sábado, 26 de fevereiro de 2011

O império dos sentados


Alguns dos nossos generais, aos primeiros sintomas de uma nova guerra, aparecem imediatamente, inquietos para participar bravamente... comentando! São os célebres “generais sentados”, sempre desejosos de exibir conhecimentos tácticos e os seus «brinquedos caros e inúteis», como certeiramente (e independentemente das suas reais motivações) os classificou um ex-embaixador dos EUA em Portugal... mas isso é outra estória.
Os nossos “generais sentados” fazem coro com alguns politólogos e especialistas em conflitos. Estão sempre prontos a fornecer graciosamente os seus “cenários de guerra”. Têm-nos para todos os gostos. Estão constantemente a fabricá-los... ora com chávenas a fazer de blindados, colheres de sobremesa a fazer de mísseis e restos de croissant a fazer de soldadinhos, ora com os muito mais “reais” modelinhos de chumbo... dependendo de os criarem na mesa do pequeno almoço, ou no quartinho dos brinquedos. Os “generais sentados” são eles próprios um brinquedo caro e inútil!
Generais e politólogos especialistas já defendem abertamente uma intervenção militar internacional na Líbia. Humanitária, evidentemente... não vá algum telespectador não entender as suas nobres motivações.
Tendo na memória o sentido da esmagadora maioria das posições políticas destes “heróis” da guerra sentada feita em estúdios de televisão, não duvido, nem por um momento, das suas intenções “humanitárias”.
Toda a gente sabe que o petróleo é um “ser humano” muitíssimo delicado, que dificilmente suporta agressões. Então se estas agressões forem acompanhadas do extremo “nervosismo dos mercados”... é preciso e urgente intervir, rapidamente e em força!

9 comentários:

Fábio Paulos disse...

belo blog, parabens

Antuã disse...

O ordenança Loureiro dos Santos é dos que me dá mais pena com tanta falta de dignidade!

svasconcelos disse...

Ainda acham q nos convencem com o seu excelso humanismo... não andarão demasiado alienados ou com algum achaque de mitomania crónica?

bjs,

Anónimo disse...

Samuel
Sobre generais, e outros que tais, não acredito que falem "graciosamente" para as TVs pois lidei com militares 27 anos e sei bem o comportamento de gente que tem riscos nos ombros e o quanto gostam das mordomias a que têm direito. Só têm esperteza numa coisa: nunca por nunca ser arriscam o próprio coiro. Ainda na semana que passou a TV deu uma noticia de um Sargento e de um Soldado que morreram a manusear explosivos mas da presença de generais... nada. É o costume.
Vitor sarilhos

Suq disse...

Kadhafi não está só!

káfilas "invadem o deserto" de beduínos "humanitários" e acompanhados de IPSS mágica transformam a areia em petróleo!!

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suq disse...

Mágico!

Eliminado pela autora que se seguiu!

Para foi que se sumiu?

Graciete Rietsch disse...

Há sempre um pretexto para uma invasão "humanitária".

Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Excelente: o título, a foto, o texto.

Um abraço.