quinta-feira, 25 de novembro de 2010

25 de Novembro – Uma “comemoração” diferente...


(Brincadeira minha com o Photoshop, sobre uma fotografia de um painel do Pav. Central da Festa do Avante! 2007, tirada por Ana Pessega... e que encontrei na Net)

Aqueles que em 25 de Novembro de 75, há 35 anos, traíram a Revolução de Abril com promessas de uma democracia burguesa “à europeia” e um capitalismo próspero para todos, falharam vergonhosamente os seus propósitos. Temos uma democracia, sim, mas coxa, a trouxe-mouxe, alimentada por um capitalismo, sim, mas com prosperidade para meia dúzia e desprezo por todo um povo. A cada passo que os grandes grupos económicos foram dando para retomar o controlo do país, depois de rasparem mal e porcamente o fascismo das suas fachadas, foram colocando nos sucessivos governos “funcionários” a seu mando, cada vez mais pobres culturalmente, mais indigentes humanamente, mais irrelevantes politicamente. Sócrates é o exemplo acabado dessa “inexistência” cultural, humana e política... só ultrapassado pelo ridículo do verdadeiro “office boy às ordens” que os donos do PSD têm para pôr no seu lugar, caso ganhem as eleições.

Em 2010 entregam às gerações futuras um país deprimido em que se morre mais e em que se nasce menos; um país em que, seguramente para grande desespero de fascistas e “nacionalistas” bafientos, só o saldo positivo do fluxo de imigrantes conseguiu fazer aumentar a população, mesmo que em apenas escassos milhares, entre 2008 e 2009. Um país vendido ao capital sem pátria. Um país quase tão vendido como vendidos são os empresários, especuladores e “governantes” que o deixaram neste estado.

Hoje, 25 de Novembro, toda essa corja tem menos motivos para festejar. Ontem, num memorável dia 24 de Novembro de 2010, viram sem margem para dúvidas, que milhões dos trabalhadores que pretendiam assustados e conformados, não o estão! Que os sindicatos, que pretendiam despovoados, fracos e esvaziados de sentido, não o estão! Que o partido que há mais tempo e de forma mais consequente tem estado com esses trabalhadores, partido que pretendiam - e tantas vezes “decretaram” - morto e enterrado, não o está!

Pouco importa a procissão de desavergonhados, sejam eles ministros, secretários, analistas, comentadores, politólogos ou os canalhas de serviço, como este, que sejam destacados para nas próximas horas e dias vomitarem baboseiras nos jornais e televisões, falando em “adesões fracas”, em “números pouco significativos”, ou tentando lançar lama sobre os trabalhadores e as suas organizações. Desta vez não há contagens “profissionais” de multidões que os "salvem". Os três milhões de trabalhadores que estiveram em greve ao longo do dia, não se deixarão enganar. Toda a gente viu.

Foi uma extraordinária e verdadeiramente histórica Greve Geral!

Outros caminhos são possíveis! Outro mundo é possível!

13 comentários:

donatien alphonse françois disse...

Por causa do 25 de Novembro é que estamos como estamos

do Zambujal disse...

Sim! É possível!
Temos é de continuar e reforçar a luta.
Esta Greve Geral deu-nos força, ou ajudou-nos a tomar consciência que a temos.

Um grande abraço

Sal disse...

Grande Post, Samuel. Grande comemoração para todos os trabalhadores e para todo o povo português pela extraordinária GREVE GERAL. É como dizes: toda a gente viu!
Beijinhos

salvoconduto disse...

Claro que toda a gente viu, mas há quem finja que não viu e que faça por fazer acreditar os que viram que afinal não viram nada.

Estão a transformar este país num faz de conta e para isso moem e remoem, fazem de conta que o moínho é todo deles.

Abraço.

Maria disse...

Foi uma enorme Greve Geral! Só não a viu quem quer fazer de cego.
Não só é possível um mundo diferente como a greve de hoje ajudou a tomar consciência colectiva de que podemos fazê-lo!

Abreijos.

Fausto disse...

Abaixo o 25 de Novembro! 25 de Abril, sempre!

Anónimo disse...

bem sabes, qual a minha "filosofia" em vir aqui comentar. contudo, pelo dia que é... e pelo dia que foi, não resisto:
Ganda texto, srs. ouvintes!

vovómaria

Graciete Rietsch disse...

Que post tão bonito!!!!!
Este 24 de Novembro veio mesmo destronar o 25 de Novembro de 1975
e mostrar que o POVO continua com a força necessária para recuperar o 25 de ABRIL de 1974.

Um beijo.

José Rodrigues disse...

Olha "q'esta".Fazer uma grande greve geral...para pôr Portugal a produzir.A "estrangeirada" deve dar voltas à mioleira para perceber a imaginação/organização e inteligência destes trabalhadores que teimam em gritar que a luta continua...apesar das bem chamadas "brigadas do reumático"[novo tipo]filhas e enteadas do 25 de Novembro,que, sem escrúpulos, tudo fazem para enganar, e melhor explorar o povo!

Justine disse...

Post esclarecedor e importante, Samuel!
E ontem foi mais um passo em frente!
Abraço:))

oasis dossonhos disse...

Um grande texto, que apetece partilhar, pelo alcance das palavras certeiras. Festa dos vocábulos mais luminosos, contra a treva dos ladrões de sonhos...
Abraço
LFM

Fernando Samuel disse...

Este é o post de que o dia de hoje precisava.

m abraço.

LAM disse...

Por falar em 25 de novembro, não se arranja outra medalhazita, um louvor, qualquer coisa, para este herói da pátria?
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/coronel-louvado-suspeito-de-burla220514610