quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Cavaco - Contas à vida...




Decididamente, acho muita piada às contas! Feitas dos mais variados materiais, texturas e cores. Devo ter antepassados ameríndios... daqueles a quem os “descobridores” portugueses e espanhóis vigarizavam, trocando materiais preciosos locais por porcarias brilhantes feitas de materiais que os tais “índios” nunca tinham visto, naquilo que pode bem ser considerado o nascimento da globalização e dos célebres “mercados”.

Por falar em mercados, o candidato Cavaco Silva não gosta que se “diabolize”, ou falte ao respeito aos seus patrões... e vai daí, resolveu rouquejar umas coisas, dizendo que «Não compensa absolutamente nada para a economia portuguesa e para o emprego em Portugal estabelecer uma retórica de ataque às posições dos mercados».

Atendendo ao verdadeiro saque que "os mercados" estão a cometer em Portugal, trata-se, no mínimo, de uma forma bastante original de um Presidente da República defender os interesses nacionais... mas desta vez, em parte, estou de acordo com o nosso económico presidente. Na verdade, não vale a pena diabolizar ou atacar os mercados, com retórica ou sem retórica. Aquilo que sim, vale a pena e já tarda, é demolir e varrer de cena o sistema político-económico que lhes dá guarida, protecção e alimento. O capitalismo que, contra os interesses de milhares de milhões de seres humanos, endeusa “o ter”, ao mesmo tempo que vai minando e destruindo “o ser”, transformando a vida numa feira e a economia das nações em casinos.

Voltando à ilustração e ao princípio, diz-se por aí que Cavaco Silva percebe imenso de contas. Acho que lhe vou enviar umas fotografias das muitas que tenho para aí espalhadas... de vidrinhos, de metal, de madeira, sei lá... a ver se ele as consegue avaliar. Quem sabe se não tenho em casa uma pipa de massa e não sabia?

6 comentários:

Swt disse...

Que contas tão bonitas...! Para além dos excelentes textos, o Samuel muito bom gosto nas imagens.

Graciete Rietsch disse...

Brincando como quase sempre , continua a ser um excelente combatente e defensor de uma nova política e um novo mundo, não poupando aqueles que nos estão atirando para o fundo do poço.

Parabéns e um beijo grande.

Fernando Samuel disse...

Que a varredura não se esqueça de levar o cavaco...

Um abraço.

Anónimo disse...

"...transformando a economia das nações em casinos!" Amigo, hoje estás mesmo inspirado (como 99% dos dias). Essa frase é matadora, e vai-me ficar nas entranhas. um abraço
phrazão

rufia disse...

"...diz-se por aí que Cavaco percebe imenso de contas."E vai enviar-lhe umas fotos das muitas que tem por aí espalhadas......é de facto extaordinário e bonito a forma como utiliza as palavras e nos põe bem dispostos e a refletir sobre coisas sérias.

saudações

Antuã disse...

Cavaco parece mesmo o venerando Américo de Deus Rodrigues Thomaz!