sábado, 24 de outubro de 2009

Rita Rato - "O dia da unidade" *





Andou uma tremenda animação na blogosfera, chamemos-lhe assim, política. Foi a grande coligação de toda a direita, aquela espécie de zona de ninguém, algo indefinida, do PS e alguma esquerda (que alguns erradamente ainda chamam extrema), a propósito, imagine-se, da jovem deputada do PCP, Rita Rato.

Se a Rita sonhava ter uma entrada na vida parlamentar, recheada de gestos simpáticos, educação e lealdade, desenganou-se rapidamente. A direcção do Correio da Manhã encarregou um dos seus empregados com jeito para, vá lá... escrever, de montar uma provocação à deputada estreante. Enquanto esta pensava, ingenuamente, que o suplemento (“Domingo”) do jornal estaria interessado apenas na sua história, projectos pessoais e políticos, gostos pessoais, opiniões sobre a situação política portuguesa, sobretudo em relação à juventude que ela, de certa forma representa... o plano do Correio da Manhã não era bem esse. O grande suplemento domingueiro que fica caído por aí, atrás das cadeiras das tascas e que praticamente ninguém lê, estava interessado em rankings de partidos partidos, em saber dos “Gulags”, de presos na China...

A Rita Rato podia ter feito várias coisas. Podia (por absurdo) ter dito que apoiava tudo aquilo... e seria crucificada. Podia (igualmente por absurdo) ter negado tudo aquilo... e seria crucificada. Podia ter respondido “à séria” a tudo aquilo, condenando o que é condenável, mas apenas isso, defendendo o que é importante defender, e há muito para defender, como ela (e muito bem) ainda tentou dizer. Não teve uma chance que fosse. A emboscada estava montada e perante o metralhar de perguntas sobre os mesmos assuntos, optou, erradamente (na minha opinião), por fugir às respostas. Das várias razões que poderia ter dado para não responder, nomeadamente a impossibilidade de naquelas condições o fazer de forma fundamentada e aprofundada (ainda tentou essa linha...), acabou por escolher a pior de todas: o desconhecimento. E claro, foi crucificada! Colocou-se no pior lugar. Um lugar onde ficou à mercê das pancadas vindas de todo o lado.

Da extrema direita e da direita em geral, apanha com as boçalidades do costume, acrescidas das apreciações abjectas sobre se fisicamente é assim ou assado, sobre “o que lhe faziam a ela e mais a todos os comunas”... o espectáculo normal que esta gente dá sempre que vai buscar as botas cardadas, para continuar o trabalho que já faziam os seus pais, na pide e no regime fascista em geral. Tudo normal, é o que se espera deles!

Da área do PS, com caceteiros e anticomunistas demenciais do calibre de um João Tunes à frente, ou uma hiperactiva anticomunista como Ana Vidigal, entre tantos outros, é igualmente um fartar vilanagem, “como é que uma ignorante chega a deputada”, ou “como é que conseguiu tirar um curso superior”, são apenas alguns dos mimos, como se acreditassem por um segundo no que estão a dizer, como se isto vingasse de alguma forma tudo o que tiveram que engolir sobre a carreira académica e o diploma de fancaria do seu chefe. Embora lamentável... também tudo normal, já pouco mais se espera de muitos deles!

Espantoso, no entanto, é ver o à-vontade com que alguns militantes e dirigentes do Bloco de Esquerda enchem páginas de blogues (e caixas de comentários), exactamente com os mesmos argumentos, vozearia e até a mesmíssima baixa educação dos seus “camaradas” de cruzada, cavalgando triunfantes esta oportunidade de fazer aquilo que é a razão da existência de tantos deles: atacar e denegrir o PCP e todos os que lhe são próximos por todos os meios ao seu alcance, tarefa que vêm prosseguindo, sem descanso, há muitos e muitos anos.

Convém aqui realçar a estranheza e franca oposição de muitos militantes e simpatizantes do BE a esta atitude de alguns dos seus dirigentes e camaradas mais antigos, atitude que já começam a ver como uma espécie de doença ou fixação. Essa crescente estranheza e oposição está bem patente em numerosos comentários que fui lendo.

Perguntar-se-á então, porque razão farão esses dirigentes e militantes do Bloco uma coisa destas?

