terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

O caminho – Quando alguns “adversários” não passam de inimigos


Todos conhecemos estórias que nos falam de grandes amizades entre adversários, que podem ir do campo do desporto até à disputa política. São os verdadeiros adversários, leais e infinitamente mais interessantes do que os “indiferentes”. Depois há os outros, aqueles que nunca conseguem passar de inimigos.
O mundo dos blogs não está imune a este fenómeno. Este blog, pelo menos, não. desde que, para além das músicas “bonitas” e do humor “mais ou menos”, se descobriu que por aqui havia uma indisfarçável “preferência” política, o caldo entornou-se... e lá apareceram eles.
Primeiro os “pavlovianos”, mais ou menos inofensivos, classe de que o “meu” anónimo dos mil nomes era o expoente máximo, reagindo sempre que os textos juntavam comunistas e Alentejo e fazendo “comentários” patéticos, que só passaram a ir diretamente para o lixo porque o autor sofre de incontinência, no campo dos insultos.
Depois vêm os “profissionais”, aqueles que estão “de serviço” à internet, pescando palavras-chave e que só reagem a textos desfavoráveis às suas cores. Também aí, tenho os “cavaquistas” e os “socráticos”, que na sua maior parte pertencem à classe “Caixote do lixo, já!”.
(Felizmente há outros, aqueles com quem se pode, e por vezes é um gosto falar, sejam eles sociais democratas, socialistas, gente ligada ao BE, independentes de todos os quadrantes...)
Entretanto, talvez por acidente e antes das eleições, fui descoberto pelos fascistas. Daqueles bem abjectos (como se houvesse doutros!), que para além dos insultos vesgos a todos e a tudo o que lhes lembre Abril, deixavam links para vídeos com discursos de Salazar, desfiles da Mocidade Portuguesa, Legião, tropas nazis, etc., ... na estúpida esperança de que eu, distraidamente, publicasse aquela porcaria. Valha a verdade, que se não fossem tão estúpidos não seriam fascistas... mesmo reconhecendo a existência de alguns que estão longe de ser estúpidos.
Finalmente e para encerrar "digressão", o mundo dos blogs de alguma maneira ligados à recente candidatura de Francisco Lopes, foi infestado pelo ruído habitual dos “híper-revolucionários”, que viram no resultado eleitoral comunista e na justificável frustração de muitos, a oportunidade de arejarem os seus argumentos já rançosos de décadas. O exemplo mais espalhafatoso deste último grupo é uma “organização" (de que não farei publicidade) que resolveu atacar, qual praga de térmitas, vários dos blogs comunistas que frequento, acenando freneticamente, em bicos de pés, tentando de forma desesperada atrair as atenções e, se possível, leitores dispostos a responder às suas posições/provocações, respostas pelas quais praticamente suplicam... e que acabaram por me fazer perder a “revolucionária” paciência... facto de que devia, provavelmente, estar arrependido... mas não estou!
Nada de novo, portanto. Sempre assim foi e assim será! Sempre houve esta espécie de “banda sonora”, ora esganiçada e saltitante, ora com dentes maiores e a voz mais cava e ameaçadora, a “animar” as bermas do caminho... enquanto a caravana passa e a História avança, no seu passo que pode, por vezes, parecer lento, mas que se quer seguro, fazendo o seu caminho. "Golpe a golpe, verso a verso".

14 comentários:

Maria disse...

"Caminante no hay camino,
se hace camino al andar..."

Pois é. Tás tramado :))))

Abreijos.

salvoconduto disse...

Coitado do bicho, compára-lo com cada coisa... Ele só tem os dentes arreganhados para mostrar que tem alguns cariados, contrariamente aos especímenes que descreves que normalmente os têm todos certinhos e direitinhos, só que alguns não passam de meras placas ou pontes, incapazes de ferrar, sob pena de ficarem com a cremalheira toda estragada.

Anónimo disse...

Como é habitual, um post com ideias justas, correctas e expostas com uma grande clareza e frontalidade.
Gostei.

Campaniça

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

A Direita Portuguesa que está novamente activazinha naquele trabalho tipo formiguinha e isso "cheira-se" nas mais diversas situações, só merece é combate continuado, consistente, e sempre com as armas que tivermos "à mão".
O regime democrático defende-se sempre com: participação continuada, de maneira a que mais pessoas não se "abstenham" de serem cidadãos na verdaeira acepção da palavra, com iniciativas, e nunca ... cruzando os braços.
Samuel,um abraço, pois, e força continuada para a luta contra a canalha que oprimiu durante quarenta e oito anos o Povo Português, e que agora vai revelando alguns "ténues sinais vitais", apanhando algumas ... boleiazinhas.

jrd disse...

