sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Fim da crise – Não fumo desse tabaco...


E como que num passe de mágica... op-lá!”... acabou a crise e estamos a crescer!
E dirá algum dos leitores: então Samuel... também é pelo “quanto pior melhor”? Não festejas os números positivos?!
- Não... e também não!
Não, não defendo o quanto “pior melhor”! Nunca festejei. Ponto! Não, não festejo os “números positivos”. E porquê? Porque acho que “quanto pior, pior”... e enquanto tiver discernimento para perceber que uma qualquer melhoria - a dar-se - nos números da economia e do défice e do diabo a sete, foi conseguida com o sangue, suor e lágrimas dos mais indefesos, com o esmagamento de pensionistas e funcionários públicos, com a morte prematura de idosos sem acesso aos medicamentos e tratamentos, com o escorraçar de jovens para fora do país, com um aumento gigantesco do número de desempregados, sendo que metade nem subsídio de emprego já tem... tudo isto enquanto os ricos vão ficando mais ricos, a banca goza de protecção estatal e as grandes empresas fazem acordos milionários para sugar todo o dinheiro que é roubado a quem trabalha… ainda que reconheça os números, não, senhoras e senhores, não festejo porra nenhuma!!!
Mais... estou convencido de que este crescimento mágico é mais um número de vaudeville “martelado”, que serve de tempero para melhor se engolirmos a argamassa nojenta da nova e mais pesada austeridade que vem aí. Anunciada já como definitiva, quando todos tinham jurado que seria provisória.
É já história muito antiga. Todas os nossos males são anunciados como “provisórios”, mas, no fundo, todos sabemos que tudo é feito para que se tornem “definitivos”. É o “fado” português!

Pelo menos... enquanto o português for “suave”!

16 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Boa malha!

Anónimo disse...


alto texto.

vovómaria

Graciete Rietsch disse...

Mais um soporífero para o POVO, esses números fabricados!!!!!!

Um beijo.

ferroadas disse...

Havia uma frase que dizia mais ou menos isto: "enquanto houver portugueses, não se fumam provisórios", nunca consegui descortinar a razão de tal. Como fumador inveterado desde os meus 14 anos (porra já fumo à mais de cinquenta) sempre me mantive "fiel" ao SG-Ventil, salvo um período de imigração forçada em que me afeiçoei ao Gitanes. Em relação ao anunciado com pompa o tal "crescimento" da economia em 0,2% o que deu pano para mangas na demagogia liberal, os reformados dos 252€ não deram por nada, muito menos os desempregados. Todos sabem que tal se deveu a um período específico (Junho, Julho e Agosto) e também do "desvio" significativo de turistas de zonas e conflito para Portugal e Espanha. Quanto a mim, só poderemos analisar este e outros números lá mais para Março/Abril de 2014, quando o INE os apresentar em relação a 2013.

Abraço

Maria João Brito de Sousa disse...

O raio das coincidências! Eu também não fumo desse tabaco!


Abraço!

Adelino Ferreira disse...

O post acertivo como é costume!
Como recordação dum passado
miserável: os "Fortes e os 20-20-20"

samuel disse...

Adelino Ferreira:

E os "kentucky", por vezes comprados à unidade… e que bem mereciam estar aqui na galeria… :-) :-) :-)

Luis Filipe Gomes disse...

Português Suave e com filtro!

augusta disse...

nós por cá "festejamos" um desemprego galopante, a imigração tantas vezes sem se saber em que condições, "festejamos" o cada vez maior número de pessoas sem direito a um trabalho com direitos. "festejamos" o ataque à escola pública e de qualidade, o cada vez maior número de professores no desemprego. ah, também, entre muitas outras coisas, "festejamos" o roubo descarado nas reformas, pensões e vencimentos, um hospital cada vez com menor número de valências... temos tanta coisa para "festejar"!!! ...
.
Mas a nossa grande festa e nela não estamos sós - vai ser no dia em que nos vejamos definitivamente livres de quem tanto mal nos faz.

Burguês reaccionário disse...

Samuel disse "com o esmagamento de pensionistas e funcionários públicos, com a morte prematura de idosos sem acesso aos medicamentos e tratamentos, com o escorraçar de jovens para fora do país, com um aumento gigantesco do número de desempregados..."

Eu ia afirmar que tudo isto é consequência directa da tentativa de instaurar, em Portugal, após PREC o socialismo como fase prévia do projecto de uma sociedade comunista. Tudo este projecto desintegrou a sociedade portuguesa e a economia nacional, se a isto juntarmos a usurpação dos lugares de Estado e da função pública pelas "tropas" partidárias então o resultado não podia ser outro que o colapso descrito nas suas palavras.

samuel disse...

Burguês reaccionário:

Claro que sim, meu caro…

Claro que a economia de Salazar e Caetano era uma coisa falada e invejada em todo o mundo!

Claro que Portugal estava entre os países mais avançados e respeitados do planeta!

Claro que Portugal resplandecia de progresso, abertura de espírito, cultura, liberdades…

Com essa conversa, não duvido que você seja um dos POUCOS que antes do 25 de Abril estavam muito bem na vida… e a quem as "tropas" partidárias vieram estragar o arranjinho.

Temos pena! É a vida!… :-) :-)

Adelino Ferreira disse...

Era mesmo assim! Um,dois ou três,foi assim que comecei.Antes era
a barba de milho.
Até sempre

Burguês reaccionário disse...

Sim, a economia portuguesa pós-PREC é considerada excelente e invejada em todo o Mundo.

Sim, Portugal, hoje, está entre os países mais economicamente, socialmente e intelectualmente mais avançados e prósperos do Mundo.

Sim, Portugal, hoje resplandece de liberdades (mas só no papel), de progresso (para onde) e abertura de espírito (como?).

É verdade que no regime de Salazar e Caetano havia injustiças e muita coisa para corrigir, mas parece que não melhoramos muito e afinal apenas se trocou umas injustiças por outras injustiças. O Samuel fala cheio de moral talvez porque seja dos POUCOS (ou muitos conforme a perspectiva) que se safou, ou vai safando, neste regime actual, porque os outros vegetam pelo desemprego ou com trabalho precário, ou têem de emigrar para fugir deste paraíso chamado Portugal.

samuel disse...

Burguês reaccionário:

Brilhante!!! :-)

Zequinha disse...


Burguês Reaccionário você se não fosse burro o que é que gostaria de ser?

Maria disse...

Bem esgalhado!

Abreijos