birkin, Charlotte Rampling...


Saludos!