Essa gente quer é palco, fazes bem em correr com eles de empurrão pela direita alta...
Abraço

Fernando Samuel disse...

Será a isso que chamam a luta de classes?...

Um abraço e bom trabalho.

Carlos Fernandes disse...

Caro Samuel,sou um leitor deste Blog há já varios meses e tento não perder nem um Post, mas nem sempre leio os comentários. Ultimamente tenho-o feito e reparo que tem razão, os cães fascistas ou até os pseudo-revolucionários (e eu sei doque estou a falar) quando podem lançam o dente e tentam de uma maneira ou doutra desacreditar aqueles que implacavelmente defendem os direitos do povo.
A luta é dura, e caro amigo força e imaginação para continuar com a acutilancia que o caracteriza, as bestas vão berrar mas o povo vai vencer e disso eu não tenho duvidas.
Os cristãos dizem aos crentes que se preparem para a vinda do senhor. Nós dizemos ao povo, a todos os que passam fome neste pais aos desempregados aos humilhados por este regime capitalista enfim aos explorados e oprimidos que a Revolução está a chegar, estejam preparados porque o povo se vai levantar.

Força CANTIGUEIRO

Um abraço, se por acaso o mereço.

samuel disse...

Carlos Fernandes:

Um abraço!

JOSÈ GAGO disse...

Desculpa Samuel! mas deste-me o
mote, e eu não resisto... Cá vai...

Que me importa a mim
que os cães ladrem quando eu passo
se eu passo, sem lhes ligar...?
Que me importam os latidos
dos "vira latas" enraivecidos
que ladram,só por ladrar...?
Eu bem os oiço,e vejo!
Disfarçados...
Escondidos, por detrás dos valados
porém,tímidos,amedrontados...!
Mas que ladrem!
Que ladrem os rafeiros
os perdigueiros
os caniches eriçados...
Os corpulentos
os pulguentos
os desdentados...!
Que ladrem os neutros
os cães de raça...
Porque entretanto,eles ladram
e a caravana passa...!

JOSÈ GAGO

do Zambujal disse...

... deve ser virus...
Passa, mas tem recidivas.
Já foi doença infantil, já foi radicalismo com fachada socialista.
Se calhar temos de nos vacinar...

Um abraço

relogio.de.corda disse...

Pelo que leio, essa gente terá muita, mas mesmo muita, dificuldade em "levar" deste blogue e do seu autor, o que quer que seja.Este é, mais um texto sublime de crítica inteligente e acutilante que entretanto, eu não vou dispensando de ler.
Deixe-os falar, deixe-os escrever... e que vão para o raio que os parta, como se diz na minha terra.

Graciete Rietsch disse...

Apesar do plavreado grosseiro de quem apenas ataca para destruir e talvez com recados encomendados, a História lá vai prosseguindo o seu caminho, com muitos problemas, mas sempre dirigida para um NOVO FUTURO.

Um beijo.

Talina disse...

Oi Samuel

Parabéns pelos excelentes poste de que sou habitual leitora, quanto ao resto não ligues , a relógios parados no tempo não se dá corda .
Abraço Talina

Anónimo disse...

No Liceu P.A.V. em 1970/71 havia um professor de inglês em fim de carreira (e que acho que tb era vice reitor) que era um homem bom, elegante e que carregava um olhar triste e que acho que é dos poucos que lembro com amizade, mas vamos lá ao que ele dizia: « as proezas em matemática, têm a ver com ser esperto, mentalmente ágil, a verdadeira inteligência tem a ver com a capacidade de eleger o que é o bem e o mal.»
Isto tudo para dizer que um fascista poderá ser um génio da dedução e do pensamento matemático mas será sempre um estúpido. E muito comuna tb faz parte do rol: usam a ideologia como veículo de transporte dos seus maus instintos, na esperança de um dia poder causar sofrimento a outrem. Uns por que isso lhes causa prazer, outros por carregar ressentimentos antigos. Nas polícias são tb espécimen comum. Nas polícias e nos contínuos de serviços públicos. E em Agosto no Algarve, juntos em grandes magotes pelas praias.
P.M. Votante CDU.