Primeiro, porque podem! Vivemos numa democracia em que podem falar livremente, liberdade essa que muitos dos militantes comunistas que repetidamente insultam, ajudaram heroicamente a conquistar.

Segundo, porque por qualquer razão que só o capital que detém os grandes meios de comunicação social saberá e que um dia talvez saibamos todos, os jovens deputados e jovens deputadas do Bloco de Esquerda, sejam bonitos ou feios, vivem na santa paz e tranquilidade de saber que em nenhuma ocasião em que ponham o pé na rua, poderão alguma vez passar pela situação de ver um microfone espetado na cara, com uma espécie de jornalista a segurá-lo e a perguntar-lhes agressivamente, “Então e o Mao Zedong e os seus crimes?”, ou “Então e a nojeira da Revolução Cultural?”, ou “Então e que me diz da realidade trágico-ridícula da Albânia de Enver Hoxha?”, ou o prato forte, “O que é que tem a dizer sobre os milhões de assassinados por Pol Pot no Camboja?”... tudo realidades que vários dos dirigentes do BE alegremente apoiaram e que nunca vimos claramente que deixassem de apoiar.

Desta vez, depois do lixo que li por aí, e ao contrário do que tem acontecido sempre que toco em algum cabelo bloquista, espero não ter muitas queixas, nem ser trucidado pelos do costume.

Àqueles simpatizantes do BE que nos outros blogs também, como eu, não concordaram com o que por lá se escreveu, argumentando (e bem) que está mais que na hora de deixarem de eleger o PCP como inimigo principal (a inversa também é válida!), entendo que não gostem deste post, mas não sendo este, como facilmente se pode ver, um dos blogues da área da CDU que se “ocupe” muito do Bloco de Esquerda... há alturas em que “o que tem que ser”... Para esses (e os outros, pronto!) um abraço... e melhores, mais esclarecidos e leais dias virão!

Para a Rita Rato, um grande abraço solidário e votos de excelente trabalho!

* "O dia da Unidade" - Canção de José Afonso, do disco "Com as minhas tamanquinhas"


Dia da Unidade - Zeca Afonso

32 comentários:

salvoconduto disse...

Dá para ver que te chegou a mostarda ao nariz. Para esses "alguns" que referes já perdi a paciência há muito, se bem reparares aproveitam tudo. É como o porco lá no meu blogue. A escola é a mesma...

Quanto à Rita espero que tenha aprendido a lição e se não estiver para provocações pelo menos que os mande à merda.

Bom fim de semana.

Carlos Machado Acabado disse...

Há uma coisa que eu não entendo, francamente!
Por que carga de água se pretende sempre "julgar" um partido político PORTUGUÊS, de HOJE, "colando-lhe" toda uma série de perversidades, reais e/ou imaginárias (reais, umas; imaginárias, outras) praticadas por um OUTRO partido político, NOUTRO tempo histórico que, de resto, já não é definitivamene o nosso.
Que diabo!
Onde está o Gulag de Almada, por exemplo, cuja Câmara é, como se sabe, CDU?
Na Cova do Vapor?
Na Trafariogrado?
Onde estão os presos políticos do Seixal?
Encerrados todos no Moinho de Maré?
Bolas!
A História muda.
A filosofia (e a praxis) marxistas configuram basicamente uma teoria da História: mudam naturalmente com ela, contribuindo, de passo, para essa mesma mudança.
Mas não são uma "religião revelada", que raio!...
O processo pressupõe erros e evolução na fidelidade, é certo, a um código básico de princípios de interpretação da realidade onde, todavia, a exacção e a injustiça como tal estão longe de constar como pressuposto necessário!
Claro que seria ingenuidade acreditar que, EM CASO ALGUM, existirão---exactamente porque o marxismo é uma realidade humana.
Agora, condenar a priori TODO E QUALQUER projecto teórico envolvendo na base a visão marxista da História e da realidade fazendo-o sempre através da referenciação acrítica e mecânica do mesmo aos excessos e trágicos erros (crimes, desvios grosseiros) do estalinismo equivale a julgar, por exemplo, TODO O capitalismo pelas formas de gestão das economias e das sociedades em geral que ele assumiu em diversos países da Europa (Itália, Alemanha, Hungria, Roménia e até Portugal) e do mundo em geral (o Japão) nos anos 20 e 30 do século XX ou com a "leitura" que dele fez um Pinochet, ainda recentemente.
Por muito que não se goste especialmente das sociedades nas quais o capitalismo é rei, seria um erro grosseiro (e uma tremenda injustiça!) não ver que o modo como o grande capital financeiro alemão julgou ter encontrado o paradigma perfeito de auto-realização neses mesmos anos 20 e 0 é, apesar de tudo, substancialmente distinto do modo como ele, tendo sobrevivido incólume ao fim da guerra e das ditaduras, ele pretende hoje impor-se.
Aliás, a visão marxista da realidade passa centralmente por aí, por essa capacidade teórica básica de perceber que a realidade não está fixa, não é imóvel---pelo contrário: muda assim como muda o olhar que sobre ela deve naturalmente ser lançado.
É isso o pensar dialéctico, é esse o olhar marxista...
...que começa, como disse, por perceber que nem todo o capitalismo é necessária e formalmente fascista nem todo o marxismo é sinónimo de estalinismo.
Que raio!
Já não há pachorra para "leituras" desta natureza quando basta ver o que se passa nos municípios (e ainda são alguns!...) onde existe uma liderança onde o Partido Comunista Português é parte constitutiva maioritária!

