domingo, 18 de outubro de 2009

Francisco Van Zeller - Sem vergonha na cara





Agora foi para o programa da RTP2, “Ora diga lá excelência”, achar que se é afinal na inflação que os sindicatos encontram a justificação para os aumentos de salários, então como este ano estamos perante uma inflação que ronda o zero... não há nenhuma justificação para aumentar o salário mínimo nacional, o qual deve ser congelado pelo menos durante um ano. Curiosamente, este "belo" e miserável argumento parece não servir para que não possa ser aumentada a conta da electricidade em quase três por cento, ideia de aumento, aliás, que não vingará sem que se lhe dê luta.

Teve ainda a pouca vergonha de acrescentar como justificação extra, que vinte e cinco por cento das nossas exportações “vivem” exactamente dos salários baixos... “e nós não podemos prejudicar as exportações”.
Não, senhor Francisco Van Zeller! Aquilo que vive dos salários baixos são as fortunas obscenas que vossa excelência e os seus cúmplices ostentam!

O que me tira do sério é pensar que muitos dos infelizes que vivem apenas (e mal) do seu salário e repetidamente vão votando nesta gente... ou aceitam isto como normal, ou então ficam a tartamudear protestos, dizendo como sempre, que “os políticos são todos iguais”.

23 comentários:

Catsone disse...

Portugueses: povo de brandos costumes.
Nós não somos dados à manifestações, não reivindicamos como deve ser, falamos "Ah e tal, qu'isto tá mal e a gente faz e acontece" mas, passados segundos, vamos comemorar a vitória do SLB ou outra distracção que nos atira novamente para o marasmo que tanto convém à essa gentalha.
Não se quer incitar à violência mas também não se pode aturar estes discursos sem luta.

Anónimo disse...

A um pirata destes, dá vontade de desejar que sobreviva, durante dez anos, com um carcinoma na língua... e outro no recto!

Rui Silva

Miguel Jeri disse...

Fosse eu do PSD, do CDS ou do PS e pensasse como estes fulanos e também dizia que "os políticos eram todos iguais. E que não se preocupem com política, porque são todos iguais." Ora então não dizia...

Hurtiga disse...

Este é o vaselina de merda!

Anónimo disse...

Este e outros patrões da nossa praça é que escolhem os ministros para os governos como se está ver.
A perversidade política desta classe ordena que, se algum trabalhador produz o equivalente a ter direito a um pão, que se lhe prometa meio e se lhe dê um quarto a fim de exercitar os dentes...

amigona avó e a neta princesa disse...

Nem sei como conseguem estar bem com a sua consciência - mas será que têm consciência?
Abreijos

Francisco Trindade disse...

Perguntem-lhe lá se ele vai congelar o seu vencimento assim como o dos seus "muchachos"?

Francisco Trindade disse...

E como nós todos sabemos, porque todos os anos a cena repete-se, não vai ser somente a electricidade a sofrer aumentos...

Fernando Samuel disse...

«Os políticos são todos iguais»; «os partidos são todos iguais»; «ricos e pobres sempre houve e há-de haver»; «eu cá não me meto em política»...

Um abraço.

gabriela disse...

Para estes malandros o grande problema da economia portuguesa continua a ser os salários, acrescente-se de miséria, do povo.
A quem pensam eles que vendem as suas tralhas?? ao estrangeiro??. O que move um país é quem trabalha. Aqui ou na China!
Vampiros!! e os governos que se deixam manietar por eles.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

Ainda há pouco li em "O Diário info" que quando Fidel e Che desembarcaram em Cuba havia já o Movimento 26 de Julho a preparar e a lutar com o POVO pelo êxito da Revoluçâo necessária. E nós temos um Partido e apoiantes sempre sempre ao lado do povo trabalhador e esse povo não acorda. Porquê? Hoje fiquei triste ao ver no JN a evolução do vermelho no Alentejo. Mas nada de desânimos. A luta continua e a vitória será nossa ou melhor do POVO. Abraços.

