quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

José Afonso – Que dizer?


O que é que se pode dizer de alguém que mudou a nossa vida? Se não tivesse partido em 23 de Fevereiro de 1987 seria hoje um senhor idoso, com 82 anos. Se não tivesse partido continuaria a ser, como sempre foi, o mais jovem de todos nós. Se não tivesse partido estaria a fazer coisas extraordinárias, novas e arrojadas... e algumas delas seriam canções.
O que é que se pode dizer, que não venha avivar a ferida? O que dizer de alguém que mudou a nossa vida? Não sei.
Todos vocês têm no coração uma canção do Zeca; aquela que para cada um é a mais bonita, a mais importante... e que devem agora trautear em pensamento, sem precisarem de “guia”.
Um abraço!

17 comentários:

Maria disse...

Tenho-as todas dentro do peito. A quererem saltar...

Um abraço.

Anónimo disse...

Há 24 anos chorei...
Maria, também tenho as suas canções dentro do peito, mas se deixo que alguma suba um pouco mais, faz-se-me um nó na graganta.
Abraços.
Daniel

anamar disse...

Era bom poder festejá-lo cantando-lhe os parabéns a você...
Abracinho
:))

do Zambujal disse...

Ouvindo-vos...

Um abraço

salvoconduto disse...

Impossível esquecê-lo.

Ferroadas disse...

Zeca não partiu, foi ali e já vem.

Justine disse...

Texto emocionante e emocionado, Samuel!
Abraço, cantarolando...

Maçã de Junho disse...

Das recordações mais presentes que tenho dos meus 6 anos é ver o meu pai sair, de boina basca e cravo ao peito, pela porta de casa dizendo-me: o Papá vai sair porque o Zeca morreu, mas na verdade vive em nós! um dia vais perceber....
Percebi pai...

M

Anónimo disse...

Samuel
"eles comem tudo e não deixam nada" isto se o povo deixar. Que viva o Zeca.
Vitor sarilhos

Anónimo disse...

Lembro-me da 1ª canção que ouvi do Zeca, e não sabia que ele viria a influenciar a vida de tantos de nós.
Mas percebi logo que aquela era uma canção diferente de todas as que se ouviam então.

era mais ou menos isto( de quando em quando, vejo um perdigueiro, dizei amigo, quem chega primeiro...) talvez a palavra amigo.

Tive a sorte de assistir, depois de Abril a muitos concertos ao vivo, e mesmo um antes em Ponte de Sor. O Zé Afonso continua connosc.

Um abraço da Serra da Estrela
Maria

Pata Negra disse...

Hoje já todos se renderam à dimensão humana de Zeca, ao seu talento e á sua música mas é bom lembrar que, se nem sempre foi assim, houve, ou há, qualquer coisa que não bate certo.
Contentemo-nos nós os que, ano após ano, de forma natural, amiga e sentida, nunca se esquecem de assinalar esta data.
Um abraço amigo canto e sempre, até

relogio.de.corda disse...

A melhor forma de dizermos a uma pessoa que já não está fisicamente entre nós, que continuamos a gostar dela; é continuarmos a ouvir a sua música e darmos a ouvir essa mesma música aos outros.

JOSÈ GAGO disse...

A 23 de Fevereiro
O cantor das madrugadas
Fechou os olhos,partiu...
E as lágrimas cansadas
De tantas,formaram um rio...!
Rio que corre
Presente...
Permanente...
Mas sua voz não morre
Dentro da gente!

Saudações
JOSÈ GAGO

ARISTIDES DUARTE disse...

E que viva o Zeca Afonso!!!

Fernando Samuel disse...

A mais bonita, para mim? Deixa cá ver... são tantas!...

Um abraço.

lino disse...

Já era tempo de lhe editarem a obra na íntegra. Fizeram-no, e muito bem, com o Adriano, com o Carlos Paredes, com o Lopes Graça, porque não com o Zeca?
Abraço

Suq disse...

Vem amigo vem ...