terça-feira, 19 de novembro de 2013

João César da Neves – Uma coisa morta trazida pelo gato...


João César da Neves é um homem com imenso para dar! Dá aulas de economia, não poucas vezes dá uma imensa vontade de lhe “remodelar” o focinho e, sobretudo... dá opiniões!
Mais uma vez, num artigo de opinião (lá está!!!) no DN, e numa entrevista ao mesmo DN e à TSF, não deixou ficar mal todos aqueles que dele já só esperam o pior.
Entre pérolas como «aumentar o salário mínimo seria a pior forma de estragar a vida aos pobres», ou de ser «suicida e estúpido» baixar a idade da reforma, mais a lenga-lenga costumeira contra as greves e todos aqueles que ousam reivindicar melhores condições de vida, dá um verdadeiro espectáculo ao meter os pés pelas mãos num emaranhado de frases confusas (e nojentas) para tentar explicar uma ideia canalha sublimada nesta frase:
Atendendo à “superioridade” dos cursos ostentados pelo senhor das Neves, não me parece, dada a minha ignara condição, que tenha ferramentas para contestar as suas opiniões com a necessária "qualidade técnica".
Ainda assim, muitos anos a virar frangos e outros tantos de observação destes cromos saídos do mais bolorento salazarismo, permitem-me afirmar com grande confiança:
A maior parte dos neurónios do César da Neves, não são neurónios. 
São lixo! Esterco, estrume, dejectos, coisas mortas trazidas pelo gato, diria mesmo merda... sei lá...

18 comentários:

José Oliveira disse...

Não nos devemos esquecer que Salazar veio do mesmo meio onde este senhor, e outros, proliferam...

Anónimo disse...

Talvez lombrigas...

Rui Silva

Anónimo disse...

Já somos dois e decerto muitos mais a quem este "...da Neves" mete nojo!
Um sarrafo pelo focinho taaalvez fosse capaz de lhe dar alguma lucidez!
Vicky

Luis Filipe Gomes disse...

É caso para o mandar lamber sabão.

O pior é que os crápulas são artistas a lamber sabão, veja-se o caso do durão que fala molinho aos manajeiros alamanos e fala de cima da burra para os que aqui estão.

Graciete Rietsch disse...

Ele enganou-se. Os pobres não têm fome. Só fingem que não têm que comer. E ele? Finge que é rico?
Miserável!!!!!!!

Um beijo.

São disse...

Desculpa. discordo de ti em duas coisas:
- Este ser abstruso não é um homem, é uma criatura (no sentido bíblico).

- Não tem neurónios. Conheci alguém afirmando que o irmão tinha diarreia de galinha na cabeça, esta abjecção nem isso tem

Aliás, este ar alucinado não engana quem quer que seja: há ali profundo desequilíbrio !

Tudo de bom para vós

Antuã disse...


Dentro daquela caixa craneana só há merda.

anarquista nos tempos livres disse...

Abominável (*) César das Neves
E é “isto” um catolicão!
(*) Nome próprio, muito em voga e que “dá p’ró menino e p’rá menina”. Exemplos: Abominável Messias de Massamá e Abominável Marilú Swap.
Alberto

trepadeira disse...

Só os neurónios, aquilo é um todo homogéneo.

Abraço,

mário

Anónimo disse...

JC das neves: o momento zen das segundas feiras...

ferroadas disse...

O governo e a sua nova maneira de comunicar. Manda estes suínos (não quis ofender os ditos) dizer aquilo que pensam, mas não têm coragem.

Abraço

Hernani Rodrigues disse...

Como é possivel aceitar que tenha dois dedos de inteligencia uma criatura que declara que «Deus veio ao muando para o salvar a ele e a nós todos». Pela minha parte nunca esperei por essa salvação divina. Quanto ao das Neves não o salvou da burrice.

Maria João Brito de Sousa disse...

Ai, Samuel... garanto que nem um gato esfomeado pegava neste detrito humano!!!

Abraço!

do Zambujal disse...

O abominável César das Neves!

Um abraço

joão gabriel disse...

O Dr. João César das Neves...Já foi!
Dá aulas mas com a sua memória fraca,terá de novo rever a matéria.

José Carmo da Rosa disse...

Ah, esqueci-me de acrescentar, e toda a gente pode comentar sem qualquer tipo de moderação.

Moderação é uma coisa do tempo do doutor Oliveira Salazar...

José Carmo da Rosa disse...

Para variar e não ser sempre a chatice das opiniões do costume, ver aqui uma carta-aberta a Carlos Paz na sequência da sua carta-aberta a João César das Neves.

samuel disse...

José Carmo da Rosa:

Se tivesse feito um pequeno esforço extra, estou certo de que teria encontrado uma forma mais bem educada de plantar aqui o anunciozinho ao blog em que vem o artigo em questão.

Já quanto à sua crítica ao facto de eu ter o sistema de moderação de comentários activo, classificando-o como um a coisa do tempo de Salazar… apenas algumas ideias:

No tempo de Salazar não havia blogues.

Chamar, de forma arrogante e insolente "chatice do costume" às opiniões dos frequentadores do blog, também não é lá um grande cartão de visita para si.

Eu envio directamente para o lixo os comentários constituídos por insultos abjectos… e, sem hesitar, os outros comentários, por vezes até a fingir grande elevação, mas que não passam de propaganda salazarista/fascista que, como há muito deixei claro, não tem lugar aqui.

Não é, portanto, uma questão de moderação, ou meia moderação. É reciclagem pura. O lixo vai directamente para o lixo, os comentários dignos do nome, AINDA QUE CRÍTICOS, como é fácil de comprovar… são publicados!

Passar bem!!!