segunda-feira, 23 de maio de 2011

Sócrates - Quem não tem vergonha todo o mundo é seu!


Qual é a melhor maneira de suportar os discursos de José Sócrates? 
Fácil! É não entender uma palavra do que ele diga.
Este é apenas mais um singelo contributo para comentar a notícia do “Correio da Manhã”, que nos dava conta da arregimentação de imigrantes paquistaneses e indianos a troco de refeições, para os comícios de Sua Excelência o Presidente do Conselho, com a tarefa de agitar bandeiras e cumprimentarem muito o candidato... se houvesse câmaras de vídeo e fotografia apontadas, presumo. Acresce o pormenor delirante de alguns desses imigrantes, contratados nas obras e em lojas do Martim Moniz, não entenderem (nalguns casos) uma palavra de português.
Segundo uma mais recente prosa, desta vez do “i”, depois da escandaleira provocada pela descoberta da origem destes motivadíssimos "apoiantes" de Sócrates, a coisa teve o desfecho que se esperaria: os imigrantes do Paquistão e da Índia foram “apagados” de cena. Trata-se de uma «estrutura voluntária que não é controlada… e que poderá não voltar a aparecer», teve ainda assim a lata de explicar alguém da direção da campanha.
Mesmo não podendo deixar de registar a triste situação económica que poderá ter levado estes imigrantes a aceitar tal “convite”, verificar que alguém na campanha do PS terá achado que aquela farsa poderia durar mais do que um ou dois comícios é, ao mesmo tempo, tão desanimador e tão ridículo, que nem apetece comentar a sério.
Seja como for, dada a origem geográfica destes imigrantes “voluntários”, a estória fez-me lembrar uma das piadas de um velho programa radiofónico de humor, o “Pão com manteiga”, piada que me apetece aqui “remodelar”.
Quanto mais a mentira sobe, mais o “Bangladesh”!  (*)
* No original, “quanto mais o dólar sobe...”

9 comentários:

Justine disse...

Mentiroso arrogante! Tanta mentira começa a ser abjecta!Que raiva...
(mas não é que acabei de ler o teu post com um sorriso nos lábios?)

João de Sousa Teixeira disse...

DO DISCURSO

O ministro falou desmedido
desmentido para os órgãos:

- a situação é contusa mas
será resolvida sem dramas.

o quê ? é gralha de impressão?

ah

e cem gramas chegam?


Alegria Incompleta, Veja 1988

Abraço
João

Fernando Samuel disse...

Ao q'uisto chegou!....

Um abraço.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

José Sócrates e sua máquina de propaganda, são capazes de tudo. Este homem candidato a 1º Ministro nas Listas do P. S., não é socialista. Ele é diz que o é ...

VÍTOR DIAS disse...

A língua e as palavras portuguesas - e não por culpa dos imigrantes - já não são o que era.

Por mim, acho sensacional a afirmação de alguém da direcção da camapnha de que se trata
«estrutura voluntária que não é controlada… e que poderá não voltar a aparecer».

Pensava eu «de que» precisamente por não ser controlada é que poderia voltar a aparecer !.

Graciete Rietsch disse...

Sempre o humor perante o incrível.
Fantático post.

Um beijo.

carol disse...

É vergonhoso, mesmo! Nem o partido precisa dessas cenas!

Antuã disse...

O execrável Sócrates no seu esplendor!

João Ludugero disse...

Grande Samuel,
Boa noite!

Gosto das suas postagens formidáveis.

O trabalho tem me tomado muito tempo, mas vou aprender a conciliar meu tempo, para poder vir aqui e mais me demorar seus textos inteligentes.

Saúde e uma semana, no mínimo, ótima, cheia de luz e paz.
Se tiver um tempo, dê uma esticada até meu blog. Fiz um poema novo denominado "Cantigueiro". O título busquei advinha aonde? Comecei a escrevinhar ontem à noite e gostei do meu texto. Sou um tremendo pai-coruja (risos!). Mas realmente a poesia ficou mesmo supimpa. Leve e pra cima!
Te deixo meu abraço. Até mais!
João, poeta.
Por gentileza, deixe lá seus coments. Se gostar e quiser postá-lo aqui no seu blog. Fique à vontade, vou adorar.
Felicidades, Amigo. Muita luz!
Continues a ser esta criatura DEZ!