Miguel Madeira disse...

"ou o prato forte, “O que é que tem a dizer sobre os milhões de assassinados por Pol Pot no Camboja?”... tudo realidades que vários dos dirigentes do BE alegremente apoiaram e que nunca vimos claramente que deixassem de apoiar."

Que dirigentes do BE apoiaram Pol Pot?

Malhador disse...

Samuel, parece ter descoberto só agora que agredir incessantemente os "paroquianos" de outros credos ou defensores de caminhos menos radicais é obra de gente maldosa! Só é pena que tal atitude não o impressione quando exercida por si e camaradas, coisa que fazem permanentemente.
Pois é, desancar é bom, excepto quando as costas são nossas....
Não conheço as "armadilhas" aplicadas à radiosa rapariga nem as aflicções em que se viu e não morro de amores pelo CM, mas aposto que vindo donde vem, raspanete encaixado lá no partido, sabatina aplicada, estará a debitar a cassete não tarda!
E ser bonita só pode ser uma vantagem: A máquina humaniza-se e mesmo que saia cassete fica a paisagem.

Anónimo disse...

Há normalmente uma grande incapacidade de discutir uma ideia. Fartei-me disso nos tempos "quentes". Falava-se de um desvio soviético, e o interlocutor respondia com os EUA; dava-se uma nicadela na América, e o interlocutor (outro, claro) atirava com a URSS.
Ou então recua-se séculos. Por exemplo, para atacar a Igreja, se no presente não se vêem argumentos suficientes...
Daniel

alex campos disse...

Que dirigentes do BE apoiaram Pol Pot?
Os partidos que lhe deram origem sempre apoiaram tudo o que cheirasse a anti-comunismo e a anti-PCP. Eram maoístas, trotskistas, apoiavam o Enver Hoxa. Aquilo agora é uma amálgama que ninguém já entende quem é quem, mas lá vão cumprindo o seu papel.

um abraço

Pisca disse...

Como já ando mais que farto destes peditórios, leia-se CM e por arrasto, ou arrastão, aqui vai o que lhes disse lá no sitio.

- Esta rapaziada do BE, tem uns fulanos que me fazem lembrar “os rafeiros” fixados nas rodas dos automóveis, neste caso é o PCP
Assim que passa um, ou algo, aí vão eles a correr atrás a “ladrar”, o pior de tudo é que se conseguem meter o dente, acabam às cambalhotas mas não largam a presa, a roda ou o assunto
de facto o Zé faz falta -

Conheço essas peças de gingeira, prefiro o emplastro da tv

do zambujal disse...

A luta de classes, meus amigos (excluo, obviamente, o anonimo escondido atrás do sugestivo heterónimo de Malhador), a luta de classes, os palhaços, os faz-tudo, o coro dos des/en/graçados.
temos de ter calma, Samuel (e Rita), muita calma e paciência... que é revolucionária. "Eles" não nos podem perturbar.

Abraços

Justine disse...

Meios de comunicação social=pelourinhos da actualidade!
Que vergonha...

