sexta-feira, 20 de maio de 2011

Sócrates – As críticas e as provas dadas


Ainda faltam vários dias de campanha e Sócrates já exibe índices de histeria muito acima do seu estado normal. Aproveitando a oportunidade de, finalmente, ter “chegado a democracia a Beja” (como disse o cromo que está lá de presidente da Câmara do PS, na noite em que o PSD lhe deu a vitória), o primeiro-ministro demissionário proclamou naquela cidade alentejana que «desta vez é que é a sério!», lançando assim grandes dúvidas sobre o que realmente andou a fazer e a dizer durante as anteriores campanhas eleitorais.
Seja como for, a declaração que mais me “convocou” foi aquela em que Sócrates questionou a “autoridade moral” daqueles que ousam criticá-lo. Diz o candidato a reincidente que só pode criticá-lo quem consiga «dar provas de ter feito melhor».
E é assim minhas amigas e meus amigos... e passantes ocasionais. Ficam a saber que a partir de agora, se quiserem criticar a forma como o Ronaldo jogou no jogo “X” da Seleção Nacional... têm que dar provas de jogar melhor do que ele. Se quiserem criticar a atriz “fulana de tal”, naquela cena erótica do seu último filme... têm que dar provas de que fazem melhor.
Todos, todos, incluindo Sua Excelência o Presidente do Conselho... que daqui para a frente se quiser dizer que lhe serviram um ovo estragado, deve dar provas de ser capaz de pôr um ovo fresco... por muito que custe!

9 comentários:

João de Sousa Teixeira disse...

Não demovo
a cor ao cravo
e de novo demovo
a casca ao ovo

enquanto me comovo
com o cravo
como o ovo
e aprovo o cravo
uma ova a cor do ovo

pelo povo não demovo
a cor ao cravo

("Alegria Incompleta" Vega - 1988)

Abraço
João

Pata Negra disse...

Como todos fazemos melhor do que ele, teremos toda a autoridade moral e não só!
Um abraço e viva quem beja!

Luis Filipe Gomes disse...

Não sei se esta do fazer melhor, bate a do outro que disse que para ser mais honesto do que ele era preciso nascer duas vezes.

Mas realmente o que ambos os dois juntos e em conjunto precisavam, era que lhes fossem servidos ovos crus e com aroma de fim de validade.

Zé Canhão disse...

Acabei de pôr agora um ovo de nome Sócrates.

Graciete Rietsch disse...

Arrogante autoritário é o que ele é. Tal como o outro nunca se engana nem nunca tem dúvidas.
Ambos e as respectivas cortes são uns perfeitos ignorantes que
descobriram a verdade absoluta.

Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Magnífico!

Um abraço.

donatien disse...

Por acaso chamou-me a atençao.Então durante estes SEIS longos anos foi a brincar connosco?

Suq disse...

Uns põem os ovos e os outros papam a hóstia!

Se o ovo dá a autoridade logo a hóstia dá a moral!

Anónimo disse...

Samuel
Muito bem e o último parágrafo está divinal de cómico.
Vitor sarilhos