quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vieira(s) da Silva – Um está a mais?




“Liberdade” – Maria Helena Vieira da Silva

O inefável e quase invisível Ministro da Economia, Vieira da Silva, disse aos jornalistas que «A greve é um direito que faz parte da vida colectiva e da nossa democracia». Depois não resistiu a acrescentar que «Obviamente que quando se paralisa a economia neste sector ou noutro tem sempre um impacto negativo e nós não precisamos agora de impactos negativos na economia».

O homem é um génio! Conseguiu descortinar que uma Greve Geral tem efeitos negativos na economia! Portugal não precisa, agora nem nunca... é de ministros da Economia deste jaez (algum um dia havia de utilizar esta palavra)...

Está na hora de se criar uma qualquer “task force”, ou “fask torce”, como dizia um amigo, para ver se inventa, sei lá... uma estirpe de greves que não tenham impacto negativo na economia... e talvez um pouco de neve quente e sol fresquinho, para amenizar as férias do senhor ministro...

Na verdade, pouco me importa o que diz o ministro Vieira da Silva. Para mim não “existe”. Já tenho um excelente Vieira da Silva em Aveiro, que desde há muitos anos canta umas canções valentes... isto no masculino; no feminino, como se pode ver pela imagem aí em cima, a minha Vieira da Silva é outra!

13 comentários:

relogio.de.corda disse...

Caro colega da blogosfera
Hoje escrevi qualquer coisa sobre Portugal, ser o país do P's... Uma reflexão meio maluca que tomou conta de mim, numa curta viagem de 15 minutos.
E que tal sermos também o país de outras letras?!

Anónimo disse...

Caro Samuel,

Os Lobos, do Vieira da Silva, diz-lhe alguma coisa? Cresci, entre outras, algumas das quais suas, a ouvir essa música. "Eles estão aí, os lobos; Elas vivem aqui, as hienas." Bons tempos! Não creio que a letra se adapte aos tempos de hoje, que felizmente são outros, embora não os que desejassemos, mas que deixa boas recordações, lá isso deixa.

Saudações

JPP

alex campos disse...

O ministro Vieira da Silva ainda "deve de ser" aparentado com o Monsieur de La Pallice.
Se não é parece... ou imita muito bem... ou disfarça muito mal.

Um abraço

Maria disse...

O de Aveiro chegou a criar-me alguma confusão... ai a falta de memória...
Mas o problema é que o de Lisboa existe, mesmo!

Abreijo.

O Puma disse...

Pelo Vieira da Silva de Aveiro

o meu aplauso pelo livro de poesia

que agora vai lançar

jrd disse...

O Ministro Vieira é um "pintor", i.é, tem "pinta"

relogio.de.corda disse...

Desculpem mas só agora revi esta mensagem e caí na realidade. O tal Vieira da Silva" de Aveiro... vai editar um livro de poesia e canta umas canções valentes?!?... Hummm... será quem eu estou a pensar? O Sr Dr?

Paulo Assim disse...

Eu, que gosto de palavras, até acho que jaez é uma palavra bonita.
A tela também.

samuel disse...

JPP:

Claro que diz! É uma das canções da banda sonora da minha juventude... e infelizmente, não está assim tão desatualizada...

Saudações.

samuel disse...

relogio.de.corda:

Exatamente! Esse :-)

Anónimo disse...

Da Economia? Ou da Destruição da Economia? É que ele nunca fala de Economia, do que pensa que se deve fazer para inverter o processo de destruição do nosso tecido económico, designadamente do nosso aparelho produtivo. Ele que deve ser adepto do Código do Trabalho devia ser despedido por incompetência e inadaptibilidade ao lugar que ocupa.
Um abraço do Norte
Valdemar

LAM disse...

Já a paralisação em Lisboa, chamada "tolerância de ponto", motivada pela reunião da Nato, não tem custos nenhuns ao país nem impactos negativos na economia.

Fernando Samuel disse...

Está a mais, está.
Direi mesmo mais: está a mais...

Um abraço.