Fernando Samuel disse...

Por razões óbvias, os militantes comunistas e o seu Partido, são sempre alvos preferenciais da permanente ofensiva do capitalismo dominante - quer quando este adopta a modalidade de regime fascista, quer quando se enfeita de democracia burguesa.
Responder a essa ofensiva, numa situação em que a desproporção de meios é colossal - e o vale-tudo é rei - não é fácil, como o teu excelente post confirma...

Nos anos 40, Álvaro Cunhal escreveu um texto notável, intitulado «SE FORES PRESO, CAMARADA», no qual alertava para as muitas e perigosas armadilhas a que qualquer comunista, preso pela PIDE, estava sujeito.
Trinta anos depois, Mário Castrim retomou a ideia, adaptando-a às circunstâncias do momento e escreveu um outro alerta: «Se FORES À TELEVISÃO, CAMARADA»...

Estes dois textos, na sua complementaridade,explicam muita coisa...

Um abraço.

Fábrica de Letras disse...

Nós somos a Fábrica de Letras.
Estamos a iniciar um projecto de blogagens colectivas.
Pretendemos que os bloguers portugueses possam interagir e dar-se a conhecer.
No dia 1 de cada mês, a Fábrica de Letras lançará um tema. Para participar basta escrever um texto sobre o tema proposto e inscrever-se no link que estará à disposição no blog, no dia 15 de cada mês.
Podem ser usados textos,poemas, contos, fotos ou vídeos. Participa, divulga!

Luis Nogueira disse...

O "Malhador" (Nome? Pseudónimo? Nome de Rotweiler de estimação?...) deve andar à lebre, a ver se aveza chelpa. Por lá é sócio da adivinhoa Maya.
De acordíssimo do o do Zambujal: calma, companheiros, toda a calma. E tenham sentido de que as pulgas, percevejos e carrapatos, são piores do que as balas para os leões. A insectos não se responde, vai-se-lhe com DDT.

Luis Nogueira

Hilário disse...

Os esquerdistas sempre trabalharam numa prespectiva do bota abaixo em relação ao PCP.Nós conhecemos muito bem a escola desses rapazes, nomeadamente a do biato salu e dos seus acompanhantes.

Quanto á Rita, dizer que é preciso ter muita calma e ainda tem muito para dar não só ao seu partido como também ao nosso povo.

A luta continua!

Um Abraço

Nelson Ricardo disse...

Estes e estas anti-comunistas de cartilha bem poderiam estar num hall of fame ao lado de um qualquer presidente Hindeburg que entregou a Alemanha ao Partido Nazi com medo de uma revolução comunista ou o (antigo) Partido Socialista e Partido Republicano em Portugal que andaram de mãos dadas com a classe de generais, burgueses e políticos que levaram a cabo o golpe militar de 1926 e mais tarde desenvolveu-se em regime fascista.

A esses "democratas" deve-se responder com um lema muito popular no Chile por altura de Allende.

«Basta de conciliar. É a hora de lutar!»

Tiago R. disse...

No fundo, a resposta da Rita foi mesmo a mais honesta.
É difícil poder afirmar que se "conhece" em profundidade esse período da história soviética e acredito que a Rita, tal como eu, tal como tantos de nós, tenha sobre o assunto apenas algumas balizas temporais e algumas noções de acontecimentos. Se não sabe, não tem que fingir que sabe e muito menos fingir que é uma coisa relevante, porque efectivamente não é.

Quanto aos que andam por aí a clamar contra a dita "ignorância" dos parlamentares, convém lembrar que muitas vezes esse hábito de cuspir para o ar tem as lamentáveis consequências que se sabe...

Abraço

samuel disse...

Salvoconduto:
Já passou...
O porco do teu blog está excelente... e porco.

Acarlos Machado Acabado:
Exactamente! Que diabo! Que raio! Bolas! ☺ ☺

Miguel Madeira:
Posso realmente não ter sido claro em relação ao Pol Pot a que me referia. É aquele Pol Pot, dirigente dos Khmer Vermelhos, no Camboja... (foi há bastantes anos!) tudo o que era pessoal da UDP, PCP(R) e maoistas sortidos em geral, batia-lhe imensas palmas, mais à Revolução Cultural, mais à Albânia... se toda essa gente não chegou a dirigente do BE, a culpa não é minha! Mas alguns terão chegado, não? ☺ ☺ ☺ ☺

Malhador:
Pois.

