sexta-feira, 9 de outubro de 2009

De regresso



Ainda um dia hei-de ser capaz de entender, para depois melhor contar, a multidão de estórias e de vidas que se cruzam neste pequeno café de aspecto discreto e simples. É o velho “Café Sport”, ou o “Peter”, uma verdadeira instituição da cidade da Horta, da ilha do Faial e do mundo de uma certa gente apaixonada pelo mar.

Por qualquer razão que desconheço, sempre que chego a uma destas ilhas de bruma, sinto que cheguei a casa. Infelizmente, tenho sempre que zarpar, mal chego... até um dia!...

Por enquanto ainda é preciso ir! Porque hoje à noite farei escala para as bandas de Ourém (para cantar com o Sérgio Ribeiro), porque no dia 10 vou reflectir... e depois, tentar que o meu voto reflicta também tudo o que tenho feito, dito e escrito.

12 comentários:

Sérgio Ribeiro disse...

Cantar comigo? Percebeste mal... é jantar! Comigo ninguém canta... tem de cantar sózinho ou com outros acompanhantes! Comigo é... jantar!
Espero que tenha sido uma excelente estadia-passagem-paragem. E que tragas uns abraços desses bons amigos em troca dos que levaste.
Até logo.

Anónimo disse...

Ó Samuel, então acabo de pedir que desses um abraço no José Decq Mota e outro no Manuel Freire, e já estás de regresso? Cruzámo-nos no espaço virtual...
De certeza que tudo correu bem.
Um abraço renovado.
Daniel

anamar disse...

Cmo sonho ir aos Açores...
Tudo de bom.
:))

Maria disse...

Então bom jantar e boas cantigas...
Já só falta um bocadinho...

Até breve.
Abreijos

amigona avó e a neta princesa disse...

E é bom encontrar-te! Abreijos

manuela galhofo disse...

Vai ser de certeza mais uma grande jornada de luta,convosco e os muitos camaradas e amigos que vos acompanharão...
Nós continuaremos as nossas caminhadas por Cascais, mas sempre atentos e solidários com todas as jornadas dos milhares de amigos.
Onten cantámos com o Vitorino e foi muito bom.Para quando um canto livre com o Samuel?
A luta continua!

Fernando Samuel disse...

Então, cantem e jantem bem - e amanhã reflictam no que cantaram e jantaram...

Dois abraços.

Swt disse...

O Samuel não pára quieto...
Mas que está a viver a mil, isso está. E só pode ser BOM!!!
Mas o que me deixou ainda fascinada foi a notável foto do Peter's com que ilustrou o post.
Olhe! À falta de melhor, temos aqui, no Parque das Nações, uma filial que também é agradável e até onde se podem comprar uns magníficos polos daqueles que dão para vestir no Inverno.

Justine disse...

Que vontade de voltar, quando vi a foto! E o museu no 1º andar, que preciosidade!
'Tá visto, logo tens muito que contar - para além de jantar e cantar:))

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

Que boas recordações eu tenho do "Peter"!!!!
Espero que o próximo domingo as deixe também. Um grande abraço.

Anónimo disse...

Há quanto tempo foi isto...1963 Faial- Horta- Pico canal de São Jorge?

Já lá vai tanto tempo..! Nesse tempo já nessas belíssimas paragens habitavam lutadores anti-fascistas...É verdade. E este que vos escreve já era e é comunista.

Horta foi berços de insignes mestres da cultura popular e erudita.

Estive lá embarcado num navio de guerra meses maravilhosos e depois na Rádionaval da Horta. Inisquecíveis tempos de luta sofrida. Não são saudades são constatações da memória. A luta continua, felizmente.
Um abraço do "Catraio"

samuel disse...

Sérgio Ribeiro:
A cantar... também a gente se entende.

Daniel:
Mesmo com toda esta atrapalhação... já foram dados. ☺

Anamar:
Como se diz aqui em Montemor... então vá!... ☺ ☺

Maria:
Embora não retire nada à boa recordação, foi pena o resultado das eleições no Faial!

Amigona:
☺ ☺

Manuela Galhofo:
Foi!
Mesmo fora das campanhas eleitorais esta é a minha (única) profissão. Basta haver, seja onde for, quem organize o “Canto Livre” com condições mínimas de profissionalismo... e ele acontece. ☺

Fernando Samuel:
Está feito! Podia estar mais bem feito? Podia...

Swt:
Estive quase a comprar um, lá...

Justine:
E voltaremos!

Graciete:
O “Peter” tem esse “efeito”...

Catraio:
Independentemente das conjunturas passageiras, “essas” pessoas continuam fieis ao que foram e são.


Abreijos colectivos!