domingo, 14 de novembro de 2010

Eugénio de Andrade – Música...




Hoje a música já vem com as palavras.
Basta abrir os olhos e os ouvidos... e construí-la.

Bom domingo!

Vê como o verão



Vê como o verão

subitamente

se faz água no teu peito,


e a noite se faz barco,



e minha mão marinheiro.

(Eugénio de Andrade)

8 comentários:

Maria disse...

Como é possível escrever TUDO em cinco versos...
Bom domingo por aí.

Abreijos.

relogio.de.corda disse...

Eu gosto bastante da poesia do Eugénio de Andrade e quando a noite de faz barco é para que muitos marinheiros (homens e mulheres) possam navegar...
Resto de bom fim-de-semana

Justine disse...

Emocionada me fico, e sempre encantada, quando leio EA. Obrigada!

trepadeira disse...

Navegar sempre,também o dia se pode fazer barco.
Um abraço,
mário

Fernando Samuel disse...

Bem «ouviu» Óscar Lopes: «Uma Espécie de Música - a Poesia de Eugénio de Andrade»...

Um abraço.

Camolas disse...

Simples, como tudo o que é belo

Maria disse...

Maravilhoso! E que cheirinho a maresia em dia de Outono. E que melodia num vaivém que se repete, irrepetível, como só o mar sabe...
(Eu)génio. Um GÉNIO, aquele EU!!!

Maria Pereira

Graciete Rietsch disse...

Pequeno,enorme poema.

Um beijo.