Daniel:
É um hábito infeliz... que se há-de ir perdendo, espero.

Alex Campos:
Não têm passado...

Pisca:
Tem UNS fulanos, dizes bem! Infelizmente, são quem dá mais nas vistas... mas é assim em todo o lado. ☺

Do Zambujal:
Excelente conselho!

Justine:
Nem mais!

Fernando Samuel:
Realmente, estes meios de comunicação apenas parecem mais civilizados dos que os antigos “métodos de comunicação”...

Fabrica de Letras:
Boa ideia!

Luís Nogueira:
… caracóis, bichos móis, morcegos, pássaros negros, trambolas, galinholas, perdizes, codornizes, cartaxos e pardais, cucos, milharucos, cada vez há mais!

Imagino que não quererias lembrar-me o Trio Odemira… mas agora já está! ☺ ☺ ☺

Hilário:
A Rita tem muito tempo…

Nelson Ricardo:
É sempre!

Tiago R.:
Tudo pode ser relevante… não tem é que ser, forçosamente, no sentido que “eles” querem…



Saludos gerais!

Malhador disse...

Luis Nogueira:
Não percebi nada mas tens razão, vai-te a eles com o DDT!

do Zambujal, conhecido filósofo que detesta anónimos:
Fique ofendidíssimo por me excluires dos amigos da luta de classes à la CDU. Por outro lado agradeço-te imenso, podes ainda ser mais bronco do que pareces.

Alex Campos:
Tens toda a razão em pôr-te a pau com os gajos que jogam em Bloco, aquilo é malta para cair depois de arrastar o Hotel Vitória e desmanchar-vos o penteado!

Rita, sortuda. Os maus começos são bom sinal em miúdas da tua idade: Aprendem-se umas coisas e tens muito tempo à tua frente para perceber que o muro caíu por outras razões que não a traqueza do cimento armado.

Cumprimentos, só pra ti(à condição..)

samuel disse...

Malhador:
Pois.

Anónimo disse...

SE alguem que foi eleita deputada do PCP, não consegue dizer alto e bom som que condena os Gulags, que na China não há liberdade,e isso ainda consegue merecer o apoio do Samuel, e pelos vistos de muita gente do PCP.

Então só posso entender que essa é a posição oficial do PCP, e a veemente defesa da Liberdade Sindical, dos direitos dos trabalhadores, da liberdade de opinião, que o PCP tanto apregoa, são válidos só para Portugal, os ditos partidos irmãos, podem mandar todas essas TRETAS, pela borda fora.

E dizia o Marx; Proletários de Todos os Paises Uni-vos....

samuel disse...

Anónimo:
Nada disso estava em causa neste post, se não é surdo já ouviu muitas vezes condenações desses erros... mas de qualquer maneira, na realidade você apenas queria um pretexto para escrever o segundo parágrafo. Ou não? :-)

Saludos!

Miguel Jeri disse...

Da direita era o que se esperava, com comnetários verdadeiramente absurdos, muitos deles insultuosos, na blogosfera. Da esquerda, particularmente do BE, confirma-se como o seu discurso muda depois das eleções, voltando ao anticomunismo com que nos habituaram alguns (não todos) dos blogs da sua área. Durante e antes das eleições parecem muito de esquerda e muito dados a entendimentos com os comunistas, durante o resto da legislatura fazem um coro demasiado afinado com a direita. Rui Tavares lembrou-nos isso há uns dias. De qualquer forma não concordo com alguma da argumentação feita (por exemplo não opinar porque não é chinesa), mas tudo isso é secundário às intenções tão claramente provocatórias do Correio da Manhã. O objectivo da direcção do CM estava traçado e era para ser cumprido, desse por onde desse. Bem, adiante e êxito para esta legislatura.

zemanel disse...

A semana passada tive a ocasião de ver a prestação da Rita Rato num programa para jovens da TVI24. A prestação da jovem deputada nesse programa explica o nervosismo de muita gente: desconfio que temos... MULHER!

duarte disse...