Miguel Botelho disse...

Para mais, Van Zeller não se preocupou em nada com o tema da propriedade.
Afinal, aqueles que auferem o salário mínimo também vão ter que suportar, na habitação, a fixação das rendas equiparadas aos valores de mercado.
Ou seja, um casal que recebe por mês cerca de € 800/900 por mês, terá de pagar uma renda mensal de € 400/500.
Os próprios proprietários ainda se queixam. De acordo com a sua mentalidade retrógada, queriam ver aplicados valores mais altos.
Vivemos, então, sob o domínio destas duas mentalidades perigosas para a sobrevivência do ser humano: patrões que se queixam dos salários que não podem subir; proprietários que se queixam de rendas que não querem ver descer.
Tudo isto gera a pobreza, a insegurança e a tal crise que se queixam muito.
A mentalidade de pessoas como Francisco Van Zeller é aquela que gera a miséria humana.

Maria disse...

Este homem é um enorme nojo. E há outros parecidos...
Mas estou certa de que UM DIA o povo acorda, e aí ver perceber tudo... oxalá seja mais cedo do que tarde.

Abreijos

Justine disse...

Nojento!

O Terrorista disse...

Sugiro a este canalha que viva durante um ano apenas com o salário mínimo. Se conseguir, prometo que passo a dar-lhe razão...

medronheiro disse...

Este ladrão execrável mete nojo a um cão leproso.

manuela galhofo disse...

Quem é este homenzinho?um verme que tem engordado à nossa custa,e com o apoio dos sucessivos governos...E o que mais me impressiona é precisamente isto:trabalhadores sem os mínimos direitos,marginalizados e insultados pelos amigos destas bestas, mas que nas horas boas e más têm a seu lado o PCP e a CGTP!E na hora de votar, o que escolhem é a continuação destes governos,destas sanguessugas,da escravatura...A sério,não consigo perceber...

Daniel disse...

Quando ouço este senhor, penso sempre que gostaria ao menos que ele não fosse da família de um senhor Van Zeller que conheci em Santa Maria. Por uma questão de honra para a minha ilha-mãe adoptiva.

samuel disse...

Per tutti:
Nestas alturas até me apetece pedir desculpa por vos ter arruinado uma parte do dia... mesmo que muito curta...


Abreijos colectivos!

Retalhista disse...

É nestas alturas que me pergunto onde votam os milhões de portugueses que ganham menos de 700€ por mês...

Retalhista disse...

É nestas alturas que me pergunto onde votam os milhões de portugueses que ganham menos de 700€ por mês...

Dylan disse...

As palavras do Eng. Van Zeller, Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa, de que "os salários baixos são necessários para 25% das nossas exportações", opondo-se veementemente ao aumento do salário mínimo, é de quem fala de barriga cheia, pois não se encontra entre aqueles 300 000 trabalhadores que auferem 450 euros mensais.

O senhor saberá que a maior parte dos patrões portugueses tem uma baixa escolaridade aliada a uma ainda pior qualificação profissional? Não será isto o verdadeiro entrave ao desenvolvimento empresarial do mundo moderno e às consequentes exportações que tanto apregoa? No país dos patrões e dos doutores, é bom relembrar que o mero trabalhador é o dínamo de qualquer empresa, e também por isso, deve ser condignamente pago e motivado.

Travestido de "quadro superior", o patrão português almeja ser um empresário de sucesso - com um ar sério e a característica gravata da moda -, mas o que melhor consegue fazer é aumentar o fosso entre os salários dos trabalhadores e os de topo. Resquícios do Estado Novo onde faltam-lhes destreza, criatividade, inovação, e fundamentalmente, empatia.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

Anónimo disse...

Este Sr...tem um Gabinete no Ministério da Economia onde trabalha....não sei exactamente a que nível..penso que é um alto cargo..como tem carro com Motorista...fica a duvida..