quinta-feira, 26 de maio de 2011

Pedro Passos Coelho – Um agente infiltrado?


Um pouco na linha das “dúvidas” que assaltam o Vítor Dias, no seu “O tempo das cerejas”, também eu pasmo perante o extraordinário brilho com que Pedro Passos Coelho faz propostas e o não menos extraordinário embaraço com que tem, constantemente, que as emendar, explicar, desmentir...
Esta última iniciativa “kamikaze” de querer voltar atrás na questão da Interrupção Voluntária da Gravidez, propondo mesmo um novo referendo... e horas depois já dar o dito por não dito, "não é bem assim, não sei, talvez... depois falamos" é, no mínimo, mais uma rajada de tiros nos pés. O aspecto asqueroso da questão é isso ser “proposto” apenas para tentar garantir um míseros votos à sua direita, nas hostes mais conservadoras do CDS, do próprio PSD... e daquelas senhoras (independentes) do PS (e quem representam dentro do partido) que, diga-se de passagem, parecem ser uma fonte de inspiração para Passos Coelho, atendendo a que para além desta “corajosa” proposta sobre a IVG, também já o convenceram a, tal como elas, “atacar” os feriados, coisa que, como vimos há tempos, também mobiliza fortemente as tais senhoras (independentes) do PS.
Perante tanto zig-zag, tanta inépcia, tanto ruído para esconder a sombria realidade de ambos, PSD e PS (mais o CDS) terem exatamente o mesmo programa político a cumprir, depois de se terem agachado perante a “troika, pergunto:
Pedro Passos Coelho será mesmo um “indigente político”, será apenas mais um neoliberal com muita falta de jeito para acertar ao menos uma no cravo... ou será mesmo pago secretamente pelo PS, para ajudar a garantir a reeleição a José Sócrates?

10 comentários:

Anónimo disse...

Tanta é a impaciência (a pressa) de ocupar o lugar de primeiro-ministro que a máscara descai, para depois ser recomposta, para depois descair novamente.

(Jorge)

do Zambujal (que é onde estou agora) disse...

Quando Passos (de) Coelho fez a operação "NObre à presidência da AR" li que fora um tiro em quatro pés (sem ofensa que eles eram dois).
Agora, passado este intervelao de tempo, pergunto-me se P. de C. & Companhia ainda têm pés!

Grande abraço

Pata Negra disse...

Um tiro nos quatro pés! Como diz o do Zambujal! Se ele ainda tem pés?! Cá para mim já virou cobra, esguia-se a ver se come o pinto!
Mas, para nós, que é que isso conta?! A "merkel" é a mesma!
Um abraço de passos mais largos

carol disse...

Esse seu último parágrafo está um espanto! Quem se lembraria de uma coisa dessas! De mais! Mas este Coelhinho da Páscoa não presta mesmo para nada...

Graciete Rietsch disse...

Tudo é possível. Com gente desta!!!!

Um beijo.

Anónimo disse...

O falante ou é tótó ou é como dizes Samuel, tambem está a soldo do Sócrates.

João de Sousa Teixeira disse...

Ao princípio não entendi o querias dizer com aquela do "betinho enrustido". Depois fui ouvir e compreendi perfeitamente. Às vezes também é o fio dental apertado...
Não, para este não tenho poema. De forma séria tenho sobre o salário:

SALÁRIO

Ah, quanto custa este sal,
este sal-gema,
salgado ofício
de apaladar a vida?
E quanto deste sal
não mata a fome
para só matar o vício?

Vale uma jornada
ou a eternidade?
Vale! Vale o que vale
e o seu contrário.
Vale uma porção de vida
a arbitrariedade
de um salário.

Abraço
João

Matos disse...

Isto é coelho com moléstia.

Fernando Samuel disse...

É isso tudo e mais o muito que adiante se verá...

Um abraço.

Anónimo disse...

Samuel
A "melhor" deste coelho é a queixa que ele faz de um segundo texto da "ajuda" mas ressalvando que mesmo sem o saber eles cá estão para o cumprir. Enfim não há réstea de tino e vergonha nesta gente porém eu cá fico à espera do dia 6 para ver como este coelho vai ser comido se pelo Socras se pelos seus "parceiros" de partido.
Vitor sarilhos