QUANDO É QUE SE ACABAM COM OS EXTREMISMOS?
TEMOS DE UMA VEZ POR TODAS, ENTENDER O PRESENTE...PARA QUE HAJA FUTURO.
e já agora, tenho muitos jornais que me dão imenso jeito.......................... para acender a lareira.
parabéns à rita.
e samuel, música a preceito.

Anónimo disse...

Conheço a Rita de dois dedos de conversa na festa e de duas intervenções dela em debates que assisti, e realmente mete medo, mete medo uma pessoa que conhece a realidade o país em que vive, mete medo uma pessoa que conhece os problemas reais, os problemas dos trabalhadores, dos jovens, das populações, e que não tem medo de lutar por eles, de estar humildemente ao lado das pessoas. Mete medo que o mito antigo do partido dos velhos esteja a ser completamente mandado ao ar por jovens competentes, inteligentes, com conhecimento o mundo real e ainda por cima raparigas giras e rapazes bem parecidos.

LAM disse...

Não conheço a Rita de lado nenhum e muito francamente só ouvi falar dela na net a propósito da tal entrevista referida aqui pelo Samuel.

Pelo que vejo (a imagem) e entretanto soube, é uma jovem e porventura não teve a elasticidade (chamemos assim) suficiente quando foi abordada pelo tal jornalista do CM.
O que é facto, apesar de todas as desculpas que a sua falta de prática e juventude podem relevar, é que não se saiu nada bem. Isto independentemente do seu brilhantismo futuro que, como diria Saramago e o padre Carreira das Neves, a Deus pertence.

Entretanto e até lá, é a vida. A menina não esteve bem e como qualquer outro deputado (e sublinho que a menina é deputada, não é uma simples militante ou simpatizante cuja opinião foi "apanhada" à saída de um comício-festa), os seus deslizes ou brancas de opinião são esmiuçados como aconteceria a qualquer deputado de qualquer partido. E aí penso que a CDU ou o PCP não quereriam que os seus eleitos gozassem de estatuto especial. Penso eu.

Malhador disse...

Samuel:
Pois.
Mas nem que te disfarces de Pinto da Costa consegues iludir os factos apontados aí atrás por um anónimo: Alguém com aquela idade, com o valor que lhe apregoam e de que eu não quero duvidar mas desconheço, não ter ainda o livre arbítrio para renegar o passado escuro que o PCP sempre defendeu e não renega... ou é tola ou marionete! Mas tu achas que mijar fora do tom, descomplexadamente garantir que se renega os métodos que o mundo conhece de ginjeira leva os que conheceram o PCP a confiar.... Olha vai-te catar!

Maria disse...

Excelente este post!
Junto-me a ti no abraço solidário à Rita Rato.

Abreijos

Maria disse...

Muito animada foi esta discussão...

:)))

Zé Canhão disse...

O Malhador precisa de ser malhado.

samuel disse...

Miguel Jeri:
Resumindo, de todos os lados, quase sempre vem aquilo que se espera, salvo as excepções... por isso é que são surpresas... ☺

Zemanel:
É mais por aí.

Duarte:
Jornais e lareiras... aí está uma excelente relação!

Anónimo:
Tem muito tempo para o confirmar, mas é por aí.

LAM:
Não há estatuto especial...

Malhador:
Desta vez até ia responder... mas não consigo catar-me e escrever ao mesmo tempo. Passe bem! ☺

Maria:
Que bem merece!
As discussões são sempre interessantes...

Zé Canhão:
Todos precisamos, mesmo que seja muito raramente... ☺ ☺ ☺


Saludos gerais!

manuelalhofo ga disse...

Muito bem apanhada a denúncia aos jornalecos e escrevinhadores,mais às armadilhas que preparam aos militantes do Partido. Agora foi a Rita Rato.Mas seria sempre crucificada,como bem dizes.
Lembram-se das "reportagens" feitas anualmente na Festa? procuram o ridículo até à exaustão...
E sobre o BE, está tudo dito...
Este malhador anónimo não será o Santos Silva (SS) travestido?
Continua,Samuel...

Rita Maria disse...

Eu também acho que ela podia ter estado melhor, mas este ataque é mesmo só destinado a que a inteligência dela fique já arrumada debaixo de uma tonelada de etiquetas para descredibilizar o trabalho que ela venha fazer. Tenho a certeza de que será um excelente trabalho e espero que nao a consigam calar nem descredibilizar!